Deves esperar pela próxima geração para jogar Watch Dogs: Legion?

Atualização: testada a versão PC e as suas funcionalidades ray tracing.

ATUALIZAÇÃO: apesar do nosso foco inicial nas versões nas consolas de atual geração, também passamos algum tempo com a versão PC de Watch Dogs: Legion e o Alex Battaglia passou um olhar atento a um jogo altamente exigente, um jogo que desafia equipamentos de média gama, mesmo sem ativar a ray tracing.

Neste vídeo, podes ver como funcionam as funcionalidades ray tracing, como escalam e qual o impacto na performance geral. Também podes ver o efeito da excelente implementação DLSS da Nvidia neste jogo e ainda um olhar às funcionalidades disponíveis, como as pré definições se diferenciam e apresentamos as as melhores definições pelo melhor preço. É certamente interessante ver como se vão comparar as versões Xbox Series X e PlayStation 5 com o que é apresentado aqui e como está a performance.

Eis Watch Dogs: Legion no PC, com análise à performance, as melhores definições e como funciona a implementação ray tracing.

ORIGINAL

Chegamos ao momento na geração de consolas onde as máquinas começam a mostrar os seus limites, quando os estúdios estão ansiosos pela próxima geração? Em 2013, antes do lançamento da Xbox One e PlayStation 4, surgiram jogos que levaram claramente as coisas demasiado longe, resultando frequentemente numa performance pobre. Existe um forte argumento que isto é o que acontece com Watch Dogs, pelo menos na Xbox One S. É um jogo tecnologicamente ambicioso que tem claros problemas de performance, mesmo com a chegada da atualização. Até que ponto as coisas melhoram na PS4 e podem as versões mais poderosas destas consolas corrigir os problemas? Será o jogo tão ambicioso que deves esperar para o jogar na PS5 ou Xbox Series X?

Para a Ubisoft Toronto, entregar um jogo tão complexo em tantos sistemas diferentes é um ato de equilíbrio. As coisas evoluíram de jogo para jogo nesta série, com cidades mais complexas, expansão de ideias para mostrar versões futuristas de Chicago, São Francisco e agora Londres. Legion apresenta o cenário mais entusiasmante da série, uma enorme cidade utópica repleta de detalhes.

Existe um esforço para apresentar materiais e arquitetura mais complexa, tornando-a num recreio virtual que é estranhamente familiar para jogos em mundo aberto. Desde a presença das Casas do Parlamento às janelas de vidro colorido num pub local, lida de forma maravilhosa com o detalhe micro e macro e é facilmente a vedeta. A Ubisoft Toronto fez um trabalho espantoso para combinar as atrações turísticas com a ascensão de nova e credível tecnologia, como drones, vigilância nas ruas, carros e autocarros automáticos. Tudo isto apoiado pelas funcionalidades centrais dos mundos abertos em Watch Dogs. Ciclo dia e noite, diferentes climas, destruição de objetos e carros. É uma versão miniatura de Londres, condensada através dos destaques, mas existe um enorme valor em explorar cada canto.

Watch Dogs: Legion, análise à tecnologia nas atuais consolas.

Como se comparam as várias consolas? Tal como na versão PC que analisaremos em breve, existe uma opção de upcaling temporal, que varia de consola para consola. O uso mais forte é na Xbox One, onde 1600x900 é a resolução máxima, mas é dinâmica e pode descer para 1216x684 nas cenas mais exigentes. Na Xbox One X o objetivo é ficar perto de 4K. É ambiciosa e fica perto, maximizando a 3584x2016, descendo para 1440p no mínimo. Mais uma vez, temos alguma espécie de potencial reconstrução aqui, mas é a imagem mais nítida numa consola. Como seria de esperar, 1080p é o máximo na PS4 amadora, mas desce dinamicamente para 1536x864 ou 80% do alvo. Quanto à PS4 Pro, o máximo é 1620p, com quedas para 2304x1296.

Mas existe mais na qualidade de imagem do que apenas estatísticas. A forma de reconstrução temporada usada tem um forte impacto, especialmente na Xbox One, onde o resultado final é muito menos nítido. O conjunto de funcionalidades visuais é similar, mas as máquinas mais poderosas beneficiam com reflexos screen-space melhorados e melhor filtro de texturas. Todos os sistemas principais estão em todas as plataformas, as físicas, clima e até número de NPCs estão iguais nas 4 consolas. Criar uma cidade tão rica em detalhe, mesmo com problemas de streaming e pop-in de sombras, não pode ter sido fácil nas consolas originais. No que diz respeito à performance, pagam um preço e é aqui que as comparações com os jogos Xbox 360 e PS3 de 2013 fazem sentido.

A Xbox One está claramente no fundo. Apesar das missões tutoriais correrem bem, o mundo aberto mais detalhado e cenas mais exigentes afundam o rácio de fotogramas, com screen-tearing incomodativo. Condução rápida também faz a performance descer e mesmo com resolução dinâmica e reconstrução de imagem para ajudar, a Xbox One tem problemas. Felizmente, as coisas melhoram na PS4 original, onde fica mais próxima dos 30fps, mas fica a sensação que não chega ao alvo com a frequência suficiente, significando screen-tearing e isto é um problema quando conduzes a grande veocidade. A Xbox One X tenta obter a melhor imagem possível para ecrãs 4K e consegue um bom trabalho, mas as cenas citadinas mais exigentes com imensas explosões causam quedas.

Eis o que a Ubisoft promete para Watch Dogs Legion na Xbox Series X e está muito apelativo.

A Xbox One X parece ter dificuldades em alguns momentos, talvez devido à sua elevada resolução. Isto é parcialmente provado pela forma como corre na PS4 Pro. Corre numa resolução 1620p muito inferior e ainda assim tem muito menos tearing no geral. É a versão com melhor performance, a Xbox One X fica num segundo lugar muito próximo e o facto do tearing ser tão infrequente é um extra. Para mim, é o suficiente para justificar a resolução inferior, uma contrapartida que te dá mais estabilidade de fotograma para fotograma. No geral, as versões PS4 Pro e Xbox One X são a recomendação atual, mas a Xbox One X não é tão perfeita na sua entrega.

As primeiras impressões não são boas, mas mesmo com a atualização mais recente, apenas a Xbox One S é mesmo uma desilusão em termos de performance. Dito isto, os problemas no rácio de fotograma e o screen-tearing tiram algum brilho se o jogares na PS4 original e diria que se o teu plano é transitar das versões base das atuais consolas para uma nova PS5 ou Xbox Series X, poderá valer a pena adiar a compra pois as melhorias devem ser palpáveis.

Felizmente, temos a PS4 Pro e a Xbox One X para entregar uma experiência mais estável, mas é interessante ver outro jogo no qual o foco da Xbox One X em aumentar a resolução resulta numa experiência geral menos estável do que a da rival PS4 Pro, onde escolheria jogar o jogo atualmente. Além das melhorias na performance, gostaria de ver correções de bugs e glitches e crashes que experienciei nas minhas sessões de jogo. Na próxima geração, espero ver corrigidos por completo os problemas de performance estou ansioso para ver como se comparam os reflexos ray tracing com a versão PC, o que poderá melhor de forma dramática o aspeto do jogo e finalmente corrigir uma das principais queixas colocadas ao primeiro jogo. Também olharemos para a versão PC de Watch Dogs Legion, voltando depois à PS5 e Xbox Series para a sua respetiva cobertura.

Salta para os comentários (39)

Sobre o Autor

Thomas Morgan

Thomas Morgan

Senior Staff Writer, Digital Foundry

32-bit era nostalgic and gadget enthusiast Tom has been writing for Eurogamer and Digital Foundry since 2011. His favourite games include Gitaroo Man, F-Zero GX and StarCraft 2.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (39)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários