Borderlands 3 testado na PS5, Xbox Series X e Series S - consegue a próxima geração suster 60fps?

E como o jogo corre em ecrãs 120Hz?

Com a PS5 e a Xbox Series X em suas mãos, o primeiro passo da produtora Gearbox parece ser dar a Borderlands 3 o tratamento de próxima geração. Através de um patch considerável, o estúdio explora os pontos fortes de cada máquina com dois modos - visando 60fps e 120fps respectivamente. Mas o quão perto o jogo chega de suas metas de desempenho e, como sempre, onde a Xbox Series S se encaixa?

O alvo nos 4K a 60fps é o objectivo principal para a nova versão do jogo, com muitos ajustes nos bastidores para melhorar o desempenho, além de se apoiar na potência bruta do próprio hardware. A detecção de colisão foi amplamente renovada, por exemplo, mas a Gearbox também se inclina para optimizações mais tradicionais - como o uso de escala de resolução dinâmica (DRS), o que significa que o mecanismo de jogo adapta a sua contagem de pixeis com base na carga do GPU. É algo que, na prática, não aparece com muita frequência, com poucos desvios do alvo 4K - a ponto da minha contagem de pixeis mostrar muito pouca variação de 3840x2160, mesmo quando o jogo estava perdendo frames (2016p foi a resolução mínima que encontrei ).

A Xbox Series S, por outro lado, cumpre as suas especificações visando 1440p como a resolução máxima, com quedas mais óbvias na resolução, até um limite inferior de 2112x1188. No entanto, é uma versão bem trabalhada que se mantém até 60fps tão bem quanto as duas máquinas premium - na verdade, acho que funciona um pouco melhor. Um grande problema com a Series S é que não há alternância entre os modos de resolução ou desempenho, como na PS5 ou Series X. É 1440p60 com DRS e não há suporte para 120Hz.

A grande vantagem de possuir a PS5 e a Series X é a capacidade de alavancar um ecrã de alta taxa de actualização. Para resumir, o modo de resolução é executado a 4K60fps em cada um, mas o modo de desempenho altera a saída da consola para 120 Hz - neste caso, visando um 1080p nativo. Isto usa DRS também para tentar bloquear a 120fps e o valor mais baixo que notei é 1440x810 em cutscenes.

Os detalhes completos de Borderlands 3 a correr na PS5, Xbox Series X e Series S - tudo fica muito mais perto de entregar a experiência de 60fps que a última geração não conseguiu oferecer.

Vale a pena tocar nas comparações visuais, embora depois de falar com os produtores da Gearbox, pareça que o foco está principalmente em atingir o 4K60. Dito isso, as sombras são ajustadas na PS5, dando distâncias de projecção de sombras mais generosas e contornos de maior qualidade em sombras dinâmicas no solo, quando comparadas com o PS4 Pro. Além disso, existe uma dificuldade nas comparações entre a PS5 e a Series X: é quase tudo idêntico entre as duas, mas a densidade da vegetação tem uma vantagem na máquina da Sony. Isto não é uma revelação, como vimos a mesma coisa na PS4 Pro e na Xbox One X. Em vez de ser uma medida para o desempenho do sistema, essa diferença em particular parece ser um código herdado pelas novas máquinas também, dando à PS5 uma vantagem distinta ao longo da wasteland na densidade de folhagem. A qualidade das sombras também parece ter melhorado.

É importante notar que a Series S também é equivalente com as outras consolas em termos de qualidade geral das texturas, efeitos e qualidade de filtragem de textura. É principalmente a queda para 1440p que a mantém fora do mesmo nível de nitidez da PS5 e da Series X, mas ainda é um esforço impressionante para uma máquina a correr com quase um terço da potência do GPU da X. Como anos de testes da PS4 Pro mostraram, 1440p mostra uma vantagem clara sobre a renderização de 1080p em um ecrã 4K, enquanto os proprietários de monitores full HD devem obter o benefício do anti-aliasing de superamostragem. Uma forma final de dividir as três é o tempo de carregamento. Ecrãs de carregamento são uma visão normal em Borderlands, com viagens rápidas entre o Santuário, grandes centros e áreas menores. Novamente, há uma vantagem consistente na PS5 - completa um loading no Droughts em 12 segundos, em comparação com os 14-15 segundos nas máquinas Xbox.

Em última análise, esta actualização de próxima geração concentra-se no desempenho, e o aumento de 4K60 melhora significativamente o modo desempenho instável da PS4 Pro e Xbox One X, e limpa por completo o modo padrão de 1800p - que teve problemas para sustentar a meta de desempenho de 30fps. A próxima geração oferece uma grande actualização que funciona melhor em todas as frentes, e para a maior parte do início do jogo é quase perfeita, embora infelizmente a maioria das cenas ainda estejam fixadas em 30fps. Porém, quanto mais jogas, mais se percebe alguns problemas. As transparências alfa extravagantes reduzem o desempenho para 50 em alguns pontos, e até mesmo actos básicos como a pilhagem de baús podem sofrer uma ligeira lentidão. A Series X e a PS5 têm esse problema na mesma medida e pode ser chocante para a experiência. A maior parte dos problemas começa assim que você entra em Promethea, o segundo maior mundo.

Na nossa análise original das versões anteriores da PS4 Pro e Xbox One X - onde o desempenho de 1800p abaixo de 60fps mostrou os limites dessas máquinas mais antigas.

Em termos de avaliar qual a plataforma que tem o melhor desempenho, é quase impossível ter a certeza. As cutscenes não podem ser usados ​​como benchmarks devido ao limite de 30fps e a jogabilidade atinge principalmente 60fps. As quedas, quando acontecem, costumam ser isoladas em pontos dinâmicos no jogo que não podem ser replicados em cenários iguais. Um justo resumo? Ambas as versões operam da mesma maneira, com problemas muito semelhantes em termos de gravidade e frequência. O que achei interessante é o nível de desempenho da versão da Series S. Com 1440p como alvo e com uma faixa DRS mais agressiva, as taxas de frames na verdade é mais próxima dos 60fps do que as outras duas. É uma imagem mais suave, claro, mas no final, as quedas não são tão fortes quanto as das duas máquinas mais poderosas. Podemos considerá-lo mais modesto em termos de ambição, mas uma janela DRS mais ampla tem um leve resultado positivo para o desempenho na Series S. Talvez uma opção para aumentar a gama de DRS ajudasse as versões Xbox e PS5 - semelhante à 'agressiva' opção de resolução dinâmica nos últimos jogos Wolfenstein. Da forma como as coisas estão, encontrar quaisquer quedas em 4K nativo provou ser difícil e a faixa DRS parece muito estreita, enquanto a desaceleração era muito mais fácil de ver.

Onde a PS5 e a Series X se separam da S é ao oferecer um modo de 120 Hz, adicionando mais clareza - mais resolução temporal - para melhorar a sensação de jogo e diminuir a latência. No caso de Borderlands 3, ele está aderindo a um máximo de 1080p para alcançá-lo e as primeiras áreas devastadas dão uma boa primeira impressão. Indo mais fundo, porém, e especialmente no momento em que você pousa no complexo Promethean, a situação muda drasticamente. O que começa como um bloqueio robusto de 120fps desce para 80fps no pior caso - e também obtens quase tudo entre esses valores. O verdadeiro ponto de stress é percorrer as ruas de Promethea, derrubando veículos inimigos conforme fazes a curva em cada trecho.

No geral, o modo 120Hz funciona bem o suficiente, mas estando totalmente sincronizado com v-sync, verás um pouco de stutter, especialmente durante o combate na estrada. É aqui que a Xbox Series X tem uma vantagem crucial. Pelo menos no lançamento, uma queda de frames no v-sync causa uma queda de 8,3 ms no gráfico de frame-times na PS5 - mas na Series X há suporte para taxas de actualização variável, ou VRR. Uma TV que suporte fará maravilhas para se ajustar a tempos de quadro variáveis ​​em Borderlands 3. Torna os 90-120fps mais suaves, algo que a PS5 de momento não oferece. Da mesma forma, a Series X tem uma vantagem de desempenho de 120 fps, o que ajuda no esforço geral. A natureza dinâmica do jogo torna novamente a vida difícil para medir os dois lado a lado, mas há uma sequência de direcção que combina bem, mostrando uma vantagem na Series X de 5 a 15fps (mas lembra-te que os frame-times são muito mais restritos em fps mais altos).

O resultado final? Ambas as consolas são propensos a flutuações em 120 Hz, alguns afectando mais a Series X em alguns pontos, outros na PS5 - mas no geral é a Series X com a liderança, enquanto a PS5 tem uma pequena selecção de melhorias visuais e tempos de carregamento mais rápidos. Para quem busca obter o melhor desempenho de 120 Hz, porém, a escolha tem de ir para a Series X. Para o desempenho de linha de base mais alto, e tendo VRR, isso tem uma vantagem. Há pouco que separe as duas em 60fps, mas 120Hz dá à máquina da Microsoft uma vantagem identificável. Onde ambos precisam de algum trabalho é obter um bloqueio mais estável a 60fps. Novamente, aqui a Series X pode se inclinar para VRR, mas nem todos possuem um ecrã devidamente equipado. Enquanto isso, o nível de desempenho geral mais suave da Series S sugere que a opção por um dimensionamento DRS mais agressivo pode ajudar a aliviar os problemas. Independentemente disso, embora haja problemas, Borderlands 3 oferece uma grande melhoria em relação às versões de última geração, com apenas um patch ou dois necessários para colocar este jogo exactamente onde ele precisa estar.

Salta para os comentários (61)

Sobre o Autor

Thomas Morgan

Thomas Morgan

Senior Staff Writer, Digital Foundry

32-bit era nostalgic and gadget enthusiast Tom has been writing for Eurogamer and Digital Foundry since 2011. His favourite games include Gitaroo Man, F-Zero GX and StarCraft 2.

Conteúdos relacionados

Rumor: Battlefield 6 é um soft reboot cross-gen

A DICE quer voltar ao ponto de partida.

CD PROJEKT RED responde às recentes críticas de Cyberpunk 2077

Demo falsa e ambiente pesado dentro do estúdio.

Digital FoundrySerá Doom Eternal a conversão Switch mais ambiciosa de sempre?

O motor do id Tech 7 foi concebido para ser dimensionado para a próxima geração - mas pode funcionar numa consola portátil?

Também no site...

Comentários (61)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários