Consolas de próxima geração: ainda continuaremos a jogar jogos a 30fps

Vê Marvel's Spider-Man a correr a 60fps.

Uma das principais lições na recente revelação dos jogos para a PlayStation 5, além do quão bom está o aspecto dos jogos, é que os videojogos a 30fps nas consolas não vão desaparecer. Na verdade, tudo indica que a performance com o alvo de 30fps está presente na maioria das espantosas amostras first-party da Sony, incluindo Horizon Forbidden West, Ratchet and Clank: Rift Apart e Marvel's Spider-Man: Miles Morales. Parece ser um dos principais pontos a diferenciar a PS5 e a Xbox Series X. Apesar de declarar que os estúdios podem usar o poder como quiserem, a Microsoft falou frequentemente sobre os 60fps como um dos alvos do design da próxima geração, falando até na ideia de 120fps em alguns cenários para os novos ecrãs HDMI 2.1

A chegada de uma nova geração significa sempre a esperança de jogos a 60fps, mas acredito que qualquer afastamento do padrão de 30fps nas consolas terá de vir do estúdio, pois apesar das próximas consolas da Sony e Microsoft serem altamente poderosas, o poder extra tem os seus limites. Ao criar a Xbox Series X, a equipa de hardware da Microsoft teve como alvo um mínimo de 2x o poder computacional da Xbox One X. Conseguiram isso e mais, mas a matemática básica é simples, se entregares o dobro do poder de uma consola existente, duplicar o rácio de fotogramas suga muito mais desse poder extra, significando que existe que sobra pouco para elevar a fidelidade gráfica.

A Sony começou a apresentação PS5 com um pequeno teaser de Miles Morales e tudo indica que a Insomniac se manteve nos 30fps, como no original, mesmo que exista poder para chegar aos 60fps. desde a revelação, tenho pensado muito sobre um dos meus jogos favoritos desta geração e como ficaria a correr a 60fps e enquanto o meu PC estava parado, preparei-o para processar 2 horas de Spider-Man capturado na PS4 Pro, usando análise pixel-motion para conseguir converter o rácio de fotogramas de 30fps para 60fps. Os resultados podem ser vistos em baixo e basta dizer que as 48 horas de renderização vão resultar numa conta de luz assustadora.

Eis como seria Marvel's Spider-Man a correr a 60fps. Killzone: Shadow Fall a 60fps é um extra.

Ver o jogo a 60fps é sensacional e talvez nos dê uma ideia do caminho que o estúdio não seguiu. Após voltar a jogar o jogo e assistir novamente ao trailer de Miles Morales, compreendo que a Insomniac decidiu pegar no seu motor de Spider-Man e levá-lo numa direcção diferente, ao invés de duplicar o rácio de fotogramas. É difícil tirar muitas conclusões do pequeno teaser, mas além dos efeitos que vês, não disponíveis em Spider-Man na PS4, existe a sensação que o estúdio está a melhorar tecnologias existentes e ao mesmo tempo adiciona novas funcionalidades. É uma abordagem que provavelmente não seria possível se também quisessem duplicar os rácios de fotogramas, especialmente sem uma melhoria de raiz à tecnologia.

A pequena amostra que temos sugere que Nova Iorque é mais densa do que é na PS4. O número de veículos é superior, enquanto os NPCs nas ruas parecem mais robustos e em ambos os casos, a distância de visão parece muito, mas muito melhor do que o que tens em Spider-Man na PS4. O trailer também mostra que estamos no Inverno, a neve e gelo fazem parte dos visuais. É uma grande transformação sobre o primeiro jogo, onde apenas tinhas alguma chuva.

A Insomniac já disse que terás ray-tracing em Miles Morales, especificamente que as poças terão reflexos RT. A Insomniac demonstrou grande interesse na tecnologia, baseado no que vimos no trailer e gameplay de Ratchet and Clank: Rift Apart. Dito isto, vimos pouco do jogo e apesar de existirem poças no teaser, não parecem ter RT. Ainda assim, implementar RT encaixaria na estratégia de usar o poder GPU de próxima geração para aumentar a fidelidade e não o rácio de fotogramas. Precisamente o que vemos Horizon Forbidden West e Ratchet and Clank.

Ray tracing é revolucionária, mas exige imensos recursos da GPU. Eis o que já vimos da tecnologia na PS5.

Esta não é a história completa, Demon's Souls Remake da Bluepoint oferecerá modos de fidelidade e performance. Baseado no anterior olhar às imagens e vídeo disponíveis, a Bluepoint poderá ter como alvo um modo a 4K nativa e 30fps, com a resolução a descer para 1440p em modo performance. A Codemasters sugeriu algo similar para DiRT 5, o objectivo no modo performance são uns espantosos 120fps. Espero ver modos de qualidade/elevado rácio de fotogramas como algo comum no período cross-gen. Apesar de muitos motores ainda precisarem de suportar a arquitectura AMD Jaguar nas actuais máquinas, duplicar o rácio de fotogramas na PS5 e Xbox Series X é uma vitória fácil. Teremos esses modos em Miles Morales? Quero acreditar que sim, mas se fosse esse o caso, a Sony já o teria revelado, como fez com Demon's Souls.

A apresentação da PS5 poderá ter ferido as esperanças de quem desejava 60fps como obrigatório, mas não sinto que esta seja toda a história e forçar estúdios a adoptar 60fps em todos os projectos seria uma ideia fundamentalmente má. O facto de vermos jogos a 30fps não nega o facto que a arquitectura Zen 2 é revolucionária e se um estúdio quiser correr a 60fps nos seus projectos, é difícil acreditar que a CPU será uma limitação da forma que é nas actuais consolas.

Além disso, mesmo com inerentes gargalos CPU como vimos nas actuais consolas, a verdade é que no geral vimos performance superior quando comparado com a era PS3 e Xbox 360. Mais do que isso, as principais séries como Battlefield e Halo transitaram de 30fps para 60fps enquanto a chegada de motores como o id Tech 6/7 e o RE Engine da Capcom foram feitos com os 60fps em mente. A Codemasters transitou para 60fps e a The Coalition até conseguiu colocar Gears 5 a 60fps na Xbox One X. Séries estabelecidas a 60fps como Gran Turismo entregaram um salto entre gerações a nível de fidelidade e melhoraram a performance sobre os jogos da PS3, enquanto a estreia do motor IW8 usado em Call of Duty Modern Warfare 2019 alcança uma impressionante amostra de tecnologia.

Poderá demorar até os estúdios encontrarem o seu caminho nas novas consolas e poderão surgir desilusões pelo caminho, mas a verdade é que a Xbox Series X e a PlayStation 5 estão muito melhor equilibradas entre CPU e GPU do que as anteriores consolas. Além disso, os estúdios têm mais opções e menos restrições em termos de hardware. O PC provavelmente permanecerá o formato de eleição para gaming a altos rácios de fotogramas, mas a apresentação da PS5 sugere fortemente que os 30fps permanecem como uma forma de alcançar experiências visuais incríveis e estamos ansiosos para ver mais.

Salta para os comentários (71)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (71)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários