FIFA 22 review - pontapé de partida para uma nova era

O jogo prepara-se fora do relvado.

Melhorias no Modo Carreira, animações e mecânicas de reação defensiva dão maior perfume a este futebol, mesmo com um dribble familiar.

A EA Sports está de volta com a sua série de jogos anuais de futebol com FIFA 22, um jogo catalogado como o primeiro de uma nova era para as ambições do estúdio e pensado especialmente para as consolas PlayStation 5 e Xbox Series. Nas restantes consolas e PC, o jogo chegará desprovido de uma das mais publicitadas novidades, a tecnologia Hypermotion que permitiu capturar em tempo real 22 jogadores para elevar a quantidade e qualidade das animações para um patamar sem precedentes na série FIFA e consequentemente tornar estes atletas virtuais mais realistas. O objetivo é recriar no jogo o perfume e nuances do futebol real, removendo o tom robotizado, graças a uma quantidade incrível de novas animações que permitem movimentos mais naturais e fluídos.

Antes de passar para o FUT e o Modo Carreira, os dois principais pontos de quem procura a série FIFA, gostaria de referir que a Hypermotion parece efetivamente mais do que um slogan bonito atirado a qualquer momento. FIFA 22 exibe melhorias significativas nas animações e nos comportamentos dos futebolistas virtuais. Isto é importante pois até agora não vi movimento estranhos ou robóticos e tudo decorre com uma surpreendente naturalidade. Provavelmente é algo que já devia ter chegado há muito mais tempo, mas chegou agora e parece ter um efeito altamente positivo no decorrer das partidas que realizas em relvados virtuais.


Queres saber tudo sobre a atual temporada de Fortnite? Então, não te esqueças de consultar estas páginas:

Fortnite Crew Outubro - recompensas, preço, como subscrever

Fortnite - Como obter o pack PS Plus Celebration

Campeonato PlayStation Fortnite - Datas, horários, como participar, recompensas


Em conjunto com uma qualidade gráfica impressionante (sim, na perspetiva de jogo as melhorias não são tão percetíveis, aqui as animações reinam, mas nas aproximações e repetições alguns momentos são sensacionais), a Hypermotion torna FIFA 22 num jogo claramente superior ao do ano passado. Isto porque o jogo fica mais natural, mais belo de ver em movimento, com uma redução dos momentos bizarros. Sim, o gameplay permanece muito familiar e ainda existem as fintas exageradas que as maiores vedetas podem realizar (aquele lado mais fantasioso em que os bonecos quase atiram FIFA para o tom arcada), mas as animações permitiram reforçar os guarda-redes (que ainda continuam a sofrer golos parvos) e os comportamentos defensivos. O botão de corte está mais eficaz e tudo isto beneficia com as animações novas que permitem novos comportamentos nos bonecos.

Com o VOLTA transformado num lado mais social e arcada de FIFA, com habilidades especiais e minijogos para qualquer pessoa pegar no comando e jogar, o futebol de rua tornou-se num lado ainda mais relaxado e alternativo em FIFA 22. Isto coloca ainda maior foco nos dois principais modos de jogo e acredito que existem boas notícias para adeptos de qualquer um deles, seja o Carreira ou Ultimate Team. Vamos por partes.

Modo Carreira refinado

O Modo Carreira foi finalmente refrescado com novas ideias e este será um dos melhores lados de FIFA 22, que prometem ajudar nas suas aspirações para se afirmar como a base para os próximos anos do futebol virtual. Se não queres passar o teu tempo dedicado a FUT, uma experiência viva e mais focada no lado competitivo online, onde és constantemente incentivado a obter mais carteiras para desbloquear novos jogadores e melhorar o teu plante, o Modo Carreira é inequivocamente o ponto de eleição para quem se quer focar numa experiência offline empolgante e possível de jogar ao seu próprio ritmo, sem aquele medo de "se não jogo hoje não consigo progredir na temporada e obter mais recompensas".

O Modo Carreira surge agora com mecânicas que parecem vindas de um RPG, incentivando-te a jogar melhor para cumprir objetivos, adquirir XP e melhorar os atributos do teu atleta ou treinador. Seja como mentor de um conjunto de futebolistas ou como um desses atletas que transpira em cada partida virtual que joga, terás objetivos a cumprir em cada jogo e a tua prestação definirá o estatuto do atleta. Dependendo do atleta que escolhes, poderás até começar os jogos no banco e terás somente uns 30 ou até 20 minutos para realizar os objetivos traçados pelo treinador. Alcançar uma certa pontuação mínima de performance geral, marcar golos, passar a bola ou vencer a partida são alguns dos exemplos. Se falhas o objetivo, perdes pontos e isto poderá colocar em causa a tua titularidade ou até lugar no banco.

Podes treinar o teu atleta para melhorar a sua pontuação, traçar objetivos enquanto treinador para alcançar metas e melhorar a tua reputação no clube ou simplesmente jogar o melhor que consegues para conquistar adeptos ou treinadores. Este novo design do Modo Carreira é refrescante e torna-o empolgante, algo que não acontece há anos, posicionando-o como a tal desejada alternativa ao FUT. Tem sido altamente divertido jogar com foco nos objetivos, o que frequentemente afeta o meu estilo de jogo, estabelecer planos de treino para melhorar atributos e qualidades específicas (como defesa, situações de bola parada ou remate) e acima de tudo sentir que existe toda uma experiência em torno do futebol no relvado que recria a vida real num formato jogável e empolgante pois a tua performance poderá traçar o teu destino no clube.

Começar como titular a pré-época para ser relegado a suplente nos primeiros jogos porque não cumpri todos os objetivos traçados pelo mister fez-me dedicar muito mais nos jogos. Isto porque cumprir objetivos dá pontos, mas não cumprir os objetivos tira pontos e isto cria uma mecânica interessante, no sentido em que não chega cumprir os objetivos mais convenientes.

FUT e a adrenalina de uma experiência viva sustentada pela realidade

Reza a lenda que não te podes divertir com FIFA sem esbanjar dinheiro adicional em carteirinhas virtuais, mas a EA Sports fez imensos esforços para assegurar que isso não é exatamente verdadeiro. O modo VOLTA assumiu um novo papel, o modo Carreira recebeu novidades que o tornam muito mais empolgante, mas o FUT já se tornou na face da série FIFA e é fácil perceber o porquê. Apesar da polémica em torno da manipulação para incentivar o gasto de dinheiro real, FUT 22 revela mais uma vez o efeito da adrenalina de uma experiência que simula o colecionar de cromos de uma caderneta num formato vivo e competitivo, com suporte na vida real.

Nenhum outro modo te consegue conferir a satisfação da experiência viva de FUT, onde agora as recompensas foram ligeiramente melhoradas e os requisitos semanais e de temporada ligeiramente reduzidos. FIFA 22 não é uma revolução, é um jogo de continuidade e o FUT evidenciará facilmente isso. O reforço da vertente social e amigável, que permitem personalizar facilmente estádio e jogar com amigos ajuda imenso a relaxar, mas será sempre um modo especialmente competitivo e vivo, jogado meses a fio para tentar obter os melhores cromos. É possível jogar FUT sem gastar qualquer dinheiro extra, mas ainda permanece verdade que com dinheiro real chegas mais rápido ao teu objetivo.

O FUT está desenhado para te agarrar, fazer-te jogar todos os dias e desejar as melhores cartas para triunfar perante os adversários online. Com FUT Points (comprados com dinheiro real), podes obter mais carteirinhas e aumentar a probabilidade de sair um jogador de Ouro ou Ouro Raro, aumentando o número de futebolistas com médias gerais acima dos 80. A versão fornecida pela EA chegou acompanhada por mais de 4 mil FIFA Points (cerca de 30 euros em moeda real), o que permitiu criar uma equipa de atletas que atuam na Premier League e disputar modos como Squad Battles ou Fut Rivals para obter mais recompensas, como as FUT Coins e com 7.500 mil comprar mais uma carteirinha com jogadores de Ouro. Com esta ajuda, consegui criar mais rapidamente uma equipa que me permite ganhar jogos numa dificuldade superior e enfrentar outros adversários online.

No entanto, as recompensas e as FUT Coins ganhas ao jogar também me permitiram entrar no Mercado de Transferências e comprar jogadores por preços interessantes, para reforçar ainda mais a equipa. Desta forma, tens efetivamente duas formas de construir um plantel e uma delas não envolve gastar mais dinheiro, mas sim passar mais tempo no mercado de transferências e demorar mais tempo a conseguir os desejados Ouro de 80+. O início da temporada está a ser marcado por um maior ritmo de recompensas capazes de melhorar o plantel e isto torna a experiência FUT mais satisfatória. Com as FUT Coins ganhas ao jogar durante a semana, ao invés de uma nova carteirinha, comprei um novo jogador por um preço incrível e senti que o tempo dedicado a FUT mais do que recompensou. Além disso, tens ainda os preview packs, cujos conteúdos podes ver antes de comprar e se não quiseres comprar, tens de esperar 24 horas por um novo. Sim, a probabilidade de sair um Ouro Raro ou carta da Equipa da Semana continua deprimente, mas pelo menos foram feitos esforços para melhorar a situação.

Uma nova era com cheiro familiar

FIFA 22 é posicionado como o primeiro passo em direção a uma nova era na série da EA Sports e, como já é habitual, à primeira vista será fácil criticar que tudo parece igual. No entanto, apesar do ritmo anual certamente ter impacto na quantidade de novidades possíveis de inserir num novo jogo, a EA Sports mostra como a Hypermotion permitiu melhorias nas animações para um futebol menos robotizado e como foram aplicados ajustes nas mecânicas de forma a procurar um novo ritmo de jogo, um exemplo é o reforço dos comportamentos defensivos. FIFA 22 permite a qualquer um explorar o seu futebol de fantasia e dar asas à sua interpretação de como estes atletas são melhor usados e apesar dos toques acrobáticos destruírem parte da ilusão de requinte realista que a EA Sports deseja criar, a verdade é que é um jogo divertido para os adeptos da modalidade onde são reveladas melhorias nos dois principais modos de jogo, indo de encontro ao que a comunidade pedia.

Prós: Contras:
  • Momentos visuais de grande gabarito
  • Modo Carreira foi refrescado com boas novidades
  • A Hypermotion permite melhorias importantes nas animações
  • Gameplay familiar, mas com ajustes e refinamentos que poderão forçar novos comportamentos
  • Loadings praticamente inexistentes nas consolas de nova geração (3 segundos do menu ao início do jogo)
  • Minijogos VOLTA Arcade são divertidos para qualquer tipo de jogador
  • Futebol fluído e fácil de jogar, mas capaz de recompensar os mais dedicados
  • Ocasionais bugs visuais
  • Fintas e acrobacias continuam a ridicularizar por completo a restante gameplay

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (11)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Recomendado | F1 2021 - Review - O duelo

Às portas de uma nova geração de monolugares

Olympic Games Tokyo 2020 - Review - Chama arcade

A súmula de um grande evento desportivo.

Recomendado | MLB: The Show 21 review - Make it major

Simulação incrivelmente aprofundada e divertida.

Também no site...

Comentários (11)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários