Eurogamer.pt

Digital Foundry - Visuais com bugs afectam a impressionante actualização Xbox One X de Quantum Break

Grande aumento na resolução e melhor performance - mas os problemas visuais incomodam.

De todas as actualizações Xbox One X que testamos na fase de antevisão, Quantum Break foi uma das mais intrigantes. Permitia escolher 1080p ou 4K - ambas muito superiores à 720p da Xbox One base - com detalhes adicionais. Visualmente, oferecia uma diferença incrível sobre a versão existente, ficando mais perto da versão PC em equipamento de média a alta gama. Mas havia um problema - a performance. Na versão final, esses problemas no rácio de fotogramas não incomodam, mas agora existem bugs visuais que te distraem.

Quantum Break é um jogo muito importante, a consola mais poderosa permite que um dos mais impressionantes exclusivos da Microsoft fique mais perto do seu potencial. O jogo da Remedy é um dos jogos de consola mais exigentes em termos de tecnologia, apresentando iluminação global em tempo real e uma cadência de efeitos brilhante, usados através da brilhante mecânica de manipulação do tempo. Combinado com tiroteios em câmara lenta e uma banda sonora poderosa, Quantum Break é espectacular.

A X oferece a oportunidade de libertar o jogo das amarras da Xbox One base e consegue-o com sucesso. No código de antevisão encontramos 1440p convertida para perto de 4K graças à técnica de filtro temporal da Remedy, mas com problemas para conseguir 30fps fixos, o jogo perdia fotogramas frequentemente e apresentava screen-tear. Parecia que o modo 1080p melhorava a performance e oferecia na mesma uma melhor qualidade de imagem.

Eis Quantum Break Xbox One X. Vamos esperar que os problemas sejam corrigidos.

O jogo usa uma abordagem diferente na versão final - que pode estar a causar problemas na apresentação. A opção 1080p na versão de antevisão desapareceu, sugerindo que não é mais preciso um modo de performance em resolução inferior. O rácio de fotogramas está basicamente fixo nos 30fps. Além disso, a apresentação a 1440p e a conversão temporal permanecem. Não é 4K nativa, mas aguenta-se bem o suficiente num ecrã UHD.

No entanto, existem outros acertos, não vistos na versão de antevisão ou nas versões originais. A técnica de reconstrução temporal parece diferente, algumas arestas apresentam o que parecem ser vestígios da checkerboarding. Também existem sinais que sugerem que parte da cadência da imagem operam numa resolução inferior - vimos algumas arestas afectadas pelo campo de profundidade que são geradas a um quarto da resolução, algo que não acontecia na versão de antevisão.

Os resultados são na mesma similares o suficiente em movimento para se tornar num problema e temos o grande aumento na resolução, por isso, a apresentação é muito mais limpa do que na Xbox One base. O problema é que as mudanças feitas ao jogo desde que o vimos resultaram em problemas sérios que afectam de forma dramática a qualidade de imagem. Muitas superfícies exibem ruído visual que incomoda e trepidação que estraga a estabilidade da imagem.

Xbox One XXbox One

O aumento na resolução transforma o aspecto do jogo. Está mais nítido e o filtro de texturas está melhorado.

Xbox One X Pre-ReleaseXbox One X

Infelizmente, existem bugs visuais introduzidos com a actualização.

Xbox One XXbox One

A oclusão ambiental também foi alterada, o que pode estar relacionado com os bugs visuais.

Xbox One X Pre-ReleaseXbox One X

Certas funcionalidades da renderização estão inferiores na versão final. Isto pode resultar em arestas com menos pixeis devido ao uso de campo de profundidade a um quarto da resolução.

Parece que a passagem da oclusão ambiental na cadência de renderização é parte do problema. Na sua forma original, o efeito era instável, com ruído visual, mas agora parece estragado em várias cenas da X. Algo correu mal. Mas não acaba aqui. Existem áreas onde podes ver alguma da geometria básica - vértices visíveis por cima da imagem. Não sabemos a qual passagem estas grelhas de triângulos se aplicam, mas não deveriam ser visíveis.

Estes dois problemas visuais incomodam e não estavam no código que testamos. É algo do qual os fãs falaram e não passou despercebido. Alguns acreditam que é um problema relacionado com a dashboard, outros dizem que é um bug relacionado com o jogo, algo que terá de ser corrigido. Estas falhas incomodam menos quando sais para fora dos edifícios na universidade. É principalmente nos laboratórios, algo em grande quantidade no jogo, que o efeito surge no seu pior.

Se olharmos além disto, o resto permanece ao nível do que vimos no evento de acesso antecipado. Os níveis de distância de detalhe estão melhorados e o filtro de texturas também. A imagem geral está muito mais perto da versão PC com definições de detalhe superiores - apenas sofre com aqueles bugs.

Quantum Break na Xbox One base. Adoramos o jogo e a sua tecnologia - eis o porquê.

É pena ter estes problemas visuais pois o jogo tem um aspecto incrível. Quantum Break é um jogo que sofre com a resolução 720p na Xbox One original, o aumento de 4x no número de pixeis faz uma grande diferença. Apesar do modo 1080p nativa ter desaparecido, quem jogar em ecrãs full HD beneficia com downsampling. Tendo em conta que não é 4K nativa, até pode ter melhor aspecto aí.

Zelda Breath of the Wild: Locais das Memórias Perdidas Zelda Breath of the Wild: Locais das Memórias Perdidas

Acreditamos que estes problemas podem ser resultado do esforço por melhor performance e neste aspecto, é um sucesso. Os nossos testes na versão de antevisão exibiram problemas no início do jogo e ficamos preocupados com as cenas mais à frente. No entanto, o código Xbox One X tem slowdowns e tearing mínimos, após testar várias cenas exigentes, as optimizações mostraram que valem a pena - corre muito bem e está a par do jogo na Xbox One original.

A resolução é superior, o filtro de texturas foi melhorado, tal como o detalhe, e o rácio de fotogramas está estável. Isto resulta num jogo que tem melhor aspecto e se joga melhor do que na Xbox One original. Os bugs visuais inferiorizam a experiência e não fazem parte dela - como passaram pela fase de testes é um mistério, são muito óbvios. Esperamos que a Microsoft resolva isto pois Quantum Break é um jogo muito fixe e merece o cuidado extra.

Publicidade

Comentários (73)

Criar uma nova conta

OU