Horizon: Zero Dawn review (PC) - Inquestionável

Guerrilla Games entrega a edição definitiva.

Após três anos, o jogo da Guerrilla continua a ser um dos melhores do género. Um mundo aberto executado de forma excepcional.

A espera pela chegada de Horizon Zero Dawn até ao PC terminou, para satisfação de todos os que não tiveram a possibilidade de jogá-lo na máquina da Sony. Já lá vão mais de três anos desde o seu lançamento na PlayStation 4, tornando-se num dos jogos mais aclamados pelos media da especialidade, atingindo um estatuto que está apenas ao alcance de alguns. Excepcional na sua concepção, é este o momento de sabermos se o jogo envelheceu bem e se as melhorias implementadas na versão PC são suficientes para cativar uma nova audiência e quiçá para o revisitarem.

Esta review é mais focada na resposta à questão levantada, que obviamente é a mais importante. Remeto toda a parte da narrativa para a nossa review à versão PS4, já que tudo o que foi dito é aplicável na integra à versão aqui analisada, incluindo a expansão The Frozen Wilds também analisada por nós. Em formato compactado, adiciono que a sua história está centralizada num mundo pós-apocalíptico, em que as máquinas tomaram de assalto a terra e os humanos foram forçados a uma vida pautada pela sobrevivência após um retrocesso tecnológico gigantesco, passando a não ser a espécie predominante e dominadora de outrora.

1__1_
Modo fotografia também está presente.

Desde logo no momento em que foi revelado que iria ser lançado no PC, e também posteriormente com a divulgação do primeiro trailer desta versão, se soube de algumas melhorias que esta versão apresenta, permitidas por um hardware mais actual e com outras capacidades não disponíveis na PlayStation 4 da Sony. É óbvio que a principal melhoria está nos fotogramas por segundo, que revitaliza qualquer jogo que anteriormente estivesse limitado a apenas 30fps. Aqui estamos apenas limitados às capacidades no nosso hardware, permitindo dessa forma ir bem além dos 60fps.

Mas não só de fotogramas por segundo vive esta versão PC. Temos a empolgante possibilidade de jogá-lo em formato ultrawide, que abre por completo a experiência de jogo. Para além dessa adição, temos também o facto do campo de visão ser ajustável, dando uma imersão extra ao jogo. O HDR não ficou esquecido, já presente na versão PlayStation 4, dando um inquestionável brotar de toda a beleza das paisagens criadas pela Guerrilla Games, seja nas cores e brilhos. Esta simbiose entre fotogramas desbloqueados, formato ultrawide, HDR, dão um enorme empurrão à experiência de jogo em Horizon Zero Dawn PC, e apenas ficou a faltar a implementação do Ray Tracing para tornar este regresso irrepreensível a nível visual.

"simbiose entre fotogramas desbloqueados, formato ultrawide, HDR, dão um enorme empurrão à experiência de jogo em Horizon Zero Dawn PC"

Mas as melhorias vão mais além das que já referi. Temos uma significativa melhoria nas texturas, reflexos, sombras, e claro, a anunciada movimentação da vegetação à medida que nos deslocamos entre esta, a folhagem dinâmica, que estava ausente na versão PS4 devido à suas limitações. Temos igualmente ao dispor muitas opções gráficas que permitem adaptar o jogo à capacidade da máquina que estamos a utilizar, de onde destaco um slider que permite ajustar a escala de resolução do jogo sem que para isso se altere a resolução nativa do monitor.

Em termos de performance, está bem optimizado. Jogámos numa máquina equipada com um Intel Core i7-8700k e uma Nvidia GTX 1080ti a 3440*1440 de resolução, formato ultrawide. A esta resolução, para se conseguir jogar acima dos 60fps são necessários alguns ajustes nas opções visuais, dando a entender que apenas uma RTX 2080ti será capaz de correr o jogo a 4k com detalhes gráficos máximos e um desempenho sólido.

1__3_
Modo ultrawide proporciona imagens de uma beleza extrema.

"Tudo ganha vida em Horizon PC, é um festim para os olhos percorrer as florestas, os vales, as montanhas geladas"

Quando comparamos as duas versões do jogo, temos um enorme salto visual no PC. Coloquei-as lado a lado na mesma área de jogo, e são inegavelmente impressionantes as diferenças, sendo a fluidez de jogo bem como a limpeza da imagem conseguida por uma resolução nativa muito superior as que mais contribuem para essa constatação. Tudo tem mais vida em Horizon PC, é um festim para os olhos percorrer as florestas, os vales, as montanhas geladas, a neve e chuva a cair, até me esqueço de completar as missões e dou por mim a deambular livremente pelo seu mundo deslumbrante. Não quero com isto dizer que a versão PS4 não seja um marco tecnológico, porque o é, dentro das capacidades do que a consola consegue alcançar.

Mas não existe a perfeição, e nem tudo foi feito para que esta adaptação assim o fosse. Os interiores dos edifícios continuam a destoar bastante em relação ao exterior, existindo problemas de iluminação que tornam essas zonas muito pouco credíveis, com visual algo decepcionante e até um pouco fora do contexto. Também não foi dada a necessária atenção à recriação da água - continua a ser muito pouco real - principalmente quando Aloy atravessa os riachos. Estas fraquezas já estavam presentes na consola, e são transportadas para o PC sem que tivessem merecido um tratamento devido no sentido de as melhorar.

As cinemáticas também não sofreram as melhorias expectáveis. As que não utilizam as definições visuais do jogo, pré-renderizadas, correm a 30fps, e as que são ingame estão em formato 16:9 quando se joga num monitor ultrawide. Por muita pena minha, estas pequenas particularidades danificam um pouco a imersão quando se pretende uma transição natural destas para o jogo, existe uma separação mesmo que seja mínima.

"batalhas contra as criaturas mais ferozes do jogo alcançam um estatuto épico e inesquecível"

Não só de visuais vive Horizon, já assim o era na PS4 e assim continua no PC. O desafio é bastante intenso e delicioso, com lutas que nos deixam em total êxtase, onde a jogabilidade muito polida nos coloca totalmente rendidos. Depois de se dominar todas as capacidades que Aloy tem ao seu dispor, desde as armas passando pelos fatos, em conjunto com o estudo das criaturas ao pormenor para se saber qual o seu ponto fraco, as batalhas contra as criaturas mais ferozes do jogo alcançam um estatuto épico e inesquecível, do melhor que se encontra num videojogo. Joguei dezenas de horas na versão PS4, e digo-vos que jogar no PC com o domínio total de todos os recursos disponíveis e os utilizar de forma completamente intuitiva é uma experiência sem precedentes. Já tinha saudades de Horizon e já sinto o aroma da sequela que está a caminho da PS5.

Obviamente que nunca estamos satisfeitos, pretendemos sempre mais e melhor. Apesar de alguns pontos que mereciam ter sido executados duma forma mais cuidada, Horizon Zero Dawn PC faz jus a sua denominação, Complete Edition. Como já referi, inclui o original bem como a expansão, temos assim um título que vos agarrará por dezenas de horas, em que não existem momentos monótonos. Foi uma criação sublime por parte da Guerrilla Games na PS4, e assim continua no PC. Imperdível mesmo.

Prós: Contras:
  • Inclui o jogo mais a expansão Frozen Wilds
  • FPS desbloqueados
  • Suporte para monitores ultrawide
  • Mundo aberto deslumbrante
  • Uma narrativa empolgante
  • Visual dos interiores continuam a destoar

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (34)

Sobre o Autor

Adolfo Soares

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (34)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários