PES 2012

Já jogámos e que comece a nova época.

Enquanto os clubes de futebol nacionais se preparam para uma nova época, os principais gigantes da simulação futebolística entram também na pré-temporada de uma batalha que este ano promete ser bastante disputada. Foi neste sentido que a convite da Ecofilmes tivemos a possibilidade de experimentar o novo Pro Evolution Soccer 2012, numa versão ainda em desenvolvimento mas que revela já bastante solidez.

Antes de entrar nas principais características a que tivemos acesso neste novo PES deixem-me fazer algumas considerações sobre este tipo de jogos. Na minha modesta opinião, é muito difícil oferecer elementos suficientes todos os anos, que justifiquem o preço de um jogo novidade. Jogos como PES, FIFA, os títulos 2K (e nem me ponham a falar sobre FM), têm direito a uma nova versão a cada ano, e claro, se é verdade que por vezes a versão final é francamente superior à do ano anterior, muitas vezes surgem apenas pequenas melhorias gráficas, e uma atualização da base de dados das equipas.

Para determinar o valor de um simulador de futebol, é fundamental um olhar atento sobre dois aspetos particulares, a jogabilidade e os modos de jogo. Infelizmente a versão que joguei apenas permitia realizar partidas amigáveis, dentro de um universo limitado de equipas por onde escolher. Neste sentido, nada posso adiantar sobre novos modos de jogo ou licenças específicas para este novo PES, ainda assim, ficamos com algumas promessas de notícias para breve, nomeadamente novidades específicas para os jogadores portugueses, ficaremos à espera.

Já no que diz respeito à jogabilidade PES 2012 promete se distanciar imenso do seu antecessor, principalmente devido ao novo sistema de inteligência artificial ativa (Active AI). Mesmo que pousemos o comando, os nossos companheiros continuarão a disputar o jogo, procurando sempre o melhor posicionamento possível, criando linhas de passe, ou fechando o caminho aos adversários. Assim, ao invés de apenas responderem às ações do jogador controlado por nós, toda a equipa se comporta de uma forma mais pró-ativa, oferecendo uma maior fluidez ao jogo.

Em pormenor, gostei especialmente da forma como os laterais apoiam os extremos à medida que a equipa vai subindo as linhas no ataque. Digamos que se comportam mais como um verdadeiro ala do que propriamente como um simples lateral, se decidirmos procurar o espaço interior com o extremo, imediatamente o lateral sobe nas nossas costas, abrindo um espaço na linha. Lembram-se de alguma vez ficarem especados a olhar para um companheiro enquanto gritavam, “entra!”, “sobe!”, e ele ficava especado à espera da nossa decisão, esse é um dos aspetos que o sistema de Active AI resolve muito bem.

O mais prometedor é que não são só os laterais que se comportam de uma forma mais ativa, os jogadores da frente fazem frequentemente diagonais em corrida para ganhar uma linha de passe, ou até mesmo para arrastar consigo os seus marcadores individuais e assim abrir um espaço interior para o homem com a bola, ficando depois ao critério do jogador qual a melhor decisão a tomar.

Salta para os comentários (41)

Sobre o Autor

Aníbal Gonçalves

Aníbal Gonçalves

Redator  |  Darthyo

MMOs e RPG são com o Aníbal. Aliás existe um rumor na redação que a sua primeira casa é o World of Warcraft. Mas às vezes também o vemos a fazer uns exercícios. Não é mau de todo.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Jogos Project Zero poderão receber mais remasters

Koei Tecmo ficou surpresa com as reações.

Netflix não comprará estúdios de jogos a torto e a direito

Estará atenta a oportunidades que façam sentido.

Abertas as reservas para Cotton 100% e Panorama Cotton

Strictly Limited Games e ININ Games celebram 30 anos da série.

Vídeo | Lootbox #34 LIVE - Em direto com a comunidade

Junta-te a nós pelas 16h de Portugal, 12h no Brasil.

Comentários (41)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários