Porque razão estamos entusiasmados com Marvel's Avengers

Jogámos a beta e passamos do receio ao entusiasmo.

Desde o lançamento de Spider-Man para a PlayStation 4 que os fãs da Marvel Comics sonham com o potencial de um universo da Marvel no mundo dos videojogos. Parece que esse momento chegou, estamos prontos para o próximo grandioso passo. Marvel's Avengers da Crystal Dynamics é o jogo que se segue nos planos da Marvel Entertainment para expandir o potencial das suas propriedades e, daquilo que vi nos trailers, fiquei entusiasmado com as possibilidades mas receoso dos perigos aos quais está sujeito. A primeira amostra foi intrigante, mas perdurou sempre a sensação que nem tudo estava bem.

A Crystal Dynamics tomou a decisão de adiar o jogo de Maio para Setembro para o melhorar. Decidiu até apresentar uma beta através da qual pretende limar o jogo de acordo com o feedback dos jogadores. Adiar Marvel's Avengers permitiu apresentar diversas melhorias sobre o que viste anteriormente e, quando falamos de um jogo de acção e aventura na terceira pessoa que pretende apresentar uma narrativa épica combinado com a opção de cooperar com outros jogadores e elementos mais característicos do género RPG - como XP, skills, fatos alternativos e mais - temos aqui um híbrido com tudo para correr de forma sensacional, mas que caminha um trilho perigoso no qual poderá tropeçar a qualquer momento. Com grande poder chega grande responsabilidade.

O Eurogamer Portugal foi um dos convidados para experimentar antecipadamente Marvel's Avengers na PS4 Pro durante dois dias. Confesso que fiquei completamente rendido ao que joguei. É realmente um jogo híbrido que surge no final da geração, dando continuidade à tendência de jogos que misturam cada vez mais elementos de outros géneros. Dos elementos incluídos em Marvel's Avengers, houve vários que me deixaram contente.

Terrigen Kahan

Esta primeira amostra, que poderás comprovar por ti mesmo dentro de dois dias se tiveres uma PS4 e no fim de semana seguinte na Xbox One e PC, mostra-te o início da campanha de uma forma resumida. Certamente já viste os trailers e demos gameplay que foram apresentadas, nas quais a arrogância destes poderosos super-heróis acaba por os trair. Quando São Francisco é devastada como consequência da prepotência dos Avengers, os personagens recebem muito mais do que uma lição de humildade, recebem um duro choque. O Capitão América morreu, Tony Stark e Thor desapareceram, Bruce Banner é dado como morto, e a Viúva Negra é forçada a esconder-se. Resumindo, os Avengers terminaram.

Num enredo que mistura diversos arcos sobejamente conhecidos dos comics da Marvel, Kamala Khan é chamada para tornar-se na protagonista, uma jovem entusiasmada com o futuro e que acredita no mito dos Avengers. O desastre que devastou São Francisco e o ego dos Avengers originou a libertação dos "Terrigen Mists", responsáveis por incontáveis humanos adquirirem poderes especiais. Uma clara inspiração no arco "Inhumanity" de Ms Marvel e uma história de origem para esta super-heroína. Este é o ponto de partida para Marvel's Avengers e a forma através da qual serás confrontado com a H.A.I.M., uma organização de criminosos que poderá ser desconhecida por muitos, mas que é apresentada de forma espectaculares neste jogo.

O que esperar da campanha

Depois de Marvel Ultimate Alliance e Marvel Ultimate Alliance 2 na anterior geração de consolas, tive de esperar 10 anos por Marvel Ultimate Alliance 3 e desfrutar novamente desta série de Action RPGs que resulta numa espécie de Diablo com o universo Marvel. Quando vi este Marvel's Avengers, percebi o potencial para um Action RPG com um envolvimento cinematográfico superior, mas igualmente simples e divertido. Esta primeira amostra da campanha da Crystal Dybamics dá precisamente essa sensação, um jogo altamente cinematográfico com um gameplay simples que respeita as especificidades de cada herói.

Quando joguei missões de campanha em Marvel's Avengers, fiquei com a sensação que séries como Uncharted foram uma grande inspiração, não apenas nas cinemáticas e na tentativa de conferir camadas à personalidade de cada personagem, mas também em diversos segmentos gameplay. Mesmo nesta restrita amostra, Marvel's Avengers exibe set-pieces entusiasmantes que injectam adrenalina na experiência e alternam bem entre as sequências de pancadaria e claro, as boss fights.

Nesta beta existem duas boss fights principais e uma delas, com Taskmaster, é um verdadeiro destaque e deixou-me com um sorriso na cara. Mesmo ajustada para um tutorial de Black Widow e no contexto de uma beta, revela que o gameplay é divertido e deixa-te a imaginar no potencial para outras boss fights. Existem mais boss fights, mas uma de maior envergadura é contra um enorme robô da HAIM, repleto de pontos sensíveis. Também é interessante, mas não tanto o confronto com Abomination. Este momento foi igualmente sensacional ao momento Taskmaster e foi a forma mais eficaz de atestar o quão simples, mas satisfatório, é o gameplay de Marvel's Avengers, e o quão fantástica consegue ser a qualidade visual em espaços fechados.

Gameplay e sensação de cada super-herói

O aspecto dos personagens deu muito que falar quando Marvel's Avengers foi revelado, mas o gameplay e a sensação que tens ao controlar cada um dos Avengers também gerou imensa discussão. Existe imenso potencial aqui, mas também uma enorme margem para errar e deitar todos os esforços por terra. Ao jogar a beta passei de receoso a entusiasmado especialmente porque o gameplay me conquistou. É um jogo de acção e aventura na terceira pessoa, que os elementos RPG transformam num Action RPG, mas que também podia ser encarado quase como um beat'em up em 3D. É simples, imediato e altamente divertido jogar Marvel's Avengers, pelo menos no que diz respeito a um jogo de campanha pois ainda não o posso comentar o seu ciclo gameplay e RPG a longo prazo.

Controlar Thor ou Iron man dá-te uma sensação totalmente diferente de controlar Hulk. O gigante verde é mais lento, mais forte e a sua habilidade especial foca-se numa protecção gama. Thor e Iron Man são mais ágeis, conseguem passar do chão às alturas rapidamente e podem alternar entre ataques físicos e rajadas com facilidade. O Capitão América faz-te lembrar Batman na série Arkham da Rocksteady, incrivelmente ágil mas focado no combate corpo a corpo, mesmo que o escudo permita atacar ao longe. Esta sensação de diferenciação entre personagens era o mínimo que se podia esperar, mas está bem feita e isso merece mérito.

Além disso, manter os botões pressionados resulta em ataques alternativos que também reforçam a sensação distinta de jogar com cada personagem. Um exemplo é manter pressionado o quadrado para Hulk ao invés de dar um soco agarrar o adversário e começar a atacar com ele na sua mão. Alternativamente, podes pressionar triângulo e ele começa a bater com o adversário no chão, tal como fez com Loki no primeiro filme dos Avengers. Estes pequenos detalhes e one liners que remetem para os comics e filmes estão por todo o lado e vão-te dar a sensação que Marvel's Avengers foi feito por pessoas que adoram as bandas desenhadas tanto quanto tu.

A dada altura, poderás sentir que estás perante uma espécie de Streets of Rage em 3D com super-heróis e as habilidades de cada um são incrivelmente importantes. Existem 3 goles especiais que podes usar, mas têm um período de arrefecimento, mas cada Avengers tem uma habilidade especial que é recarregada ao derrotar inimigos. Kamala Khan, a Ms. Marvel, cresce e fica com punhos gigantes para tirar mais dano e nem precisas deixar a barra ir a zero, podes largar o botão e desactivar a habilidade, resultando num elemento dinâmico.

O gameplay deste Marvel's Avengers consegue ser algo familiar, especialmente para os fãs de Marvel Ultimate Alliance, mas numa escala totalmente diferente, tornada ainda mais sensacional com todo o elevado ambiente cinematográfico. É uma experiência da Marvel com potencial para surpreender qualquer fã dos comics ou filmes que neste primeiro contacto revela um bom equilíbrio entre a obrigatória acessibilidade de um jogo de acção para jogadores de todas as idades com uma profundidade que uma parte dos fãs vão querer e exigem de um videojogo. Essa profundidade é procurada através da vertente RPG.

A vertente RPG

Este híbrido entre RPG de acção e jogo de aventura na terceira pessoa mostra que a Crystal Dynamics pretende satisfazer jogadores de todas as idades, mas oferecer uma experiência rica em conteúdos e longevidade para quem quer mais do que uma campanha cinematográfica. Marvel's Avengers procura essa profundidade com os seus sistemas RPG, seja através da XP para subir de nível, gear e diferentes raridades ou perks, árvore de habilidades e até nas recompensas que ganhas ao subir o nível de um Avenger específico. Inicialmente, poderá ser uma dor de cabeça olhar para os menus do jogo, mas passo a passo começam a tornar-se familiares.

Em Marvel's Avengers, podes apanhar ou obter como recompensa peças de gear de diferentes raridades (cujo nível podes melhorar com fragmentos para reforçar os seus perks), mas apenas tornam a tua personagem mais forte ao aumentar o seu nível (cada missão tem um nível recomendado e terás de, pelo menos, te aproximar dele). O Gear não altera o aspecto dos super-heróis, isso é feito com os fatos que são obtidos ao subir de nível com esse herói especifico, mas existem mais recompensas ao subir de nível.

Além do Gear (em nome da acessibilidade e simplicidade, podes equipar automaticamente o melhor Gear que tens e nem sequer te preocupar com a gestão do Gear, se assim quiseres), podes desbloquear habilidades com skill points ganhos ao subir de nível e tens ainda de ter em conta os perks de cada peça de gear. Nesta fase da beta, parece quase trivial preocupar com estas coisas, mas são um elemento essencial da experiência Marvel's Avengers e que vão ditar o quão divertido consegue ser a médio e longo prazo.

De diversas formas, Marvel's Avengers parece querer fazer pelos jogos de acção e aventura na terceira pessoa o que Injustice 2 fez pelos fighting games, encontrando formas de adaptar o conceito de super-heróis com diferentes armaduras ou fatos como item que suscita desejo no jogador. Isto permitirá implementar mais desafios e aqui entram as Hero Missions, juntamente com outras actividades secundárias necessárias para teres conteúdo através do qual ganhar XP e subir de nível.

Hero Missions e conteúdo opcional

A necessidade de satisfazer o elemento RPG, especialmente porque tem uma faceta cooperativa online que permitirá ao jogo existir durante longos meses, motivou a equipa a trabalhar em diversos conteúdos extra para a War Table. Quando sentires que precisas subir de nível, poderás entrar em diversas missões opcionais focadas em objectivos específicos como eliminar inimigos ou controlar zonas (escolhidas no menu de missões na sala de controlo da tua base e que decorrem num local específico após um loading), mas também poderás escolher as Hero Missions para obter equipamento ou perks específicos para o herói no qual a missão está centrada.

Estas missões são alternativas e no contexto da beta podem ser uma mera curiosidade, mas para o jogo completo, serão a forma de jogar com outros jogadores e melhorar os nossos personagens, seja com XP ou novo Gear. Isto significa que serão importantes para alimentar a vertente RPG do jogo e serão importantes para o ciclo gameplay e saúde de Marvel's Avengers a longo prazo. Este é um elemento do qual ainda não é possível ter uma ideia conclusiva pois a experiência foi ajustada para a beta. O equilíbrio entre grind e diversão é incrivelmente sensível e já derrubou gigantes, algo ao qual os jogadores vão estar atentos.

Marvel's Avengers tem essa "obrigação" de se apresentar como um jogo acessível e fácil de assimilar por um espectro amplo de jogadores, mas a Crystal Dynamics sabe que um dos lados quer algo profundo contextualizado nos comics. Só em Setembro teremos um olhar realmente concreto sobre isso. Por enquanto, este entusiasmo com o gameplay fica comedido com as capacidades do lado RPG no ciclo gameplay e na performance do jogo. Nesta primeira beta, os problemas de performance em Marvel's Avengers são severos e quase constantes, mesmo no modo performance na PS4 Pro.

Entusiasmo comedido

Marvel's Avengers deixou-me apreensivo e a pensar que a Crystal Dynamics tinha uma tarefa demasiado ambiciosa pela frente. Depois de vibrar com os três jogos da série Marvel Ultimate Alliance (o mais recente foi lançado em 2019 para a Switch), senti que a responsabilidade para este Marvel's Avengers era ainda maior. Após jogar a primeira fase da BETA, passei de receoso a entusiasmado. Compreendo na perfeição os perigos que esperam a Crystal Dynamics e onde poderá falhar, mas a base que vi é altamente entusiasmante e esta espécie de Marvel Ultimate Alliance mais cinematográfico e com mecânicas evoluídas era tudo o que eu pedia para este Marvel's Avengers. Resta agora saber se a versão final estará bem equilibrada, se o ciclo gameplay a médio e longo prazo manterá o vigor e se a performance estará à altura.

Salta para os comentários (1)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Marvel's Spider-Man: Miles Morales terá versões PS4 e PS5

Vê o novo gameplay espectacular de 7 minutos.

The Invincible é um novo jogo sci-fi para PC, PS5 e Xbox Series

Produzido por ex-produtores de The Witcher 3 e Cyberpunk 2077.

Nova Nintendo Direct Mini agendada para amanhã

Será dedicada a parceiros da Nintendo.

Também no site...

Comentários (1)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários