Para o diretor japonês de DmC Devil May Cry, Hideaki Itsuno da Capcom, existe uma diferença bem patente no desenvolvimento de jogos no Ocidente e Japão, tendo por base a sua experiência com a Ninja Theory.

Itsuno explicou ao Siliconera que a Ninja Theory "prefere concentrar-se no visual logo no começo e construir a jogabilidade depois", enquanto que na Capcom japonesa, "primeiro concentramo-nos na lógica do jogo e funcionamento dos sistemas no princípio, depois gradualmente construirmos os visuais."

Esta diferença entre filosofias de desenvolvimento colide em DmC Devil May Cry. Itsuno esclarece que "tem estado a tentar encontrar um sistema híbrido onde se aproveita o melhor dos dois mundos."

"Não tem sido fácil, mas estamos contentes com os resultados que temos," acrescentou ele.

Este novo Devil May Cry a cargo da Ninja Theory deixou os fãs da série bastante cépticos. Todas as dúvidas serão tiradas a limpo a 15 de janeiro de 2013, quando for lançado.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.