Bem vindos à Arena de confrontos entre plataformas da Digital Foundry/Eurogamer. Um jogo entra, um jogo sai. Geralmente.

Sim, mais uma vez é altura de colocar os mais recentes títulos de consola multi-plataformas debaixo do microscópio com completo comentário Digital Foundry, análise de performance, vídeos comparativos de alta qualidade, imagens com um leque de factos e dados bónus: o pacote completo, o campo todo, o tiroteio todo, nada acrescentado, nada retirado.

Apenas estes cinco jogos desta vez, mas conseguimos abordar os maiores lançamentos dos tempos recentes, incluindo ainda a cobertura de um clássico intemporal das arcadas actualizado para a geração HD.

Enquanto estamos a meio de um longo e quente Verão e é seguro dizer que a quantidade de "produtos AAA" foi reduzida a um mínimo, mas vamos voltar com mais análises: Kane & Lynch 2 em particular está com um aspecto saboroso...

Singularity

Xbox 360 PlayStation 3
Tamanho do disco 6.3GB 6.46GB
Instalação 6.3GB (opcional) 1447MB (consoante necessário)
Suporte Surround Dolby Digital Dolby Digital, 5.1LPCM, 7.1LPCM, Dolby Digital, DTS

Depois de tirar o pó ao velho motor de jogo idTech 4 para o Wolfenstein, a Raven Software regressou aos terrenos mais familiares do Unreal Engine 3 para o seu mais recente first-person shooter, Singularity. Este é um jogo mesmo muito porreiro. Claro, em muitas formas é um pouco de um derivado - mas a combinação de algumas boas ideias com um leque de armas divertidas faz dele um jogo altamente digno de consideração.

A utilização do UE3 significa que não existe real comparação em termos de tecnologia com o anterior trabalho da companhia em Wolfenstein. Como podem esperar, o perfil tecnológico do jogo está muito mais próximo a outros bem produzidos títulos Unreal Engine como Batman: Arkham Asylum. O que isso significa é um jogo com bom aspecto em ambas as consolas, com pequeníssimas variantes, como vão ver neste vídeo comparativo - não se esqueçam de usar o botão para ecrã completo.

Basicamente é o mais perto quanto se pode ser. Existem dados garantidos UE3 pelos quais podem procurar nestas comparações entre plataformas mas a única que é relevante a Singularity é o uso do anti-aliasing.

O Unreal Engine 3 na Xbox 360 tradicionalmente apresenta 2x multi-sampling anti-aliasing que está ausente na PlayStation 3. A diferença não tem assim tanto impacto quanto em outros jogos, porque o filtramento parece ser feito bem cedo no ciclo de renderização: todos os elementos adicionais depois não tem nenhum AA, significando que o efeito geral na imagem final é um tanto ou quanto selectivo. Em todas as outras formas, o jogo parece idêntico em ambas as plataformas.

Portanto, como está então o nível de performance? Vamos sacar das ferramentas de análise numa selecção de capturas e ver o que podemos ver. De forma geral: linha verde indica o rácio de fotogramas da Xbox 360, a azul é para a PS3. Linhas rasgadas no topo do gráfico são da versão Xbox 360, enquanto que a parte inferior do gráfico é para a plataforma Sony.

Novamente, típico Unreal Engine 3: uma pequena, mas visível vantagem para a Xbox 360 em comparação com a PS3. Ambos os jogos tm como alvo os 30FPS e largam o v-sync quando a cena é desafiante, resultando em variáveis níveis de screen-tear, dependendo da carga. Testes indicam que similarmente à maioria dos títulos UE3, a xbox 360 comanda uma pequena mas significativa vantagem.

Em termos de como isto afecta a experiência de jogo em termos geraisl e a decisão de compra, a realidade é que para além de um maior tearing na PS3 e o extra estranho "jaggy", as duas versões do jogo são mesmo, mesmo muito aproximadas, e igualmente recomendadas.

Publicidade

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Mais artigos pelo Richard Leadbetter