Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Esta coleção nunca deveria ter sido lançada

Clássicos da Rocksteady surgem com vários problemas técnicos na híbrida da Nintendo.

O DF Direct Weekly desta semana começa com a nossa 'análise rápida' sobre o estado da Trilogia Batman: Arkham na Nintendo na Switch. Filmámos o programa na sexta-feira de manhã e só tivemos cerca de uma hora com o jogo antes de nos sentarmos para gravar, mas tínhamos de saber a resposta a uma pergunta importante: será que a híbrida portátil da Nintendo consegue realmente correr Batman: Arkham Knight? As expectativas eram elevadas para mais um 'port impossível', mas, infelizmente, o jogo final é praticamente um desastre, brutalmente reduzido em todos os aspectos imagináveis e assolado por graves problemas.

A iluminação foi drasticamente reduzida, a qualidade das texturas é um caos total, as sombras regressam aos padrões da era da PS2 e a geometria foi cortada. Arkham Knight falha frequentemente em atingir a meta de 30 fotogramas por segundo, muitas vezes permanecendo nos 20 a meio, mas pior do que isso é o problema persistente de congelamentos. Mais evidente nas secções do Batmobile, Arkham Knight está claramente a enfrentar bloqueios ao nível do sistema a cada passo: o streaming de detalhes ambientais a grandes velocidades tem um impacto enorme na CPU, enquanto a adição de física de colisão adiciona pressão, levando o desempenho para os dez.

Teremos em breve uma análise técnica mais aprofundada, mas num primeiro olhar, esta coleção nunca deveria ter sido lançada. A qualidade da portabilidade é questionável num mundo onde Arkham Asylum apresenta quedas abaixo de 30fps e onde Arkham City, mais exigente tecnologicamente, parece realmente correr melhor em termos gerais - embora, claro, existam as previsíveis dificuldades em cenas urbanas mais densas. Existe a sensação de que os dois primeiros jogos da trilogia exigiram mais trabalho de otimização, enquanto o empreendimento em Arkham Knight deveria ter sido cancelado, talvez a favor de uma adaptação do frequentemente esquecido Arkham Origins... ou então todo o projeto colocado em pausa até ao lançamento da sucessora da Switch. Se tudo correr bem, esperamos entregar a nossa análise completa da Trilogia Arkham em breve, mas após rever os primeiros rascunhos de vídeo e texto, as notícias não melhoram - na verdade, pioram muito.

Cover image for YouTube videoDF Direct Weekly #140: Arkham Knight Switch Disaster, Baldur's Gate 3 Perf Boost, Half-Life 2 4K60
De alguma forma, a equipa DF conseguiu produzir 140 programas, sendo este o mais recente.
  • 0:00:00 Introdução
  • 0:01:03 Notícia 01: Arkham Knight na Switch é um desastre
  • 0:15:46 Notícia 02: Larian melhora o desempenho de Baldur's Gate 3
  • 0:26:06 Notícia 03: The Orange Box desbloqueado para correr a 60fps nas consolas Xbox Series
  • 0:37:56 Notícia 04: Trailer lançado para Dragon's Dogma 2
  • 0:49:05 Notícia 05: Códigos de batota descobertos para Gran Turismo PSP
  • 0:58:39 Notícia 06: A odisseia de John na VR continua!
  • 1:09:25 Notícia 07: Jogos Duke Nukem lançados para o Evercade
  • 1:17:17 Pergunta de Apoiante 1: Para jogar um jogo mais antigo da 360, a melhor opção é o hardware original mais um RetroTink ou uma Series X?
  • 1:22:38 Pergunta de Apoiante 2: Será que as GPUs de PC ficaram para trás em termos de escalonamento de desempenho em relação às consolas ao longo desta geração?
  • 1:28:28 Pergunta de Apoiante 3: Por que é que alguns títulos UE5 ignoram o Lumen de hardware, mesmo no PC?
  • 1:32:30 Pergunta de Apoiante 4: Poderia a Sony melhorar o PS Portal com atualizações de software?
  • 1:41:29 Pergunta de Apoiante 5: A geração de frames poderia ser usada para melhorar o desfoque de movimento?

Há melhores notícias noutras partes do DF Direct Weekly desta semana, já que o Alex passou algum tempo a lidar com a quinta atualização para o Baldur's Gate 3 e, claro, a nossa primeira paragem seria no Ato Três, situado na própria cidade de Baldur's Gate. A Larian discutiu um forte esforço de otimização, parcialmente ditado pela necessidade de fazer o jogo funcionar na Xbox Series S, mas a conclusão é que o nosso campeão de CPU mainstream - o Ryzen 5 3600 ganha cerca de 22% em desempenho em comparação com as nossas métricas de lançamento. A consistência do tempo de fotograma também melhorou, aparentemente devido à otimização dos sistemas de terremoto que causaram problemas reais no jogo de lançamento, embora isso possa ter sido corrigido antes da atualização cinco, claro. Embora o jogo ainda esteja longe dos 60 fotogramas por segundo, o que isto significa é que conteúdos menos exigentes têm agora mais probabilidade de atingir a meta, enquanto CPUs mais capazes também são propensas a ver uma melhoria e mais uma vez, 60fps fixos podem ser mais alcançáveis.

Falando em 60fps, estamos extremamente atrasados para a festa com isto, mas este vídeo da ReveriePass do ano passado ressurgiu recentemente na X/Twitter através de f4micom e é fascinante. Essencialmente, os ficheiros de configuração que definem o limite de fotogramas de todos os títulos na versão Xbox 360 de The Orange Box podem ser extraídos no PC, ajustados, reinseridos no ficheiro de configuração e carregados na nuvem através de uma 360 original. A funcionalidade incrivelmente fixe de sincronização cruzada entre gerações da Xbox traz então essa configuração alterada para as consolas Xbox Series. A Xbox 360 não tem a potência para executar nenhum dos jogos de The Orange Box a 60fps, na verdade um v-sync de buffer duplo faz com que o desempenho oscile entre 30fps e 60fps aleatoriamente, mas as consolas Series conseguem realizar o trabalho.

Existem ressalvas e problemas, mas o facto é que é viável jogar esses jogos à taxa de fotogramas 'certa', o que levanta a questão: quantos mais jogos poderiam beneficiar desta abordagem de software para a FPS Boost? The Orange Box beneficia em dois sentidos: são títulos já melhorados para a Xbox, o que significa que a Series S corre a 1440p e a Series X a 4K. Este 'hack' remove o limite mal implementado de 30fps e faz com que os jogos corram como deveriam e é tão simples, certamente a Microsoft e a Valve poderiam produzir uma solução oficial. Já temos um exemplo disso: a FPS Boost é normalmente alcançada com ajustes a nível do DirectX, mas o desbloqueio de fotogramas de Dark Souls 3 parece ser uma solução baseada em software. Vamos dar uma vista de olhos mais de perto em The Orange Box esta semana, incluindo testes em consolas Xbox One e Series S.

O último patch de Baldur's Gate 3 tem melhorias de desempenho altamente significativas quando limitado pela CPU, como visto aqui comparando o desempenho de lançamento com o atual numa Ryzen 5 3600.

E mantendo o tema da Xbox 360, há uma excelente pergunta de um apoiante no DF Direct desta semana sobre a melhor forma de jogar títulos da 360, os utilizadores devem aproveitar a Series X para os aumentos de desempenho enquanto enviam para um ecrã plano moderno ou os fãs mais dedicados devem comprar um RetroTink 4K e usar a escala mais próxima para executar os 720p (ou mesmo 1080p em alguns títulos selecionados) a 4K? É uma pergunta difícil. A Series X não executa todos os jogos da Xbox 360 e utiliza a sua própria escala, menos impressionante, para executar conteúdo a 720p em ultra HD. A sério, a conversão próxima parece muito melhor.

O problema é que a era da Xbox 360 é uma das piores em termos de desempenho de qualquer geração de consolas e a retrocompatibilidade da Xbox faz uma grande, grande diferença. A solução do John para o utilizador ultra-elite, sem preocupações financeiras? Defina a sua Xbox Series X para 720p e use o RetroTink para uma conversão mais aproximada! É uma solução extrema, para dizer o mínimo, mas talvez uma solução mais simples seria uma nova opção de conversão para os utilizadores da Series da Microsoft. Isso é apenas uma das ideias divertidas e interessantes apresentadas pelos apoiadores esta semana, o que torna a secção de Perguntas e Respostas de Apoiante do DF Direct Weekly tão interessante.

Também intrigante: as peças de PC equivalentes às consolas de hoje eventualmente serão superadas pela PS5 e Series X? A resposta é definitivamente sim, mas estamos a implementar a metodologia para acompanhar onde se situam a CPU e a GPU. Esteja atento a isso ainda este mês ou no início do próximo ano!

Sign in and unlock a world of features

Get access to commenting, newsletters, and more!

In this article

Batman: Arkham Knight

PS4, Xbox One, PC

Related topics
Sobre o Autor
Richard Leadbetter avatar

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Comentários