Just Cause 2: Em busca de glória

Incluindo versão EGTV HD do vídeo.

Na ressaca das fantásticas revelações e grandes anúncios de franchises na E3, uma particular gema passou de certa forma despercebida: Just Cause 2 da Avalanche Studios parece ser um novo e entusiasmante jogo que atraiu pouco em termos de atenções.

A Avalanche não se está a confiar em cinemáticas pré-renderizadas para vender o seu produto, em vez disso está a deixar a jogabilidade e a tecnologia fazerem a conversa, culminando neste guia de 10 minutos de um par de missões de Just Cause 2. Vamos guardar a análise técnica sobre o que vemos aqui até "depois do intervalo", mas entretanto relaxa e vê o vídeo, com comentários do designer principal do jogo, e entrevistado pelo Gibson, Peter Johansson. O que mais me impressiona aqui não é apenas a realização do mundo aberto em si e das suas belas físicas, mas como está tudo à disposição do jogador, e como tudo parece tão divertido. Particularmente impressionante são as formas e meios nos quais podemos usar o gancho; divertido em Just Cause, mas um absoluto motim aqui.

O vídeo original providenciado pela Eidos estava altamente comprimido (Quicktime HD é horrível, especialmente com vídeos de jogabilidade), mas fomos capazes de discernir resolução nativa 720p com 2x multi-sampling e anti-aliasing no que é obviamente uma versão para a 360 do jogo. As físicas e os efeitos das explosões é o que se destaca, e o motion blur do ecrã é complementado por um subtil efeito de motion blur nos objectos por cima, o que acrescenta uma agradável qualidade à apresentação geral. Pelo outro lado, problemas com o frame rate e screen tearing são evidentes, ao lado de notáveis efeitos de popping.

Just Cause 2 está previsto chegar somente no início do próximo ano e tendo em mente a queda para performances técnicas dos estúdios Nórdicos, tenho esperança que a tecnologia vá alcançar a jogabilidade. Tal como está, se compreendo Johansson correctamente nos momentos finais do vídeo, a Avalanche vai continuar a seguir a política de deixar o jogo fazer a conversa com mais vídeos planeados para serem lançados nos próximos seis meses de desenvolvimento, e eu vou seguir ansioso.

Nota: Seis horas num portátil de 2.5GHz Core 2 e a versão HD do vídeo converteu (não vale a pena conversões de porcaria na minha opinião). Depois mais 90 minutos de upload numa arcaica conexão ADSL que estava a usar. Vamos a isso. Façam com que valha tudo a pena, por favor.

Salta para os comentários (1)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (1)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários