FIFA 22: A Hypermotion traçará o futuro da série

Refrescar as animações e estabelecer novas bases.

A série FIFA da Electronic Arts chegou à PlayStation 5 e Xbox Series numa edição de transição, com FIFA 21 a segurar a bola para dar tempo à equipa da EA Sports trabalhar nas verdadeiras melhorias através das quais pretendem mostrar que FIFA 22 recebeu um passe em profundidade e ficou desmarcado em frente à baliza, pronto para disparar sobre os esforços da Konami em PES. Apesar da piada que corre pela internet que o gameplay é o mesmo e apenas mudam as camisolas, a equipa da EA Sports trabalha imenso para afinar o jogo e apesar da superfície mostrar muito de idêntico, o que permite a esse meme ganhar asas, debaixo da superfície são descobertos inúmeros esforços para otimizar a experiência.

Num recente evento para o qual fomos convidados pela EA, tive a oportunidade de assistir a vários membros da equipa de produção a explicar o porquê de FIFA 22 ser o jogo que querias ter em FIFA 21, o primeiro verdadeiro jogo feito a pensar na atual geração de consolas. Apesar de FIFA 21 tirar proveito da PS5 e Xbox Series, seja com melhorias gráficas, loadings mais curtos e até uso do DualSense na consola da Sony, é na mesma um jogo cujas principais bases ainda são as máquinas de anterior geração. Na edição deste ano, que chegará a 27 de Setembro às lojas, a EA Sports já trabalhou especificamente a pensar nas consolas mais recentes e promete que isso será percetível em praticamente todos os aspetos de FIFA 22.

Hypermotion é a palavra de ordem em FIFA 22, com a qual a EA Sports espera demonstrar como as versões PS5, Xbox Series e Stadia do jogo vão mostrar com grande gabarito os avanços sobre o anterior jogo e até a anterior geração de consolas. Prepara-te para escutar exaustivamente esta palavra, Hypermotion, algo que tendo em conta esta apresentação é altamente compreensível. Matthew Lafreniere, produtor, afirma mesmo que este FIFA 22 representa o primeiro ano a construir a sério para as consolas de nova geração e será a fundação para os próximos 5 anos de FIFA. É uma afirmação forte e que a comunidade certamente dissecará em Outubro.

Hypermotion é a revolução para o futuro de FIFA

Como é habitual, foi Sam Rivera, produtor, a revelar a maioria das novidades e a sua forma de descrever os esforços feitos pela EA Sports ajuda imenso a simpatizar com a face de uma equipa que vive na corda bamba. Por um lado, a série FIFA é responsável por um dos jogos mais vendidos a cada novo ano, se não for mesmo o mais vendido, mas do outro, já se tornou alvo de imensas críticas que ridiculizam por completo os seus esforços. Com grande popularidade chega grande responsabilidade. Hypermotion é o nome escolhido para resumir os esforços da EA Sports para a nova era da série FIFA, que começa com FIFA 22 e promete prolongar-se ao longo dos próximos anos e após ver o que isto representa, compreendo o porquê de despertar tanto orgulho entre a equipa.

Hypermotion é exclusiva das plataformas de atual geração e é composta por aprendizagem da máquina, captura avançada e partidas 11vs11 para uma imersão sem precedentes. A melhor forma de descobrir o potencial empolgante desta tecnologia é comparar o presente com o passado. Anteriormente, as animações eram capturadas oticamente, o jogador executava os movimentos necessários e eram capturados, tal como é feito na grande maioria dos jogos. No entanto, apenas alguns jogadores participavam no processo e isto limitava o dinamismo no jogo. Agora, a captura avançada em partidas 11v11 permitiu capturar em tempo real os movimentos dos jogadores em tempo real, consoante jogavam num relvado em Espanha. A captura foi executada num estádio com 22 jogadores a disputar quem ia pagar as Francesinhas e não num estúdio. Isto é absolutamente impressionante e independentemente da tua postura perante a série FIFA, é uma tecnologia incrível.

Para explicar os avanços alcançados com FIFA 22, Rivera disse que se tornou impossível introduzir novas funcionalidades nas consolas de anterior geração, basicamente, chegaram ao limite. Com o poder adicional e maior memória das novas plataformas, é possível ir mais além, o que permitiu à equipa criar diversas funcionalidades com a Hypermotion:

  • Full Team Authentic Motion é um dos exemplos, o maior refrescamento de animações jamais visto na série FIFA de um jogo para o outro. Foram introduzidas mais de 10 mil novas animações graças à máquina que capturou em tempo real o maior dinamismo dos movimentos executados num enquadramento totalmente diferente, jogadores a jogar sem se preocuparem com fatos com pontinhos e a execução de gestos específicos. A naturalidade com que o jogador executa as suas ações ajudou a elevar o comportamento virtual para um novo patamar.
  • ML - Flow é outra tecnologia relacionada com o algoritmo de aprendizagem que analisa os comportamentos e movimentos dos jogadores para tornar FIFA 22 mais dinâmico e divertido em pequenos detalhes como posicionamento e ataque à bola, por exemplo. A máquina aprende com exemplos da vida real e aplica-os ao jogo de forma altamente dinâmica. O exemplo foi uma transição de corrida para domínio de bola, que podia revelar as suas limitações com soluços nas animações de transição, mas que agora estão muito mais dinâmicas, o que Rivera considera como "limpar" as animações e as transições de movimentos são um dos principais avanços neste lado da série FIFA.
  • Tactical IA é outra das grandes melhorias em FIFA 22. A IA defensiva foi reescrita do zero e os jogadores marcam mais à zona e portam-se de forma mais inteligente, movendo-se como uma unidade. Isto está a ser apresentado como um total refrescar da experiência FIFA, seja a atacar ou a defender.
  • Kinect Air Battles são outra das melhorias e a EA Sports diz que a captura de animações permite momentos muito mais realistas e dinâmicos, afastando-se dos comportamentos robóticos dos jogos anteriores.
  • Composed Ball Control é uma funcionalidade que ficou ainda melhor com a aprendizagem da máquina. Anteriormente, a equipa tinha de se focar em animações de curta direção para manter o jogo dinâmico, mas agora a máquina permite animações mais longas, de melhor aspeto para quem joga, mais realistas, que vão revelar comportamentos extra para quem joga. Além disso, tal como na realidade, os jogadores vão interagir muito mais com os outros, seja a conversar com colegas ou a discutir com adversários, ou a pedir a bola. Foi feito um grande esforço para humanizar os bonecos virtuais.

As melhorias cross-gen

Apesar de grande parte do encanto de FIFA 22 residir no futebol que será praticado nas consolas de atual geração e Stadia, a EA Sports trabalhou em melhorias para ambas as gerações. Afinal de contas, ainda será nas plataformas de anterior geração que a grande maioria dos jogadores de FIFA terão acesso aos novos esforços da companhia.

Se a Hypermotion fica de fora da PS4, Xbox One, Switch e PC, isso significa que estas versões não desfrutarão desses novos esforços para revolucionar as animações de FIFA 22 e consequentemente abrilhantar o futebol virtual. No entanto, foram reveladas várias melhorias pensadas no feedback apresentado pela comunidade, que mais uma vez se manifestou e deu indicações à equipa na EA Sports:

Melhorias cross-gen

  • Os Guarda-redes foram reescritos a pedido da comunidade para melhor comportamento na baliza, para melhores defesas, e contam com um refrescar das animações para não se tornarem tão repetitivos.
  • True Ball Physics é um dos exemplos da maior procura por diversidade visual no comportamento dos bonecos, e a equipa analisou detalhadamente o movimento e comportamento da bola na vida real e em FIFA 21, o que lhes permitiu recriar o movimento e trajetória da bola para tornar FIFA 22 mais realista.
  • Explosive Sprint é outra das formas de descobrir como a equipa quis tornar FIFA 22 mais dinâmico, uma nova mecânica que mostra como o jogador mostrará uma aceleração mais explosiva quando pressionas para correr quando ele está a seguir em frente. No entanto, o remate que segue um sprint explosivo terá de ser bem posicionado pois será mais difícil controlar a bola para remate.
  • Novas Táticas de Ataque podem ser escolhidas em separado das táticas defensivas, isto foi pensado para maior controlo e personalização entre os mais dedicados.
  • Novos Movimentos de Habilidade foram introduzidos para recriar alguns dos novos movimentos vistosos executados pelos melhores jogadores do mundo. A EA Sports diz que escutou a comunidade para tornar o gameplay muito mais justo e apelativo para quem passa o ano a jogar FIFA. A recuperação da bola após a perda, uma das maiores queixas da comunidade, está em grande conta entre a equipa e pretendem dinamizar o gameplay com ajustes como esse.

A EA Sports comentou que estes exemplos são apenas o princípio dos seus esforços para mostrar os avanços aplicados através de FIFA 22, afirma ainda que é preciso ver para crer e jogar para sentir. Nesta apresentação foi possível perceber que existe todo um novo potencial tecnológico para dinamizar FIFA através das animações, inteligência artificial e consequente imersão no jogo, mas ainda estamos a meses de o conseguir comprovar.

FIFA 22 chegará a 1 de Outubro, 27 de Setembro se comprares a edição de 100 euros, mas certamente teremos uma demo algures até lá. Este primeiro vislumbre não nos permitiu ter um contacto com o jogo para descobrir até que ponto as novidades e melhorias trazidas pela Hypermotion revolucionam o primeiro passo para o futuro da série. No entanto, de uma coisa podes ter a certeza, a equipa está ciente das críticas e trabalha em novas tecnologias para dinamizar o seu futebol em todos os seus instantes, desde o comportamento do guarda-redes ao posicionamento e atitude dos defesas, sem esquecer os dribbles, domínios, trivelas e toques de letra. Se a EA Sports vai conseguir finalmente conquistar a aclamação e mostrar inequivocamente que FIFA 22 é o início do futuro, teremos de esperar.

Salta para os comentários (19)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

What If...? da Marvel Studios recebe novo teaser

O primeiro episódio está quase a estrear.

Sony já não perde dinheiro na venda da PS5 de 499 euros

Mas ainda perde com o modelo digital de 399 euros.

Comentários (19)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários