The Division foi um lançamento controverso em 2016. Alguns referiam inferiorizações sobre o trailer original, mas a Ubisoft Massive apresentou na mesma uma tecnologia linda no jogo final. Iniciar o jogo na Xbox One X - após a actualização 4K - mostra como o motor Snowdrop é espantoso. Efeitos de nevoeiro volumétrico, reflexos em tempo real, objectos com físicas e mapas de oclusão em paralaxe ajudam esta Manhattan pós-apocalíptica a tornar-se credível e real. O cenário não apresenta apenas carros abandonados, apresenta belos efeitos de neve e iluminação. Dois anos depois, The Division ainda se aguenta bem e na Xbox One X fica fantástico.

Com a actualização 1.8.1, a Ubisoft Massive dá ao um jogo um grande aumento na resolução na consola da Microsoft, juntamente com um pequeno conjunto de extras visuais, que tornam-no numa fantástica demonstração da 4K. Devido ao uso de anti-aliasing temporal, aberração cromática e resolução dinâmica em todas as consolas, é difícil dizer a resolução, mas os resultados são fascinantes e a nova consola da Microsoft usa o seu poder.

A PS4 Pro recebeu a sua actualização 4K, mas não chega a 4K nativa. Na verdade, o melhor resultado que encontramos foi 3200x1800 em interiores, o conversor dinâmico permite que desça em momentos mais exigentes. Apesar de 1800p ser um bom valor, o Snowdrop reconstrói a imagem quando o movimento é estático, para dar a impressão de 4K verdadeira. É convincente desde que não te mexas, mas quando caminhas, a resolução desce.

3072x1728 - 80% em cada eixo - é o número habitual ao percorrer as ruas, o que não é mau, mas tiroteios intensos podem descer para 2458x1382. Não temos verdadeira 4K e a qualidade de imagem perde quando comparada com a Xbox One X em comparações. No entanto, a solução anti-aliasing temporal é impressionante e a Pro consegue uma imagem bonita que está acima da 1080p na PS4 base.

Eis The Division a 4K na Xbox One X.

Por contraste, apesar de não ser uma apresentação 4K perfeita e cristalina, os esforços da Massive na Xbox One X são verdadeiramente impressionantes, a consola consegue 3840x2160 nativa como valor máximo. Sim, está presente uma conversão dinâmica de resolução, mas na maioria do gameplay corre a 2160p. Em 30 imagens usadas para estes testes, em cenas exigentes, apenas uma mostrou algo inferior - 88% de 4K nativa, 3392x1908. É uma amostra espantosa da Xbox One X comparada com a PS4 Pro, mas é a diferença para a Xbox One base que é verdadeiramente espantosa - a máquina original tem como alvo 1080p, mas é muito menos consistente.

A Xbox One X não só consegue entregar 4K nativa consistentemente, mas também consegue algumas melhorias visuais. A Massive lista três pequenos extras: reflexos melhorados, sombras screen-space e melhorias nos detalhes dos objectos. Não são especialmente perceptíveis no calor da acção ou até em confrontos directos, é preciso ampliar as imagens para ver as melhorias. No entanto, comparado com a Xbox One, são melhorias genuínas e até superiorizam os níveis de qualidade na PS4 Pro, como as comparações em baixo demonstram.

Curiosamente, existem mais na melhoria em The Division do que a Ubisoft diz. As texturas foram melhoradas na Xbox One X, em alguns pontos. É mais óbvio em pequenos objectos como secretárias ou bancas de jornal. A verdade é que em alguns casos, a arte de maior qualidade nunca carrega na PS4 Pro, enquanto a X apresenta texturas melhoradas, juntamente com uma melhoria no filtro anisotrópico no chão.

Xbox OnePlayStation 4 ProXbox One X
A Xbox One X consegue 3840x2160 nativa e consistente - a conversão dinâmica de resolução ocasionalmente desce. Na PS4 Pro, esta cena correr a 3072x1728, em tiroteios até pode cair para 2458x1382.
Xbox OnePlayStation 4 ProXbox One X
O detalhe dos objectos também foi melhorado. Repara na definição arredondada do vaso à esquerda.
Xbox OnePlayStation 4 ProXbox One X
O detalhe dos reflexos está melhor do que na Pro, a Xbox One X gera mais luzes no pavimento.
Xbox OnePlayStation 4 ProXbox One X
A oclusão ambiental recorre à mesma técnica nas duas consolas, mas a consola da Microsoft tem menos ruído em movimento.
Xbox OnePlayStation 4 ProXbox One X
Uma imagem estática. A imagem na Pro é reconstruída para dar a impressão de uma imagem 4K - igual à da Xbox One X. Repara na qualidade das texturas melhorada na Xbox One X.
Xbox OnePlayStation 4 ProXbox One X
O filtro de texturas também foi melhorado.

Em termos de performance, temos poucas melhorias: The Division é um jogo a 30fps em todas as consolas - até na Xbox One base - sendo difícil descer desse valor, independente do sistema onde jogas. A lógica do motor é simples: se estiver em dificuldades, baixa a resolução - não a performance. Uma Xbox One base pode demonstrar screen-tear e fotogramas perdidos em pontos estranhos, como no menu de criação de personagem, mas o gameplay é sólido. É o mesmo na Xbox One X; mesmo a 4K, o jogo apenas demonstrou uma queda para 25fps no menu de criação. A leitura é miraculosamente idêntica à do modelo base, com a mesma v-sync adaptável.

No gameplay, a Xbox One X consegue 30fps praticamente perfeitos, apenas um ocasional fotograma quebrado, no topo da imagem. Comparado com a PS4 Pro, ambas mantém esse nível de performance, com um ocasional ponto. A única diferença entre as duas é que as consolas da Microsoft apresentam screen-tear, enquanto a PS4 Pro o evita por completo - mantendo uma v-sync constante.

The Division entrega uma versão 4K altamente impressionante na Xbox One X, sem compromissos e melhorias genuínas. O trabalho compara-se favoravelmente perante o que foi feito na PS4 Pro e apresenta uma incrível melhoria sobre a Xbox One base. A falta de um modo performance 1080p poderá desiludir alguns, mas sem saber o quão exigente The Division é para a CPU, é difícil criticar a Massive por esta omissão. Depois das actualizações Xbox One X de Ghost Recon Wildlands, Far Cry 5 e For Honor, o trabalho da Ubisoft Massive em The Division é muito impressionante - é uma boa desculpa para o voltar a jogar.

Publicidade

Sobre o Autor

Thomas Morgan

Thomas Morgan

Senior Staff Writer, Digital Foundry

32-bit era nostalgic and gadget enthusiast Tom has been writing for Eurogamer and Digital Foundry since 2011. His favourite games include Gitaroo Man, F-Zero GX and StarCraft 2.

Mais artigos pelo Thomas Morgan

Comentários (14)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados