Picture of Vítor Alexandre

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Featured articles

ArtigoAnthem é a próxima grande IP da BioWare

Uma aposta no online multiplayer.

Estamos em contagem decrescente para um dos maiores lançamentos do ano. Se Janeiro de 2019 nos trouxe já grandes jogos, o mês de Fevereiro não ficará atrás, muito por força de Anthem, a nova propriedade intelectual da BioWare. O jogo será lançado no próximo dia 22 e por isso ultimam-se os preparativos através de sucessivos testes aos servidores. A demonstração pública que arrancará em breve, serve para isso mesmo, testar uma componente primordial à experiência, o online. Nós já tivemos a oportunidade de experimentar o jogo, num evento em Londres, dois dias antes do começo da demonstração privada, e pudemos testá-lo num ambiente de rede, ainda que a nível local. Apesar de encontradas algumas falhas na ligação para uma partida, a experiência foi boa quando jogamos juntos, e ainda que tenham sido poucas horas a jogar, as impressões recolhidas são muito positivas.

ArtigoBioWare quer surpreender com Anthem - Entrevista

Uma experiência gratificante tanto para jogadores casuais como hardcore.

No passado dia 23 de fevereiro viajamos até Londres, mais precisamente ao Red Bull Gaming Sphere, para experimentar pela primeira vez o jogo de acção e role play online da BioWare: Anthem. Ao longo de umas horas pudemos testar as missões e desenvolver alguns segmentos narrativos. Mas o largo da experiência pautou-se pela acção dentro dos diferentes javelin, os exosuits que transformam humanos em super-heróis.

BioWare reconhece a inspiração em outros jogos para Anthem

Mas também recolhe influências dos filmes, literatura e outras coisas.

No âmbito das experiências online é normal que jogos do mesmo género apresentem conceitos próximos. Anthem, a experiência cooperativa online da BioWare não é um jogo muito diferente. Não obstante partir dos seus elementos e funcionalidades, acabam por ser normais as influências e algumas aproximações a outros jogos.

Bioware explica porque razão Anthem é um jogo online

Produtor fala do jogo como um agregado das experiências do estúdio.

Com a excepção de Star Wars: Old Republic, que introduziu um vasto modo online, Anthem perfila-se como um agregado das experiências da BioWare no âmbito multiplayer. Anthem introduz uma componente multiplayer cooperativo até quatro jogadores envolvidos na exploração desse mundo perigoso e simultaneamente interessante.

Artigo6 coisas que nos deixam ansiosos por Anthem

Os altos voos do novo jogo da BioWare.

Apresentado na E3 2017, na conferência da Microsoft, Anthem depressa conquistou a nossa atenção. Trata-se de uma nova IP da notável BioWare, famosa pelos seus grandes jogos de role play, narrativas densas, mecânicas e funcionalidades bem trabalhadas. Com o apoio da Electronic Arts, a editora canadiana joga aqui um dos grandes trunfos do ano, que chega já no próximo mês de Fevereiro e que deverá tornar-se num dos títulos mais jogados do ano, por força da sua estrutura online (multiplayer cooperativo).

ArtigoO que está diferente em Far Cry: New Dawn?

Levar prosperidade a Hope County, renascida das cinzas.

Foram aproximadamente três horas consecutivas a jogar Far Cry New Dawn, o próximo grande jogo da Ubisoft, com lançamento previsto para o próximo dia 15 de fevereiro, a menos de um mês, portanto. A convite da Ubisoft Espanha viajamos até aos seus escritórios em Madrid, para um primeiro contacto com o jogo que volta a decorrer em mundo aberto. Tendo em conta que a área disponível é de grande dimensão, e o tempo passado a jogar correu sem sobressaltos, ou "bugs" assinaláveis, é bem provável que nos tenha sido facultada uma versão muito próxima da final, o que é óptimo.

Carcassonne - Análise - Feira medieval

Do tabuleiro para o formato híbrido.

Carcassonne vem ampliar a oferta para a Nintendo Switch no segmento dedicado aos jogos de estratégia. Um jogo que pode ser jogado entre dois jogadores, até um máximo de quatro, na tentativa de erguerem uma cidade medieval, competindo entre si. Só um pode ganhar, mas nenhum jogador é afastado, o que torna as coisas mais interessantes. Curiosamente, a origem de Carcassonne remonta ao ano 2000, quando um alemão chamado Klaus-Jurgen Wrede criou o jogo de tabuleiro. Inspirado numa cidade do sul de frança com o mesmo nome (cidade onde aliás ele vive), famosa pela sua arquitectura medieval, ainda hoje podem ser contempladas as suas famosas paredes que fortificam uma vasta zona.

Fitness Boxing - Análise - Dose diária de treino

Para queimar os exageros do Natal.

Agora que as festas de Natal estão para trás, é tempo de fazer contas às calorias amealhadas nos jantares e almoços mais festivos. Embora saibamos da necessidade de ter conta, peso e medida no que passamos para o nosso prato, bastam alguns exageros para se acumular num dia cerca de 5 mil calorias, o dobro das nossas necessidades energéticas. Naturalmente, isso reflecte-se num aumento de peso. Mas se a acumulação de calorias se faz facilmente, a perda de peso torna-se num problema que urge resolver, envolvendo exercício físico e uma dieta severa, ao longo de semanas.

Battle Princess Madelyn - Análise - Jovem cavaleira

Desta vez a princesa é a heroína.

Princess Madelyn é a protagonista do novo jogo de acção e aventuras 2D, ao bom estilo de Ghosts'n Goblins, criado pela pequena produtora independente Casual Bit Games. Se no jogo da Capcom é Sir Arthur que se perfila como o cavaleiro em busca da sua amada, Madelyn entra num extenso périplo que a levará a lutar pela família e pelo seu fiel companheiro canino Fritzy, perecido no começo da história mas eterno escudeiro sob a forma de um fantasma.

Num sinal de longevidade assinalável, ainda que amparada por várias versões que melhoraram as especificações e a experiência original, a Nintendo 3DS, lançada em 2011, chega ao final de 2018 com um parque de consolas instaladas na ordem dos 73 milhões. Um número que não chega para destronar a Nintendo DS como a portátil melhor sucedida da Nintendo, mas um número muito honroso para uma consola que vai recebendo menos jogos. O ciclo de vida da 3DS terminará quando Nintendo anunciar a entrada de um novo modelo, ou a aposta exclusiva na Nintendo Switch. No entanto, a gigante de Quioto já nos habituou a várias surpresas e por isso teremos de aguardar mais algum tempo até conhecermos o pós Nintendo 3DS.

Já vimos isto acontecer. O planeta terra sacudido por insectos gigantes, tapando o sol com a sua volumetria e espalhando o caos pelas grandes cidades. Criaturas alienígenas que se assemelham a vespas, aranhas e formigas da pior espécie. Se uma consegue impressionar, vê-las às dezenas é aterrador. A sua dimensão bestial reduz quase ao absurdo o humano militar empenhado na desinfestação da sua casa tomada de assalto, ao ponto de parecer um pequeno ser minúsculo numa bem montada inversão de papeis que é EDF. A ideia grassa há mais de dez anos e as suas origens remontam ao tempo da PlayStation 2 (2003), quando a editora japonesa D3 Publisher lançou o primeiro jogo - simplesmente Monster Attack - na consola da Sony.

ArtigoFallout 76 - O que pode ser melhorado

Depois da poeira assentar.

É quase impossível encontrarmos um jogo sem bugs ou falhas técnicas. Até os jogos desenvolvidos sob um apertado padrão de qualidade acabam por exibir algumas falhas, que não sendo graves ou pondo em causa a experiência, acabam por fazer parte do mundo representado. Noutros tempos os bugs perpetuavam-se e davam origem a glitches icónicos. Hoje as actualizações suprimem grande parte das falhas e embora não possam mudar um jogo mau, podem minorar e fazer de um jogo com problemas um jogo melhor, aliviando assim pesada carga de uma fase de produção mais conturbada. Hoje os jogos estão em permanente desenvolvimento.

Lançado no final de Agosto do ano passado para o PC, PS4 e Xbox, ARK: Survival Evolved chega agora à consola híbrida da Nintendo. Um "port" que levou mais de um ano a desenvolver pelo estúdio norte-americano Studio Wildcard. Por ocasião do lançamento da versão original tivemos a oportunidade de publicar a nossa análise, salientando, em síntese, um jogo com uma premissa atraente embora com uma concretização aquém das expectativas (podem ler por aqui a análise).

OkunoKA - Análise - Tentativa e erro para salvar o mundo

As almas negras são a predilecção de KA

O sistema tentativa e erro desde há muito tempo que está implementado nos videojogos. Começou por proporcionar uma espécie de prolongamento, aumentando a longevidade dos jogos curtos através de constantes repetições (neste jogo chamemos respawn). Mas continha também um elemento crucial, a recompensa pelo tempo investido, a glória do jogo completado, as três letras do nome no topo da pirâmide. Mais recentemente, a série Souls elevou o sistema a níveis mediáticos, com a demarcada vantagem de o fazer no âmbito dos jogos em mundo aberto.

Levou quatro anos a ser produzido, mas pelo resultado valeu a pena. Monster Boy and The Cursed Kingdom é dos jogos marcadamente retro de 2018 o que mais impressiona. Todos os sprites (animações nas habilidades praticadas pelas personagens e seus movimentos) foram desenhados à mão, uma decisão que muito orgulha o parisiense Game Atelier, depois de iniciar o projecto com base num sistema alternativo e simplificado. Valeu o apoio da editora FDG Entertainment que em boa hora deslocou a produção do kickstarter para um sucessor espiritual de Wonder Boy. Adicionalmente o jogo recebeu a colaboração, a título consultivo, de Ryuichi Nishizawa, o criador desta série e também envolvido, recentemente, na produção de Wonder Boy III: The Dragon's Trap como remasterização do clássico da Master System.

Semanas depois de um novo trailer do filme Dumbo a estrear em 2019, dirigido por Tim Burton, a Disney acabou de publicar um teaser trailer de Lion King, o remake da animação original publicado em 1994.

Algumas das minhas melhores experiências no âmbito dos jogo role play foram-me proporcionadas pela Bethesda. Da actual e anterior geração de consolas guardo as incontáveis horas que passei nas missões principais e secundárias em The Elder Scrolls IV: Oblivion (2006) e depois na sequela em The Elder Scrolls V: Skyrim (2011). A estes dois majestosos jogos acrescem os não menos magníficos Fallout 3 (2008) e Fallout 4 (2015), com a edição Fallout: New Vegas (2010) pelo meio. O primeiro Fallout criado pela Bethesda foi um jogo especial, uma vez que marcou uma viragem fortíssima na série, uma entrada na "wasteland" em 3D, depois do original em 2D e de perspectiva isométrica, criado e editado pela Interplay no ano 1997.

Transferido do Borussia Dortmund para o Barcelona no verão de 2017 por 105 milhões de euros a somar a um prémio de 40 milhões, o jogador francês Dembelé, de 21 anos, é um talento puro e um dos melhores jogadores da "blaugrana", mas os seus sucessivos casos de indisciplina estão a deixar Ernesto Valverde, o técnico da equipa, sem grandes opções.

primeiros anterior