Os outros Mass Effect 3 que não jogaste

Descobre todas as decisões que não tomaste.

Aviso de Spoiler: A história de Mass Effect 3 está dividida em três atos, em que cada um deles apresenta na sua conclusão dilemas morais muito importantes. Na primeira parte deste artigo, falaremos sobre as escolhas realizadas até à chegada ao lar Krogran, Tuchanka. Na segunda parte detalhamos as que se encontram no final do segundo ato, na guerra entre os Geth e os Quarians. Na última secção falaremos sobre os diversos finais do jogo.

Mass Effect é uma saga que toma forma segundo as escolhas do jogador. Desde o género e orientação sexual do jogador, até ao destino das personagens mais importantes ou até de raças inteiras, a série nunca deixou de presentear o jogador com grandes decisões. Mass Effect 1 forçava os jogadores a sacrificar um membro do esquadrão no planeta Virmire, a decidir se eliminavam definitivamente a Raça Rachini e a executar ou poupar a vida do companheiro Wrex. No final de Mass Effect 2 foram ampliadas as opções e permitido que qualquer uma das personagens de uma equipa de 12 pessoas pudesse morrer.

Mass Effect 3 tem o invejável objetivo de continuar com esta história e conseguir que a sua história se encaixe no universo que criámos. Os novatos na séria vão descobrir que determinadas decisões foram criadas para eles!

Primeiro Ato: Tuchanka e a cura da "Genophage"

O final do primeiro ato gira em torno da "Genophage", uma arma que reduziu drasticamente a fertilidade dos guerreiros Krogan. Para ganharmos o seu apoio nesta batalha galáctica é essencial eliminá-la. São apresentadas duas opções a Shepard: arranjar uma cura ou sabotar a arma em segredo. A escolha desta última opção vai desencadear a fúria dos Krogan, mas satisfaz os criadores da mesma, os Salarians, e assegura-te o seu apoio.

A posição de Shepard na situação irá provavelmente custar a vida a uma de duas personagens principais: o líder Krogan Wrex ou Mordin, o Salarian de Mass Effect 2, uma peça chave no desenvolvimento da "Genophage".

Mordin é uma personagem complexa, que conta com uma das histórias mais interessantes e moralmente cinzentas. A "Genophage" ajudou a acabar com uma guerra entre os krogan e as restantes raças, que salvou muitas vidas à custa da esperança de uma espécie que não vislumbrava a possibilidade de florescer de novo no futuro. O jogo anterior mostrou-nos como Mordin começava a arrepender-se do seu trabalho depois de conhecer um antigo aluno seu, Maelon que fazia experiências aterrorizantes na busca de uma cura. Shepard encarregou-se de terminar com a carnificina que havia no laboratório de Maelon, mas tinha a opção de escolher entre salvar ou destruir a valiosa informação recolhida no local. Desta forma, se escolhermos ajudar Mordin em Mass Effect 3 e encontrarmos uma cura para a "Genophage", asseguramos o apoio dos Krogan, o que parece ser a melhor escolha moral. Mordin sacrificar-se-à no bombardeamento dos Reapers para se assegurar de que a cura é utilizada.

Shepard pode informar Mordin e Wrex (ou Wreav se o mataste em Mass Effect 1) sobre o plano de sabotagem salariano e assegurar-se assim de que a cura será utiliza com sucesso. Por outro lado, pode manter todo o assunto em segredo, ainda que Mordin acabe por mais tarde ou mais cedo denunciar o que se está a passar. Neste ponto, Shepard pode permitir que Mordin o denuncie e espalhe a cura, ou impedindo-o violentamente numa cena esmagadora. Os Krogan continuarão a acreditar que têm o teu apoio, até que Wrex descubra a tua traição e aí terás de o enfrentar e silenciá-lo da pior forma.

E logo aparece a terceira opção. Se o teu Shepard se mostrou sempre bastante receoso de que os krogan pudessem recuperar-se da "Genophage", podes escolher uma opção em que Mordin desiste, não é encontrada a cura e os demais sobrevivem. Tem em conta que esta opção só estará disponível se executaste Wrex no primeiro Mass Effect e se destruíste a informação de Maelon em Mass Effect 2, ou ainda se não escolheste completar uma missão prévia de Mass Effect 3, em que deverias desativar uma bomba. Qualquer uma destas últimas opções irão custar a vida de Eve, a mulher krogan que Mordin tem ajudado. Sem Wrex nem Eve, quem poderão ser os futuros líderes da raça krogan? Mordin não irá se fazer de rogado em seguir com a ideia de privar esta raça da liberdade.

Que escolha te parece melhor? Uma acaba com a morte de Mordin e o apoio dos Krogan, a outra com a morte de Wrex e o apoio dos Salarians, a terceira que parece ser a melhor, é a menos satisfatória no que diz respeito à história. Ao longo da missão irás viajar através das ruínas de antigas civilizações krogan, fundadas antes da raça ter descoberto as armas nucleares e de se aventurar pelo espaço, armada até aos dentes. Pela primeira vez, nesse mundo vais descobrir uma pequena zona cheia de erva que tenta florescer de novo. A metáfora não poderia ser mais clara!

Segundo Ato: Quarians e Geths

O segundo ato fala dos Geth, uma raça sintética que ousou revoltar-se contra os seus criadores, os Quarians. Os Geth assumiram o controlo do seu mundo e deixaram os Quarians como emigrantes, vivendo numa frota de barcos que necessita de uma busca constante de recursos. São geralmente marginalizados pelos seus vizinhos galácticos.

O desenlace do ato mostra como os quarians querem reclamar o seu lugar. Os geth aceitaram relutantemente a ajuda dos Reapers para assegurarem a sua própria sobrevivência, e como a missão de Shepard é lutar contra a presença destes, a situação irá deixá-los vulneráveis. A missão pode terminar com a destruição completa de cada raça, ou Shepard pode escolher uma terceira opção de forma a conseguir algum tipo de paz.

Com a base dos Reapers destruída, a Legião tentará sacrificar-se para conseguir uma cópia da tecnologia reaper e garantir assim uma defesa face aos ataques quarians, mas isso fará com que os geth eliminem os quarians por completo. Se escolheres ajudar a Legião, Tali se suicidará depois de ver como a sua espécie desaparece. Consequentemente, deixará naturalmente de formar parte da tua equipa.

Por outro lado, ficares do lado de Tali e dos Quarians fará com que a Legião termine atacando, e te vejas obrigado a matá-los enquanto o resto dos geths são exterminados pelos bombardeiros aéreos dos quarians.

Para negociar um cessar fogo, Shepard deve ter um bom nível de reputação e ter completado a maior parte das condições. Entre essas condições encontram-se as missões anteriores de ajuda aos Quarians e, numa delas, a escolha de salvar um almirante da sua equipa, que irá ajudar o protagonista. Tali, uma velha amiga, que deverá ter sobrevivido ao final de Mass Effect 2 (e também é importante ter completado a missão para teres ganho a sua lealdade em Mass Effect 2), terá a oportunidade de sair do exílio e transformar-se em almirante. Se não importares o teu percurso nos outros jogos, o jogo assumirá que é uma forasteira.

Alguns jogadores, mesmo cumprindo estes requisitos, não poderão desbloquear o diálogo que permite pedir o cessar-fogo devido ao facto de se estarem a decorrer outras decisões que afectam o desenlace. Se o conseguires, os quarians e os geths vão se unir a ti e duplicarão o teu apoio.

Terceiro Ato: Os finais de Mass Effect 3

As decisões que tomamos nos anteriores jogos da saga não alteraram por completo o mundo de Mass Effect com medo de que a ramificada narrativa ficasse fora de controlo. O final de Mass Effect não tem esse problema, mas cada um dos finais concluí a história de forma muito semelhante, com a exceção de ligeiras nuances.

Mass Effect 3 tem três finais possíveis, e cada um tem mais ou menos graça conforme a pontuação que tenhas atingido. Mas acabam por se basear todos no mesmo: os Reapers são vencidos, a Galáxia é salva e a "Normandy" acaba despenhada num planeta alienígena.

Após a luta em Crucible, a tua arma assassina, a inteligência Reaper levar-te-à até 3 opções, mais precisamente três caminho diferentes até ao teu destino final.

O primeiro, permitirá a Shepard tomar o controlo dos Reapers. No jogo apresenta-se como a opção rebelde, uma escolha representada por uma visão do Illusive Man, o principal antagonista humano da história. No caso de escolheres esta opção, a mente de Shepard fundir-se-à com a dos Reapers, anulando a sua forma física mas exigindo que se retirem. Sem qualquer impedimento, tal poder pode tornar-se numa ameaça e é mencionado em diversas ocasiões que uma responsabilidade tão grande não pode ser controlada por um único homem.

A segunda opção é destruir os Reapers. Esta revela-se como a opção de Virtude e representa uma visão do Capitão Anderson, que acaba de morrer às mãos do Illusive Man! Neste caso conseguirás acabar com os Reapers, mas também com todas as restantes IA, incluindo os geth e a encantadora consciência da tua nave, SID.

Ao longo de todo o jogo, a progressiva auto-consciência de SID foi um ponto fulcral da história, ao mesmo tempo que o caminho da Virtude ajudará aqueles jogadores que buscam a paz com os geth. Este é o único final em que Shepard terá alguma hipótese de sobreviver.

A outra opção - sacrificar Shepard para fundir a sua consciência com a tecnologia Reaper e reescrever o ADN da galáxia. Significa, essencialmente, que não haverá vida puramente orgânica nem puramente sintética: tudo passará a ser uma mescla das duas e o Reapers passarão à história.

É um pouco decepcionante que esta seja vista como a "melhor" opção, que se desbloqueia com uma maior pontuação que as anteriores. É deprimente que a única forma de que os dois lados de uma guerra possam sobreviver seja perdendo a sua própria individualidade, e parece passar a mensagem de que nunca seria possível conquistar a paz entre os dois lados.

Desta forma, a trilogia de Mass Effect termina com uma cena cinemática com a duração aproximada de dois minutos, em que a tua escolha se vê refletida na cor de uma onda de energia emitida pela "Crucible". A energia cobre a Terra e através da rede que se dispersa por toda a galáxia. Dependendo do final, a dita infraestrutura pode explodir, terminando com a opção de viajar rapidamente pela galáxia, e Citadel também pode desaparecer. Se tiveres uma pontuação muito elevada, os habitantes da Terra e os tripulantes da tua nave sobreviverão, algo que será mais fácil de conseguir se destruíste a base dos Recolectores em Mass Effect 2.

Talvez o mais adequado seja dizer-se que nenhum dos finais é completamente bom ou mau. A história de Mass Effect funciona melhor quando ao jogador se lhe confiam dilemas em que não haja uma resposta completamente correta ou incorreta. Mas a grande diferença em relação a outras questões oferecidas pela saga, é que estes não são muito diferentes entre si. Depois de uma trama com histórias tão díspares ao longo da trilogia, é certo que a BioWare sentiu que tinha o dever de alinhar os astros do universo de Mass Effect para o que quer que seja que aconteça de agora em diante.

Publicidade

Conteúdos relacionados

Senua's Saga: Hellblade II anunciado para a Xbox Series X

Trailer feito com o motor do jogo é impressionante.

Em P.T. controlas sempre Norman Reedus

Nova descoberta confirma mais uma curiosidade.

Também no site...

The Game Awards - Todas as novidades numa página

A Xbox Series X, os vencedores, jogos PS5 e mais.

Sekiro nomeado o Jogo do Ano nos Game Awards 2019

Disco Elysium foi um dos grandes nomes da noite.

Microsoft promete 8K e até 120 fps na Xbox Series X

"Um novo nível de desempenho nunca antes visto numa consola".

The Wolf Among Us 2 está vivo

O projecto foi ressuscitado.

Comentários (13)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários