Siren: Blood Curse • Página 2

Está a chegar um novo terror!

No que toca ao som podem esperar muitos ruídos medonhos e sons propícios a aumentar a tensão. Nos momentos cruciais e de maior risco, sentimos o efeito sonoro de um coração a bater rapidamente até que a cena acabe e volte de novo o sossego.

A nível gráfico, este parece um jogo bastante contrastante, capaz do melhor, mas também do pior. Alguns elementos são recriados com uma apresentação bastante positiva, tornando os ambientes atraentes, detalhados e dando-lhes um alto interesse a nível de exploração. Os cenários são ricos em elementos que primam por nos fazer aquele sentimento de medo e ansiedade que normalmente procuramos neste tipo de jogos. Uma moleta aqui, um morto acolá! Ora uma piscina de sangue aqui e mais um Shibido ali ao lado a mostrar-nos a cara precisamente no momento em que olhamos para ele. Por outro lado, deparamos-nos com fracas texturas e por vezes um grafismo descuidado, dando a ideia de que toda a escuridão envolvente é utilizada como forma de tapar buracos. O jogo apresenta elementos típicos do Japão, que só por si lhe conferem um toque único e que são definitivamente um ponto de interesse para muitos jogadores.

livro
Este é apenas um dos arquivos que podem encontrar. As folhas do livro podem ser desfolhadas para uma melhor exploração.

O maior problema reside nos controlos, visto que são um pouco diferentes daquilo que costumamos ver em jogos controlados na terceira pessoa. O analógico esquerdo controla a movimentação da personagem, enquanto que o direito controla a lanterna que se encontra numa das mãos. No entanto a lanterna não serve de controlo auxiliar, pois através do analógico direito não é possível dar direcção à movimentação da personagem. Contudo, o maior problema que daí advém é a existência de uma curva de aprendizagem um pouco maior, pois com o hábito tudo parece normal.

Esta parece uma boa aposta, pecando apenas pelo facto de ser um remake, pelo que alguns jogadores já devem conhecer a história. O principal foco de interesse neste jogo será com certeza a estrutura episódica da série, que lhe confere assim um estatuto diferente, realçando-a em relação aos outros jogos que seguem uma tipologia já tida muitas vezes como obrigatória.

Siren tem data de lançamento agendada para algures entre os meses de Julho e Agosto.

Salta para os comentários (5)

Sobre o Autor

Ricardo Madeira

Ricardo Madeira

Colaborador

É redator e dá voz à Eurogamer Portugal. É um dos mais antigos membros da equipa, e ao mesmo tempo um dos mais novos. Confusos? É simples.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários