Actualização (27/02/2017): A actualização 1.02 já está disponível para Horizon Zero Dawn, entregando algumas pequenas melhorias e mudanças. Contudo, para os utilizadores da PS4 Pro, é possível escolher entre dois modos de renderização, nomeadamente um que favorece o desempenho e outro a resolução. As implementações anteriores de modos de desempenho em jogos como Knack, Rise of the Tomb Raider e inFamous vieram como um rácio de fotogramas desbloqueado, conduzindo a uma experiência mais rápida mas inconsistente. Tal não acontece em Horizon Zero Dawm, que opta por um desempenho mais suave.

A resolução está bloqueada a 1080p quando optas pelo modo de desempenho, mas em vez de deixar que o rácio de fotogramas aumente, Horizon opta por usar o poder da GPU para chegar mais perto do alvo de 30fps. É uma ideia interessante, mas fundamentalmente não é uma mudança drástica - simplesmente porque o desempenho da Guerrilla a 4K já é tão bom, com apenas pequenas quedas (se existirem) na maioria das áreas.

Para os utilizadores dos 1080p, efectivamente recebem um pequeno aumento no desempenho a custo, apenas muito raramente, de perderem a excelente cobertura SSAA. Entretanto, para os utilizadores 4K, estarás a trocar uma das melhores apresentações Ultra HD da PS4 Pro pelo mesmo pequeno aumento na fluidez. É uma opção interessante, mas ainda vamos optar pela definição padrão que favorece a resolução 4K.

Original

Quando surgiram as informações sobre a PlayStation 4 Pro, muitos ficaram preocupados com o que a chegada da nova consola significaria para toda a plataforma. Será que a consola mais velha ficaria para trás? Horizon Zero Dawn é um jogo muito importante - a Guerrilla Games é conhecida pela sua espantosa inovação e feitos técnicos. Era esperado que a equipa entregasse um jogo que destaca o poder da Pro mas capaz de demonstrar que existe muita vida na consola normal. Baseado numa semana com o jogo, a Guerrila conseguiu. Horizon Zero Dawn é uma demonstração técnica espantosa, em qualquer uma das consolas.

Se olharmos para a revelação da Pro em Setembro, foi prometido um sistema que entrega melhores gráficos, melhor performance e 4K. Na altura, a demo que vimos cumpra com a última parte. A implementação de 4K checkerboard era espantosa - ligeiramente mais suave que 4K nativa mas linda na mesma. Juntamente com Days Gone da Sony Bend, era a grande amostra das capacidades da Pro. No entanto, a demo ainda era de uma fase inicial e demonstrava quedas no rácio de fotogramas abaixo dos 30fps.

O jogo final mostra que os problemas foram resolvidos na sua maioria, o gameplay opera a firmes 30fps. A capacidade de adaptação do motor Decima entre a PS4 e a PS4 Pro é fascinante - ambas exibem pequenos momentos com fotogramas perdidos (quase imperceptíveis na maior parte e disfarçados com motion blur quando acontecem) e estas pequenas quedas são essencialmente iguais nas duas, com pequenas melhorias na Pro. Parecem ser os efeitos alpha e partículas que causam as quedas.

John Linneman apresenta uma análise inicial à performance e funcionalidades de Horizon Zero Dawn na PlayStation 4 e PS4 Pro.

A consistência da performance ao percorrer o mundo aberto é importante. Produzir um jogo em mundo aberto com esta escala é uma tarefa incrível e muitos títulos sofrem para manter a performance pois a CPU precisa descomprimir dados do mundo na hora e processar na mesma a lógica do jogo e preparar instruções para a GPU. É por isso que jogos como Fallout 4 e Just Cause 3 sofrem com soluços quando o jogador apenas percorre os ambientes. Horizon Zero Dawn está imune a este problema, tornando as caminhadas super suaves em qualquer consola.

A excelente performance a 4K checkerboard vs 1080p nativa da PS4 base é um feito incrível. A Pro tem 2.3x mais poder GPU, a largura de banda da memória não cresceu de acordo com isso - e é raro vermos um motor PS4 adaptar-se tão graciosamente entre 1080p na PS4 base e 4K na Pro (checkerboard ou não). A Guerrilla fez algo impressionante, mas foram mais longe ao entregar melhorias visuais sobre a versão normal.

Horizon Zero Dawn merece elogios só pela resolução, mas o número de pixeis não chega. É preciso mais para entregar uma boa apresentação 4K. Ficamos contentes por ver melhorias na resolução de algumas texturas e um aumento na qualidade do filtro de texturas. Níveis menores de filtro anisotrópico na consola normal podem destacar-se a 1080p - mas o efeito é mais pronunciado a 4K. Felizmente, isto não acontece em Horizon Zero Dawn.

PlayStation 4PlayStation 4 Pro
The PS4 Pro version features improved texture filtering and higher resolution textures. Look closely at the snowy ground direct to the right of Aloy as well as the ropes to her left.
PlayStation 4PlayStation 4 Pro
The benefits of improved texture filtering are even more evident in this scene. More detail is visible within textured surfaces on the PS4 Pro.
PlayStation 4PlayStation 4 Pro
The higher resolution improves the appearance of foliage. Also, if you look closely around the fire, you'll notice a few minor artefacts produced by the checkerboard rendering technique.
PlayStation 4PlayStation 4 Pro
This wide-open area showcases the benefit of the higher resolution. Distant detail is sharper across the entire image on PS4 Pro.

Em breve teremos mais sobre a performance de Horizon Zero Dawn, a Sony anunciou que será lançada uma actualização de lançamento, permitindo escolher entre 4K checkerboard e um novo modo focado na performance. Não existem promessas de 60fps - apenas de rácios de fotogramas mais suaves - por isso esperem por mais informações quando estiver disponível.

A capacidade de escolher entre performance e resolução é a cereja no topo do bolo num jogo já de si tecnologicamente espantoso. Mas mesmo sem este modo, a combinação de um brilhante design de arte, boa performance e sublime apresentação 4K fazem deste o jogo PS4 Pro mais impressionante até à data. Ao mesmo tempo, facilmente vemos que a PS4 normal não ficou para trás - Horizon Zero Dawn é um feito igualmente impressionante na PS4 normal.

Publicidade

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.