Forza Horizon 3 a 4K 60fps é deslumbrante

O Digital Foundry testa a versão PC no máximo e fala sobre a versão Xbox One S com HDR.

Está muito bom na Xbox One, mas com o equipamento certo, Forza Horizon 3 é de cortar a respiração no PC. Reforçando a fundação DX12 do excelente Forza Motorsport 6 Apex, a Playground Games fez uma maravilha tecnológica para PC - uma que testámos a 4K e 60fps. Um Core i7 6700K combinado com uma Nvidia's Titan X Pascal cumpre o serviço com ajustes mínimos e a experiência é fenomenal.

Forza Horizon 3 no PC é baseado em três fundações sólidas. Primeiro, tudo se resume à qualidade impressionante da versão Xbox One - a qualidade dos modelos dos carros é igualada por um ambiente animado, rico e variado, céus lindos e iluminação sublime. Segundo, existe a sensação que os bens se adaptam bem a diferentes definições de qualidade: os detalhes saltam à vista a 4K no PC, as distâncias de visão são alongadas, o pop-in reduzido e os efeitos mais refinados .

O motion blur é mais suave, as sombras e reflexos mais nítidos e detalhados, sem esquecer a grande diferença: a capacidade de correr a 60fps. O último pilar da qualidade do motor em si: Forza Motorsport 6 Apex está muito bom mas Horizon 3 adiciona mais ambição tecnológica e visual - como seria de esperar quando a versão de consola tem o dobro do tempo de renderização para produzir cada fotograma.

Forza Horizon 3 que temos jogado ao longo da semana, especialmente na Xbox One S, pois estava ansioso por o jogar em HDR. Na verdade até fiquei desiludido com a experiência. Ao ligar a Xbox One S a uma Panasonic DX750 de 58 polegadas, o jogo passa de imediato para modo HDR ao iniciar, mas apesar de parecer existir maior alcance, a profunda riqueza da palete do título parece ausente. Parece quase deslavado, um forte contraste com os ecrãs de carregamento.

Capturei muito do jogo na Xbox One S a 4K via conversão de resolução, principalmente devido a um email que recebi, indicando-me este blogue Alemão, que pinta um quadro altamente desagradável para o conversor de resolução 4K na nova consola. Notámos que na nossa TV 4K Panasonic fez um melhor trabalho na conversão de resolução quando testámos inicialmente a consola, mas temos passado algum tempo a trabalhar nas nossas ferramentas de captura HDMI 2.0 4K, por isso parecia uma boa altura para testar o kit. O conversor parece mais suave do que um conversor Photoshop de capturas 1080p nativas, mas parece funcionar bem.

Isto é fantástico. Um Core i7 6700K e uma Titan X Pascal usados em Forza Horizon 3 a 4K conseguem o mais aproximado possível de 60fps fixos.

O vídeo dá uma boa imagem da performance do jogo mas os meus resultados estão no topo das expectativas, como seria de esperar ao usar equipamento deste calibre. Muitos jogadores falam de problemas no streaming do mundo aberto, e ao iniciar o meu save na Xbox One S, existiram glitches ao percorrer o mundo. Foram resolvidos ao desactivar a anti-aliasing multi-sample, baixando para FXAA. Está abaixo da versão Xbox One, mas com a densidade extrema de pixeis a 4K, existe pouco impacto na integridade visual. Segundo, descobrimos que cenas em floresta densa podem afectar o rácio de fotogramas - isto foi resolvido com um overclock de +700MHz à GDDR5 da Titan X Pascal. Com estas definições, a maioria do mundo aberto de Horizon 3 corre sem erros, apenas uma área nos causou problemas - a cidade a norte.

Existem desafios similares ao tentar correr a 1080p60. Com uma GTX 970 em high - mesmo com MSAA desactivada, sombras em médio e um overclock - ainda existem problemas em florestas densas. A nova GTX 1060 é mais estável mesmo em ultra, enquanto a RX 480 da AMD parece acompanhar, se não estiver melhor mesmo.

Existe a sensação que é um motor 30Hz, e é preciso muito poder para ter 60fps fixos - as recomendações são um processador Core i7. É bom o jogo ser na mesma lindo a 30fps porque para muitos, poderá fazer sentido subir as definições de qualidade e bloquear a 30fps ao invés de perseguir os 60fps. A 4K, fixar a 30fps também pode oferecer uma sensação do que esperar do jogo a correr na Xbox Project Scorpio - é fantástico.

Forza Horizon 3 é um jogo PC lindo, mas a jornada para colocar um motor a 30Hz nos 60fps é incrível - parece que a Playground Games tem muito trabalho pela frente para optimizar o streaming de dados. Adoraríamos ter mais para apresentar mas mais uma vez, a Windows Store demonstrou não estar à altura da tarefa. Forza Horizon 3 chegou na Quarta-feira mas foram precisos dois dias para transferir com sucesso o jogo.

O jogo exige que actualizes para a Windows 10 Anniversary Edition, processo que demora mais do que esperado. Mais problemático foi o erro encontrado após transferir Forza Horizon 3, sem meios para apagar os dados corruptos, ou reiniciar ou resumir a transferência. Apagar os conteúdos de c:\windows\software distribution pareceu resolver isso mas deu-me outro problema - congelamentos aleatórios na app da Store ao longo da transferência de várias horas. A opção de reiniciar falhou completamente - e para reforçar a frustração, reiniciar o PC reiniciava a transferência.

Centenas de gigas desperdiçados e horas depois, a solução foi agarrar o ISO Windows 10 Anniversary Edition ISO da Microsoft, executar uma instalação limpa a partir de um segundo SSD e reiniciar do zero. Funcionou à primeira, e com velocidades de transferência maiores. Talvez de errado tenha ocorrido com a actualização ao Windows, mas a ideia é que transferir um jogo, ou até resumir uma transferência interrompida é uma funcionalidade tão básica que é difícil acredita que a Microsoft não o consegue fazer como deve ser.

Valeu a pena - Forza Horizon 3 é fenomenal no PC, como o vídeo demonstra. Apesar dos poucos problemas, o streaming em segundo plano precisa de ajustes - mesmo os donos de processadores Core i7 que cumprem ou até ultrapassam os requisitos sofrem com problemas de soluços, e mesmo a 1080p60, o equipamento passa por dificuldades. Para ter a experiência maximizada é preciso equipamento caro. Em breve teremos uma comparação de Forza Horizon 3 no PC contra a Xbox One.

Publicidade

Salta para os comentários (25)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

The Game Awards 2019 - Eis os nomeados

Já escolheste os vencedores?

Nintendo Black Friday - Promoções digitais arrancam a 22 de Novembro

Zelda: Breath of the Wild, Super Mario Odyssey, Dragon Ball FighterZ e mais.

Xbox Play Anywhere continuará na Xbox Scarlett

A Microsoft mantém essa aposta.

Também no site...

Comentários (25)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários