Fortnite: iPhone X versus Xbox One X

X vs X: o smartphone mais poderoso do mundo compete contra os seis teraflop do monstro da Microsoft.

Será que a tecnologia móvel consegue correr um jogo construído para PC, Xbox One e PlayStation 4? Alguns poderão dizer que a Nintendo Switch já o fez no passado mas a versão iOS de Fornite é um dos exemplos mais convincentes que vimos até agora no que diz respeito à convergências das tecnologias mobiles e das consola - neste confronto, é fascinante perceber como Fornite em iOS se compara com a versão Xbox One. Tens um iPhone mais velho? Bem, terás uma experiência que irás reconhecer, se bem que se encontra num patamar abaixo.

Já jogámos PUBG em hardware mobile - e, para ser justo, é uma aproximação razoável; todavia, apesar do mapa poder ser comparado, os cortes visuais são tantos que, em vários casos, parece um jogo inteiramente diferente. Esta situação não acontece nada em Fornite: logo nos primeiros momentos em que abres o jogo no iPhone X, é genuinamente surpreendente o facto de se assemelhar bastante com as versões estabelecidas nas outras plataformas. Os visuais são basicamente os mesmos e o mapa é idêntico. Se tens estado afastado da versão PC ou consola do jogo, podes mesmo nem notar diferenças de todo!

E depois existe cross-play. Fornite para mobile é uma experiência muito semelhante ao já estabelecido Battle Royale que está presente noutros sistemas e é possível aos jogadores da plataforma móvel juntarem-se aos de PC, PS4 e Xbox One - que esteve na base das nossas comparações entre as diferentes versões, que podes ver a seguir. Juntei forças comigo mesmo na Xbox One X e depois fui em busca de uma eliminação rápida. Ao remover a minha pessoa da Xbox, o modo de espectador muda automaticamente para o meu colega - eu, novamente, mas desta feita a jogar no iPhone X. O resultado? A mesma acção capturada duas vezes em tempo-real, uma vez no iPhone e outra na Xbox One em modo espectador.

A vista inicial do autocarro pinta uma imagem muito positiva, com uma ilha bem detalhada aos teus pés e oferecendo uma comparação muito idêntica ao que podes ver na Xbox One X. Certamente, a densidade da geometria é muito, muito semelhante mas, quando colocada lado-a-lado, as diferenças começam a ganhar forma. Primeiro, existe um ajuste à profundidade de campo: o ecrã ultrawide do iPhone X possui uma maior profundidade de campo, o que significa que vês muito mais do ambiente - apesar dos teus dedos taparem uma grande parte dos visuais.

Sim, existem compromissos e ajustes mas a versão iOS de de Fornite pode, em determinados momentos, ser considerada uma maravilha técnica.

A iluminação foi visivelmente reduzida no telemóvel, enquanto que a distância de horizonte da sombra do mapa foi aumentada massivamente. As sombras dinâmicas de Fornite relacionadas com a posição do Sol correm a 30Hz na Xbox, mas parecem ser actualizadas em intervalos de, mais ou menos, 5 segundos no iPhone X. A folhagem foi replicada na versão mobile, mas não é animada. A falta de animação da erva torna-se mais evidente quando te moves para fora da muralha da tempestade - realmente, todo o impacto visual quando te encontras fora da área "jogável" é reduzido dramaticamente no mobile devido a uma grande redução dos efeitos do vento e iluminação.

Outras alterações que também foram feitas: não existe oclusão ambiental e existem pontos de luz acidentais. A redução de oclusão ambiental é mais notória quando estás a explorar interiores, ficando com uma aparência inferior, enquanto que a resolução da sombra do mapa é maior na na Xbox. Os reflexos não estão presentes em superfícies aquáticas, resultando em muito menos detalhe, algo especialmente aparente no lago. Estes sacrifícios acumulam-se rapidamente, mas depois lembras-te que estás a jogar num telemóvel, que não é propriamente o hardware mais poderoso para gaming.

E apesar de todos estes cortes, compromissos e mudanças, muita da sua identidade foi mantida - atravessar várias cidades e edifícios revela ligeiras diferenças no que diz respeito à geometria mas o efeito geral é deveras semelhante. A animação existe, a densidade de objectos também e o mundo do jogo é apresentado tal como o podes ver no PC ou consola. Nesse sentido, o facto de estares a jogar a experiência completa num dispositivo móvel é simplesmente excepcional.

iPhone XXbox One X
À medida que desces do Party Bus, as limitações da versão mobile começam a surgir.
iPhone XXbox One X
A qualidade da iluminação é reduzida na versão mobile. Os pontos de luz que podem ser vistos de forma proeminente na versão Xbox foram excluídos, sendo que a luz indirecta foi eliminada.
iPhone XXbox One X
Reflexos não estão presentes na versão móvel, sendo que a qualidade dos céus tempestuosos por cima de ti foi reduzida. A versão iPhone X contém, todavia, uma profundidade de campo maior.
iPhone XXbox One X
Nas condições certas, a versão iPhone equipara-se de forma brilhante o seu irmão mais velho. Todas as diferenças anteriores são visíveis mas o resultado final é, ainda assim, impressionante.
iPhone XXbox One X
Quando te encontras da parte de fora da muralha da tempestade, a versão mobile alicerça-se numa vinheta forte mas, ao fim e ao cabo, fica atrás da versão consola.
iPhone XXbox One X
Apesar da densidade ter sido reduzida, a adição de folhagem na versão iPhone X ajuda a criar uma experiência visual comparável. O iPhone 6S não possui esta característica inteiramente.
iPhone XXbox One X
Interiores e iluminação indirecta foram reduzidas significativamente no mobile com uma eliminação completa da oclusão ambiental.
iPhone XXbox One X
A resolução da sombra do mapa é reduzida no mobile e a luz mais suave visíveis nos objectos desta cena é igualmente inferior.

E depois temos a performance. Apenas com uns pequenos soluços, Fornite corre a 30 fotogramas por segundo em iOS - uma taxa apropriada e algo que nunca vimos propriamente num jogo móvel (os 30 fotogramas por segundo de PUBG mobile são, em comparação, um horror). Existem alguns soluços de quando em vez mas não é uma situação assim tão comum que arruíne a fluidez do jogo. Para um shooter mundo aberto em larga escala, é bastante impressionante ver a forma estável como o jogo corre no iPhone X; é uma experiência suave extremamente parecida com a da consola. Os 60 FPS da PS4 e Xbox estão fora de questão mas os 30 fotogramas funcionam bem, especialmente se tiveres em mente a densidade dos visuais e o facto que estás a jogar um título Battle Royale que contém 100 jogadores.

Correr a 30FPS em vez de correr o jogo de forma desbloqueada pode, provavelmente, salvar bateria - e isso é algo bom. No iPhone X, 90 minutos de Fornite drenaram 75 por cento da bateria, algo que deves sempre ter em mente. Com um foco na bateria, é possível que a vida da bateria dure o suficiente desde a viagem de autocarro até chegares a casa, sendo que podes depois transferir o jogo para a versão consola; a versão mobile de Fornite será, provavelmente, um jogo muito popular com gamers jovens. Contudo, o apetite voraz de Fornite em termos da bateria é algo que deves considerar: de forma semelhante a Pokémon Go, levar um carregador contigo será uma boa ideia caso pretendas jogar o jogo durante períodos extensos.

Outro factor que podes considerar é que testamos o jogo no mais recente hardware da Apple. O hardware mais baixo onde podes jogar Fornite é o iPhone 6S ou SE, que usa o processador Apple A9. Baseado na captura de imagens deste chip de dois anos e meio, a redução na fidelidade é bastante notória: a qualidade das texturas e filtros são reduzidos massivamente, a iluminação é também inferior, sombras desaparecem por completo e a performance já não consegue chegar aos 30 FPS de forma consistente. Existe também uma quebra na resolução - no 6S, a imagem é escalada 70% quando comparada com a resolução nativa, com uma contagem de píxeis a rondar os 934x525. No iPhone X, poderás contar com cerca de 1461x665 - quase o dobro da resolução. Tens uma experiência "jogável" mas será necessário mais poder caso queiras um jogo que consiga competir visualmente contra as versões existentes das consolas. Infelizmente, não pudemos testar no iPhone 7 para obter uma ideia de como corre o jogo no processador Apple A10.

A Epic conseguiu uns impressionantes 60 FPS em Fornite, nas consolas. Vê a nossa análise sobre isso.

Se te afastares e olhares para toda a imagem, a versão mobile é um jogo que não deves descartar. O mesmo mostra a flexibilidade do Unreal Engine 4. O facto do jogo conseguir existir num vasto número de plataformas sem perder a sua identidade é impressionante: quer estejas no PC, mobile ou consola, o jogo consiste no mesmo, fundamentalmente. Isto sugere que um port para a Nintendo Switch não seria totalmente descabido - e que boa jogada seria. A consola híbrida pode não ter o melhor ou mais recente processador móvel mas tem um acesso sem precedentes ao GPU e CPU e, baseando no que vimos até aqui, um port para a Switch será inevitável.

Fornite é também um excelente exemplo de cross-play. Apesar dos jogadores mobile possuírem algumas dificuldades no combate contra os jogadores de consola devido à falta de suporte joypad, é bom saber que os jogadores da consola, PC e mobile podem se juntar na mesma batalha. Funciona muito bem. De facto, o vídeo que podes ver acima foi capturado jogando o jogo com os dados móveis de maneira a garantir que o mesmo seja uma experiência que podes jogar em qualquer local.

Finalmente, os últimos esforços da Epic funcionam como demonstração da evolução do hardware no mercado móvel. O iPhone 6S foi lançado há dois anos e meio - que não é muito tempo no mundo dos videojogos - mas as duas versões do jogo parecem estar separadas por uma geração. Se olharmos para os resultados GFXBench do iPhone 6S vs iPhone X, existe um aumento de cerca de 2.3x no que diz respeito à performance geral do GPU - Fornite consegue entregar uma boa experiência neste campo - com visuais aprimorados, performance mais suave e um aumento da resolução.

Portanto, qual é o veredicto? Bem, claramente, muitos sacrifícios foram feitos de maneira a trazerem Fornite para iOS. Sombras, texturas, realces e efeitos foram todas ajustados de maneira a serem contidos dentro de uma plataforma portátil - todavia, apesar de tudo isto, o port funciona. Provavelmente, alguns dos compromissos são demasiados pesados no 6S mas, tendo isso em comum com os restantes jogos móveis, o facto de estar a correr num ecrã mais pequeno esconde muitas das falhas e compromissos. De uma forma geral, a versão mobile de Fornite é uma excelente cópia do jogo e a Epic merece os parabéns pelo port excepcional.

Publicidade

Salta para os comentários (21)

Sobre o Autor

John Linneman

John Linneman

Staff Writer, Digital Foundry

An American living in Germany, John has been gaming and collecting games since the late 80s. His keen eye for and obsession with high frame-rates have earned him the nickname "The Human FRAPS" in some circles. He’s also responsible for the creation of DF Retro.

Conteúdos relacionados

Pokémon Sword e Shield conseguem a melhor estreia de um exclusivo em 2019 no Reino Unido

Apenas FIFA 20 e Call of Duty: Modern Warfare conseguiram melhor.

Google Stadia chegará com 22 jogos

Google anuncia mais 10 jogos para o lançamento.

Anthem será remodelado e relançado, diz rumor

Bioware prepara ainda novo Mass Effect.

Days Gone distinguido pela sua narrativa nos Golden Joystick Awards

Actualização: Resident Evil 2 eleito Jogo do Ano.

Também no site...

The World of Cyberpunk 2077 é o livro que explica o mundo do jogo

Resultado de uma parceria da Dark Horse e CD Projekt.

Cyberpunk 2077 trata consolas como plataformas de primeira classe

A CD Projekt RED assegura grande qualidade para a Xbox One e PS4.

Control - lista das Weapon Forms, como desbloquear e fazer upgrade a Special Weapon Forms

O nosso guia para actualizar e desbloquear novas Weapon Forms para a Service Weapon em Control.

Comentários (21)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários