Tekken Tag Tournament 2 - Entrevista

Falámos com Katsuhiro Harada durante a E3.

Durante a nossa estadia na E3, concederam-nos uma entrevista exclusiva a Katsuhiro Harada, o senhor Tekken em pessoa. Apesar de termos provocado um pouco o senhor Harada com questões relativas ao género em geral e ao "escondido" Tekken vs Street Fighter, o tema principal foi mesmo Tekken Tag Tournament 2, a próxima entrada na adorada série a cargo da Namco Bandai. O sucessor do jogo de 1999 Tekken Tag Tournament promete convidar novos jogadores para a franquia, enquanto agrada aos já veteranos por elevar o multijogador para outros patamares. Fiquem com a entrevista:

Eurogamer Portugal: Boa tare, deixe-me começar por dizer que é uma honra conhece-lo, e começaria por lhe perguntar porquê Tekken Tag Tournament 2 e não Tekken 7?

Katsuhiro Harada: Bom, é interessante me perguntar isso, porque das últimas vezes quando fizemos o Tekken 4, 5 e 6, as pessoas perguntavam sempre, para quando o próximo Tekken Tag Tournament? De certa forma até é mais fácil desenvolver os Tekken normais por causa do que Tag Tournament requer tecnologicamente, do desfio que representa. Neste momento julgamos ser a altura certa para dar descanso à franquia na sua vertente 1 contra 1.

1
Aníbal vs Harada.

Eurogamer Portugal: Pegando um pouco na sua resposta, o que é que Tag Tournament oferece de novo em termos de gameplay?

Katsuhiro Harada: Bom, é muita coisa para o tempo disponível. Mas para lhe dar um resumo das mudanças em relação ao primeiro título, a maior diferença é a possibilidade de termos quatro personagens ao mesmo tempo no ecrã, isto não estava sequer disponível no primeiro Tag.

Como resultado disto, obviamente pudemos adicionar várias mecânicas novas, uma será o "tag assault", que significa que vais poder coordenar combos no teu oponente a qualquer altura. Ele também vai poder saltar para te assistir quando tiveres numa situação de aperto com o "co tag crash".

Mas também as regras do jogo propriamente ditas, sendo um "tag game", além do óbvio 2v2, ou 1v1 se não quiserem utilizar duas personagens, vão poder fazer combates de 1v2, que é algo único nos jogos de luta. Se tivermos quatro comandos podemos jogar com quatro pessoas da forma que escolhermos, dependendo de como queres enfrentar os teus amigos.

Os modos online também foram melhorados, um modo que sobressai é o "fight lab", e isto é único nestes jogos, porque foi desenhado para apelar aos vários tipos de jogadores, novos ou veteranos. Os novos terão a oportunidade de aprender com uma série de mini jogos que vão aumentando de exigência, educando-os enquanto jogadores. Adicionalmente, oferecerão informações que servem como "pano de fundo" sobre a história da série.

Claro que os jogadores avançados julgarão os mini jogos divertidos também, mas a personalização de técnicas será a principal razão para jogarem lá. Basicamente à medida que vão progredindo neste modo, vão tendo acesso a várias técnicas, depois, podem pegar por exemplo numa de Nina, ou Heiachi, ou Paul, e personalizar o Combot (personagem de treino) como quiserem, e utilizá-lo tanto a solo como multijogador e online.

Eurogamer Portugal: Podemos esperar uma versão para Vita ou para a nova Wii U?

Katsuhiro Harada: Quanto à Vita, devido ao facto de ser uma portátil e a seu poder de memória não ter o mesmo nível das consolas principais, é difícil fazer um "port" apropriado de Tekken Tag Tournament 2, que é muito intensivo nessa área. Então não temos isso no horizonte de momento.

Em relação à Wii U, temos sim uma versão planeada para esse hardware, não conseguimos falar de uma possível data de lançamento ainda, mas o jogo começa a ganhar forma, e quando conseguirmos disponibilizaremos uma estimativa. Fará sim uso do novo hardware particular da consola, obviamente do comando que é bastante único naquele sistema.

Eurogamer Portugal: E em relação a Tekken vs Street Fighter, qual o estado dele?

Katsuhiro Harada: Bom, não nos esquecemos de Tekken vs Street Fighter, vamos continuar a trabalhar nele para o futuro. Tencionamos disponibilizar informação acerca dessa matéria mais para a frente, mas agora estamos concentrados em finalizar Tekken Tag Tournament 2, ainda nos restam alguns meses, e acreditamos que será uma obra-prima não só dentro da franquia, mas dos jogos de combate em geral. Esperamos que as pessoas olhem com atenção para este jogo primeiro.

Eurogamer Portugal: Gostava de ouvir a sua opinião acerca de conteúdo DLC em geral, mas também neste género em particular.

Katsuhiro Harada: Há muita discussão acesa sobre DLC, e julgo que as pessoas deveriam acalmar um pouco. Se pensares nisso, existem por exemplo o caso dos MMORPG online que frequentemente lançam conteúdo adicional, cobram por ele e isto é visto como uma prática aceite.

Adicionalmente, quando dizes DLC não tem necessariamente que ser pago, se for gratuito as pessoas não terão problema com isso. Nos jogos de luta, podemos falar de elementos fundamentais como são as personagens, níveis e técnicas. Nesses casos, julgo que não se deve cobrar, são coisas que não devem ser pagas, é a minha opinião pessoal.

"Acreditamos que será uma obra-prima não só dentro da franquia, mas dos jogos de combate em geral."

Eurogamer Portugal: E se eu lhe pedisse uma rápida previsão para o futuro do género?

Katsuhiro Harada: Os jogos de luta nasceram das arcadas, não havia o foco no online nessa altura. A arquitetura do género ainda continua fundada na mesma fórmula. Para o futuro, julgo que aumentará o desenvolvimento das características do online, ao ponto que os jogos serão montados desde início tendo em mente o online e tudo o que o envolve.

Outro ponto são os sistemas portáteis, incluindo coisas como o iPad, o desenvolvimento de funcionalidades que utilizem o ecrã táctil e assim. Outra possibilidade são os jogadores seniores, que não têm as mesmas capacidades de reflexo que os jogadores tradicionais, talvez algum tipo de género de jogo de luta que coloque o foco mais na leitura do oponente de um ponto de vista estratégico, e não seja tão dependente de reflexos rápidos e velocidade de execução.

Eurogamer Portugal: Muito obrigado senhor Harada.

Katsuhiro Harada: O prazer foi todo meu.

Publicidade

Salta para os comentários (3)

Sobre o Autor

Aníbal Gonçalves

Aníbal Gonçalves

Redator

MMOs e RPG são com o Aníbal. Aliás existe um rumor na redação que a sua primeira casa é o World of Warcraft. Mas às vezes também o vemos a fazer uns exercícios. Não é mau de todo.

Conteúdos relacionados

Também no site...

GRID terá modo com 40 carros no Stadia que não é possível noutro hardware

Codemasters fala ainda na ausência perceptível de latência.

Ghost Recon Breakpoint recebe actualização de 7GB repleta de correcções

Ubisoft ajusta ainda a stamina e corrige imensos bugs.

Free Fire é uma máquina de fazer dinheiro

Ultrapassou a marca de $1 mil milhões.

Comentários (3)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários