Um dos próximos lançamentos da Disney Pixar no cinema é Incredibles 2, uma produção do estúdio Pixar Animation Studios que nos deu incríveis filmes como Coco, Up, Toy Story, Finding Nemo, Cars, entre muitos outros de indubitável qualidade. Tornar real a adaptação de algumas destas películas em videojogo não é um passo muito distante. A Warner Bros quer encurtar esse espaço e por isso, para um filme tão humorístico e recheado de acção como Incredibles, os mesmos heróis no formato Lego funcionam como um complemento para uma receita de sucesso.

De Lord of The Rings, passando por Batman, Harry Potter e Marvel's Avengers, a franquia Lego tem conhecido proveitosos desenvolvimentos ao longo do tempo, captando a essência dos filmes, dos heróis e protagonistas, adensando ao mesmo tempo a experiência com boas mecânicas e uma jogabilidade não só acessível mas recheada de puzzles e boas sequências de acção. É quase uma surpresa sempre que experimentamos uma nova produção da Traveller's Tales, o estúdio que leva mais de 13 anos a trabalhar nos jogos Lego.

Embora seja pela Warner Bros e pela divisão Lego a primeira colaboração do estúdio britânico com os norte-americanos da Pixar, a verdade é que ambos colaboraram anteriormente em Toy Story, no jogo para as plataformas 16-bit, em 1995, baseado no filme criado pela Disney. Contudo, os produtores e director do jogo são hoje outros, ainda que os estúdios sejam os mesmos. Na prática estamos perante um jogo (à semelhança de outras produções Lego) acessível para os mais pequenos e apelativo, pelo humor, design e mecânicas, para os adultos. É uma fórmula eficaz e bem conseguida, uma espécie de ponto de equilíbrio que garante a renovação da experiência sempre que entramos numa nova adaptação de um filme.

1
Mr. Incredible e restantes membros prometem um feroz combate aos maiores vilões.

Essa sensação fica bem patente depois dos dois níveis que experimentamos num evento de apresentação aos media, em Londres, para o qual fomos convidados. A Warner Bros revelou-nos um pouco do que vai ser o produto final e nele conseguimos identificar os pontos especialmente desenvolvidos pela Traveller's Tales. Desde logo importa referir que em Lego The Incredibles, a experiência não se resume apenas a Incredibles 2, ao filme que vai estrear por cá este verão. À história da sequela os produtores acrescentaram o primeiro filme, o que é óptimo para quem porventura tenha falhado o primeiro, já que tem no jogo uma óptima forma de ficar a par dos acontecimentos antes de ver o filme.

Frutuosa colaboração com a Pixar

As inúmeras licenças com que a Traveller's Tales acaba por trabalhar garantem acesso a uma quantidade enorme de materiais. Isso não se resume apenas aos cenários, personagens, banda sonora e segmentos narrativos. Há também o atractivo das vozes dos actores que deram corpo ao filme, assim como os espaços e ambientes, o todo como uma referência. Todavia e à semelhança de produções pretéritas da série Lego, a margem para a produção autónoma é muito grande e isso acaba por definir um pouco mais a identidade da obra. Humorística e por vezes com exageros salutares, tanto os fãs do filme como os fãs da Lego revêm-se nesta particular fusão, graças ao design único e muito convincente.

Para a Traveller's Tales é um privilégio colaborar com a Pixar, não apenas pelos materiais que são obtidos mas também pela troca de ideias, com efeitos na elaboração das "cut-scenes" e na melhor forma de materializar as personagens, em moldá-las à estética Lego, assim como outros elementos, entre os quais os super poderes e as habilidades. Como começaram as produções Lego até ao actual momento, muito mudou e isso reflecte-se na jogabilidade, com mais opções, puzzles, acção e contextos específicos.

Trabalho de família

Todas as personagens do primeiro filme e sequela estão presentes no jogo, mas os principais protagonistas são obviamente os membros da família Parr, reconhecidos pelas suas habilidades e super poderes, que no total e considerando todas as personagens, ultrapassam as duas centenas. Os níveis seguem de perto muitos momentos de ambos os filmes, mas no jogo o essencial passa pelo esforço cooperativo, que os produtores designam como trabalho de equipa em família, conjugando poderes e habilidades únicas de modo a ultrapassar os sucessivos puzzles.

Os dois níveis que pudemos experimentar na consola PlayStation 4 revelam perfeitamente a necessidade de conjugação de poderes e articulação entre as personagens. O primeiro dos dois níveis que jogámos tem lugar numa ilha. Controlamos 3 personagens (na realidade temos sempre o comando de uma e as restantes são controladas pelo computador, excepto quando estão a realizar uma acção): Elastigirl, Violet e Dash e o objectivo passa por desbravarmos terreno até encontrarmos Mr Incredible, musculado e o mais forte do grupo, uma espécie de Hulk vestido vermelho e com máscara, dotado de poderes quase ilimitados.

É interessante ir descobrindo os poderes dessas personagens, em múltiplos contextos. Elastigirl é capaz de usar o corpo como um pedaço de elástico, útil para formar pontes ou então transformar-se numa corda, atravessando largos espaços entre plataformas como um esquilo. Numa fase derradeira deste nível, após um salto para a água, ela transforma-se num barco de borracha capaz de transportar os restantes membros. Violet tem como maior habilidade uma esfera dentro da qual ela gravita e que ao mesmo tempo funciona como um escudo protector, podendo assim atravessar obstáculos como raios laser e interagir com alguns elementos do cenário. Por fim, a qualidade maior de Dash é a velocidade, algo que o leva a correr sobre a água.

2
Violet com o escudo activado protege outro membro da equipa.

No segundo nível, numa secção completamente diferente da anterior, integrada numa sucessão de edifícios, ligamos esforços entre duas personagens, Mr Incredible e Elastigirl, enquanto começamos por enfrentar uma série de rúfias. Ele tem a mais valia da força e do super poder quando a barra fica preenchida, bastando para isso pressionar o botão triângulo a fim de praticar um ataque quase em fúria. A acção parece ser mais constante nesta fase, mas nem por isso desaparecem os típicos puzzles e necessidade de conjugação de habilidades. Um particular objectivo neste segundo nível é a necessidade de encontrar cinco peças com as quais activam a plataforma dos Incredibles. Algumas estão escondidas ou colocadas em zonas laterais, enquanto que outras só aparecem depois de refazerem algumas coisas destruídas, como um helicóptero.

Importante salientar que estas missões podem ser acedidas a partir de uma área central que não nos foi mostrada nesta fase. É uma espécie de "hub" onde têm liberdade para realizar mais actividades Depois, existem ainda imensas áreas secretas, side quests, coleccionáveis e recolha de peças para o fabrico de maiores cubos. Entre estes coleccionáveis e todos os níveis esperem muitas horas de diversão, sendo que o ponto forte é a articulação entre as personagens e os poderes reservados a cada uma. A conjugação desses poderes resulta com grande eficácia nas secções de puzzles.

A acessibilidade é também uma característica dominante, dado que os mais pequenos (se jogarem com os vossos filhos) não terão grande dificuldade na adaptação à jogabilidade, enquanto os adultos encontram um desafio equilibrado, não muito árduo, mas gratificante pelo divertimento e humor que é já um hábito nestes jogos Lego. Resta saber como funciona a secção em mundo aberto, um modo que vos deixa jogar livremente. Outro ponto a ter em conta é a possibilidade de personalizarem os vossos equipamentos e personagens, através da Edna "E" Mode, que também não nos foi mostrado mas parece ser uma opção interessante.

Em conclusão, Lego The Incredibles deixou boas impressões. A colaboração com a Pixar parece resultar, especialmente na construção das áreas, design, vozes e adaptação aos segmentos do filme. Claro que o aperitivo é o filme Incredibles 2 que vai passar por cá no calor do verão, um óptimo cartão de entrada para o jogo. Claramente queríamos ter jogado mais mas a meia hora que passamos com o jogo foi proveitosa e por isso apresentamos começamos por mostrar já um primeiro vídeo para que possam conhecer melhor o jogo, nomeadamente os poderes dos heróis e a actuação em equipa da família Parr neste Lego The Incredibles. O jogo será publicado a 13 de Julho, no nosso país, e chegará nas versões PlayStation 4, Xbox One e Nintendo Switch.

O Eurogamer Portugal viajou até Londres para experimentar o jogo, tendo a Upload Distribution proporcionado alojamento e transportes até ao evento.

Sobre o Autor

Vítor Alexandre

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Mais artigos pelo Vítor Alexandre

Comentários (1)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados

Últimas

Publicidade