Skip to main content

Digital Foundry vs. PlayStation Vita

Análise aprofundada da mais recente portátil da Sony.

Investigando o Sistema Operativo da Vita e aplicações

Com uma posição de retrospetiva ao produzir o Xross Media Bar para a PlayStation 3, a Sony decidiu incluir troféu, cross-game party chat, bandas sonoras personalizadas e multi-tarefas desde o início com a Vita. Depois de um tutorial em vídeo breve que mostra os básicos da navegação no SO, é-vos dado um ecrã preenchido com botões flutuantes representando as várias aplicações e jogos que descarregaram. Apenas com os controlos táteis, podem virar as páginas para cima e para baixo, e ao abrir qualquer uma destas aplicações é mostrado um grande post-it na direita onde podem escolher iniciá-la ao carregar no centro, ou fechá-la novamente ao fazerem um movimento do canto superior direito para o centro.

A barra de cima lista todas as aplicações abertas, com a RAM, a ser, aparentemente, suficiente para poder abrir estas aplicações enquanto jogas. Os menus têm uma boa resposta e raramente caem em termos de frames durante as transições.

Então, botões e novas post-it: pode faltar um tema mais abrangente, mas é tudo muito simples e intuitivo de usar, com os controlos táteis a exigirem apenas um delicado movimento para trocar entre localizações. Quando às multi-tarefas, podem ter qualquer número de aplicações de origem abertas a qualquer momento, incluindo Party, PS Store, Near, Amigos, Mensagem em Grupo e Troféus, com cada nota sucessiva post-it a ser adicionada à direita. Surpreendentemente, cada uma destas consegue correr no fundo enquanto jogam qualquer jogo, e um toque no botão PlayStation é tudo o que é preciso para regressarem ao SO. Estas transições têm lugar instantaneamente, e sem qualquer "gagueira" ou penalização no desempenho, com a única exceção de alguns slowdowns de último minuto com o Near.

Ao carregar o botão PlayStation durante um segundo a mais acede-se ao painel de controlo do SO. São reveladas opções para brilho, banda sonora personalizada, microfone e instalações para o party chat, das quais todas são suportadas em todos os jogos, e pela nossa experiência não afeta o desempenho durante o decorrer do próprio jogo.

Captura de imagens é outra característica que é suportada nativamente para a maioria dos jogos, e o Uncharted até pede para a usarem. Ao carregar simplesmente nos botões PlayStation e Start ao mesmo tempo causa uma pausa momentânea enquanto o frame é convertido num ficheiro JPEG, que mais tarde pode ser acedido ou transferido para PC na aplicação Content Manager. Contudo, existem algumas falhas que se destacaram, com a primeira a ser que o jogo que estão a jogar pode não pausar para vocês - e se o fizer, correm o risco de capturar uma imagem no menu da pausa. Para além disto, alguns produtores irritantemente desativaram a função, com Ultimate Marvel vs Capcom 3 a ser um exemplo. Portanto, o vosso raio de ação pode variar em cada jogo, mas é uma adição bem vinda, e a habilidade de partilhar media da Vita diretamente para a Internet é um excelente pormenor.

Um olhar nas definições do menu principal confirma que não existe uma facilidade para Bluetooth tethering desta vez. Esta ligação permitia aos utilizadores da PSPgo aproveitar a ligação 3G ou HSDPA dos seus telemóveis, e é triste ver a opção excluída. Contudo, muitos dos atuais telemóveis, como o iPhone 4S e Samsung Galaxy S2, permitem tethering através de Wi-Fi. Isto levanta um ponto interessante. A Vita não substitui o vosso telemóvel, e se o vosso telemóvel suporta tethering Wi-Fi, torna o preço mais elevado da Vita 3G sem sentido.

Uma das aplicações mais intrigantes na Vita, o Near regista a tua atividade por marcar os jogos que jogas em termos geográficos, e também procura por outros utilizadores Vita.

Existem benefícios na ligação a uma rede 3G, como funções multijogador assíncronas em jogos enquanto se deslocam, incluindo leaderboards, bem como dar a aplicações como o Near de seguir a vossa localização. Os troféus também podem ser sincronizados desta forma, com os troféus da Vita a serem acumulativos com aqueles na PS3. Nesta nota, vale a pena mencionar que podem conectar a mesma conta PSN na PS3 e Vita simultaneamente, o que dá algum espaço para respirar quando as duas poderão estar ligadas.

Near é talvez a adição mais única às muitas aplicações pré-instaladas disponíveis, e essencialmente serve como um log que segue três coisas: o progresso nos jogos, o tempo e distância viajada num dia, e os outros utilizadores da Vita que estiveram próximos de vocês. É o equivalente da Sony ao SpotPass da 3DS, embora o potencial para a conexão via 3G a torne numa proposta mais atraente para quem viaja regularmente.

"A captura de imagens é outra das funcionalidades suportadas na maioria dos jogos. Carrega simplesmente no botão PlayStation e Start em conjunto e capturas o atual frame para o memory card no formato de ficheiro JPEG."

Ao olhar para as outras aplicações, sentimos que uma grande parte delas poderiam potencialmente ter sido combinadas para uma experiência mais dinâmica. Em particular, as aplicações Party, Amigos, Mensagem em Grupo e Troféus dependem de interação entre utilizadores, e então, pelo bem da acessibilidade, deveriam estar contidas dentro do mesmo grupo. Isto é suavizado devido à facilidade com que elas abrem através do SO, e poder tê-las todas abertas ao mesmo tempo durante jogo é um alívio, mas ainda assim é talvez uma oportunidade perdida.

Em termos individuais as aplicações sociais da Vita funcionam bem, mas muitas delas poderiam estar integradas entre si para formarem uma aplicação social mais abrangente.

Media Playback

No lado da media, existem aplicações individuais dedicadas à reprodução de música, imagens e vídeo, com a qualidade da reprodução de vídeo a ser particularmente marcante, em grande parte devido ao ecrã de grande qualidade. A Vita descodifica ficheiros 720p MP4 e faz o downscale para que se adaptem à sua resolução sem qualquer problema ou artefacto notável, embora os prometidos ficheiros de resolução 1080p permaneçam sem suporte. Quando aos formatos, a reprodução está bastante limitada, com formatos populares como AVI e MKV a recusarem-se a serem transferidos para a consola. Um pouco desapontante, mas isto poderá mudar com atualizações firmware futuras.

Ao abrir a aplicação de fotos dá-vos controlo de qualquer uma das câmaras 640x480 da Vita, localizadas na traseira e frente da consola - nenhuma oferece especialmente uma boa qualidade de imagem. Como um bónus para diversão em jogos como o inspirado no WarioWare Frobisher Says! certamente servem o propósito, com um mini-jogo pateta a encorajar-vos a sorrir para obter pontos, enquanto jogos como WipEout 2048 a usar essas câmaras para tirar fotos antes das corridas ao vosso avatar (caso aceitem). A granulação das imagem torna impossível usar as câmaras em quartos escuros, mas câmeras de grande fidelidade com lentes de qualidade são dificilmente a expectativa para consolas de jogos portáteis - afinal, é apenas um um pouco de diversão.

Qualquer vídeo, fotos ou imagens in-game podem ser vistos em scroll no Content Manager, uma plataforma de media que também faz ligação com o PC e PS3. Infelizmente, não existe forma de arrastar e largar ficheiros diretamente do PC, com a Sony a forçar que instalem um programa cliente antes da sincronização seja possível. No lado positivo, é razoavelmente leve devido ao facto de que todas as ações de transferência tenham lugar na Vita. Com esta aplicação podem ainda fazer o back-up individual de qualquer jogo e aplicações, ou até de todos os conteúdos do cartão de memória. Pode ser um processo lento, descobrimos que 10GB de dados demoraram cerca de 40 minutos a serem transferidos.

Navegador de Internet

"Felizmente a descodifica ficheiros 720p MP4 e diminui a resolução para poderem caber na resolução sem que qualquer aborrecimento ou artefacto percetível, embora os ficheiros a 1080p prometido continuem sem suporte."

Dito cruamente, a experiência oferecida pelo browser não é aquilo que precisa de ser, com a Sony a usar novamente o sub-ótimo software da NetFront que não assentou particularmente bem na PS3. As páginas não carregam tão rápido como gostaríamos, com um padrão de verificação a substituir o fundo por um segundo na página PlayStation sempre que arrastávamos o ecrã na direção de novos conteúdos.

Para piorar a situação, a Adobe parece relutante em oferecer suporte Flash, embora o líder da Sony's Division Two software development, Muneki Shimada, tenha afirmado que continuam a tentar conseguir uma colaboração. Outra má notícia é que esta é uma das poucas aplicações pré-instaladas que não é suportada enquanto um jogo está a correr, tornando-a inútil para um FAQ rápido se estiverem empancados algures num jogo - suspeitamos que simplesmente necessita de muita RAM para operar juntamente com os jogos.

A navegação web pelo ecrã sensível ao toque é muito funcional, mas as páginas levam demasiado tempo para fazer scroll em sites grandes, fazendo com que a experiência seja mais um teste à paciência. A falta de um plugin Flash deitas as coisas para baixo.

Mas será que existe potencial na aplicação? Sim, assim que ultrapassarem as desilusões, tudo em redor da funcionalidade do navegador da Internet está acertado. Embora a maioria das mãos tenham que se esticar para chegar ao meio do teclado virtual dado o tamanho da unidade, os botões respondem imediatamente e carregar num link raramente resulta numa interpretação errada. Ainda, assim que as páginas carregam, o texto e as imagens têm um visual nítido e claro. Esta é a área em que há maior necessidade de melhoramento, especialmente visto que poderia completar o lado dedicado aos jogos da Vita.

Contudo, contra os navegadores encontrados nos dispositivos Android e iOS, é difícil evitar a conclusão que a Vita fica abaixo do esperado numa peça central do software que talvez deveria ter recebido mais atenção.