Otimizar para a Xbox Series S não é tão simples quanto baixar a resolução ou texturas, assegura a Remedy

Diz que a consola menos poderosa acaba por ditar algumas coisas.

A chegada de novas consolas às lojas significa muita diversão, mas também muita conversa sobre especificações e a competência dos diversos estúdios na abordagem a cada sistema nos seus jogos.

Numa conversa com o IGN sobre o arranque desta mais recente geração de consolas, Thomas Puha, responsável pelas comunicações na Remedy Entertainment, explicou que as coisas não são tão simples quanto muitos jogadores pensam e que existem parâmetros a considerar na otimização para a Xbox Series S.

"A Xbox Series S, bem, não é diferente de anteriores gerações onde o sistema com as especificações inferiores acaba por ditar algumas das coisas que vais fazer, pois terás de correr o jogo nesse sistema, certo? É muito fácil dizer que simplesmente baixas a resolução e a qualidade das texturas e está feito, não é nem de longe tão simples."

"Soa bem quando o dizes, mas todos os motores são construídos de forma diferente. É outra coisa quando os jogadores podem pensar, 'Este motor faz todas as estas coisas!', bem, isso depende. Estás a criar um motor muito mais orientado para a GPU ou para a CPU? Por qual vais puxar mais? Bem, puxámos pelas duas em Control pois temos imensas físicas, mas depois temos muitos efeitos de rastreio de raios. Faz uma enorme, enorme diferença, especialmente na Xbox Series S."

No entanto, Puha diz que será mais fácil criar um jogo de raiz para a nova geração do que adaptar um jogo já existente, uma vez que o novo projeto já terá em conta as especificidades de cada consola.

"Agradecemos que exista uma barreira inferior para aceder a uma experiência de ação na Xbox Series S, mas quanto mais hardware tens, mais terás de comprometer um pouco quando és um estúdio mais pequeno como nós, onde simplesmente não podemos passar tanto tempo a assegurar que todas estas plataformas estão super boas. Claro, tens de fazer isso, mas existe uma diferença entre fazer isso pois consome imensos recursos, não apenas na engenharia, mas também no controlo de qualidade, a enorme sobrecarga no controlo de qualidade para testar tantas plataformas diferentes."

Após Control Ultimate Edition, a Remedy prepara vários projetos e um deles, CrossFire X está a ser desenvolvido como exclusivo Xbox.

Salta para os comentários (66)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (66)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários