Skip to main content

Digital Foundry vs. PlayStation Vita

Análise aprofundada da mais recente portátil da Sony.

Retrocompatibilidade

Embora o UMD da PSP tenha sido retirado, a Vita herda o máximo de património que consegue através de emulação de cópias digitais descarregadas da PSN Store. Todos os jogos da PSP são suportados através de um impressionante emulador (tão impressionante de facto, que os hackers conseguiram correr um código não-oficial através de um exploit existente na PSP), com cada pixel da resolução original de 480x272 a ser representado por quatro no ecrã de quadrupla resolução da Vita. Isto resulta num upscale direto que deixa a qualidade de imagem nos jogos 3D intacta, e de facto, melhorada como um resultado do uso de um ecrã de maior qualidade sem "fantasmas" ou scanlines, que eram evidentes nos ecrãs iniciais da PSP. O mesmo não pode ser dito para jogos em 2D ou pequenos textos (particularmente kanji) que são deformados pelo processo - embora os caracteres a negrito romanizados permaneçam legíveis.

A emulação vem com opções para filtragem de ecrã completo e uma opção para a gama de cores da PSP. Estes controlos podem ser acedidos ao pressionar com um dedo contra o ecrã durante um segundo, que também revela opções de mapeamento para o analógico direito e um botão para a câmara. Pusemos isto a teste com Metal Gear Solid: Peace Walker para ver se faziam alguma diferença visível na qualidade da imagem. Infelizmente, imagens diretas não podem ser tiradas durante jogos PSP (porquê?), por isso tivemos recorrer a um pequeno trabalho de câmara para mostrar as diferenças.

Uma grande forma de revisitar antigos favoritos na consola; jogos 3D como Metal Gear Solid: Peace Walker beneficiam muito da opção de personalizar os controlos e do grande ecrã OLED. Nestas imagens, vêm o jogo a correr numa PSP-2000 (no topo esquerdo), Vita (no topo direito), o filtro da Vita ativado (em baixo à esquerda) e finalmente em baixo na direito está uma imagem das opções de emulação da PSP.

"Durante a emulação, os controlos da PSP estão exatamente como esperávamos, e ainda existe a possibilidade de podermos usar o analógico da direita para imitar o aspeto dos quatro botõe4s, o d-pad ou o analógico da esquerda - muito bom para jogos tais como Metal Gear Solid: Peace Walker."

Geralmente falando vemos a suavização da imagem filtrada como uma melhoria, com o aliasing nas bordas retas a tornar-se menos saliente, embora esta definição também aumente o borrão dos elementos 2D. Como uma troca, parece valer a pena, mas recomendamos experimentar, e aplicar definições por cada jogo. Entretanto, a opção para a gama de cores da PSP é ineficaz em Peace Walker, possivelmente porque o jogo não suporta a maior gama de cores da PSP-3000 ou PSPgo.

Os controlos funcionam exatamente como o esperado, e existem ainda opções que permitem ao analógico da direita em substituir os quatro botões, o d-pad e até mesmo o analógico da esquerda. Isto quer dizer que os controlos da câmara em Peace Walker é possível sem recorrermos à temida posição de garra com a mão - a ressalva aqui é que as instruções são mapeadas estritamente de forma digital e é assim propenso ficar meio estranho se o segurares por muito tempo. Para remediar esta situação, colocamos a sensibilidade da câmara para o nível um no menu de Peace Walker, provocando um grande melhoria na jogabilidade em geral.

Atualmente nenhum jogo da PS1 ou Turbografx é suportado, mas imaginamos que o PlayStation Suite possa servir como um conduto para esses títulos caso a PSN Store falhe na entrega. Como um primeiro passo,a emulação da PSP mostra sinais encorajadores, com benefícios de controlos melhorados (maioritariamente) e qualidade de imagem superior a serem razões suficientes para revisitar os vossos jogos PSP favoritos, caso tenham uma cópia digital.

Troca de contas

A boa notícia é que a PlayStation Vita é region-free. Contudo, existe um "mas" no que toca aos conteúdos descarregáveis e é grande: apenas uma conta é permitida ser ativada na consola a qualquer momento. O que isto significa é que os jogos japoneses apenas funcionarão quando a correspondente conta japonesa estiver ligada, e o mesmo aconteceu com qualquer outra conta. De facto, nem vos deixa transferir este conteúdo para a PS3 a não ser que as PSN IDs combinem (embora uma vez que um jogo esteja no sistema, ficará aí independentemente da conta que estiverem a usar).

Isto é um óbvio passo para trás em relação à PSP, que permitia a troca de contas PSN a qualquer altura desde que tivessem acesso à Internet para fazer login. O mesmo resultado pode ser alcançado na Vita, mas envolve restaurar o sistema nas definições para tal, o que torna o processo muito menos conveniente e mais demorado.

Recomendamos que façam com cautela a troca de contas, e tenham a certeza que têm cópias de segurança por via da app Content Manager. Todo o processo não leva muito tempo, mas uma solução mais elegante deverá ser disponibilizada.

Para aqueles que têm multi-contas, a troca demora mais ou menos 10 minutos para ficar completa. Isto envolve ir ao menu de Definições, selecionar em Formatar, e carregar em 'Restaurar o Sistema Vita'. Nessa altura será pedido para desativares a tua atual conta associada à Vita, e então apagar a informação do sistema, as quais terás que aceitar ambas. Serás então perguntado se queres voltar a formatar o memory card, o qual poderá ser recusado sem nenhuma repercussão. Assim a Vita inicia-se sozinha, e quando voltar a ligar pergunta-te para ligares a internet e introduzir a definições da tua nova conta da PSN. Serás obrigado a ver um vídeo de introdução que não poderás avançar, e quando voltares ao ecrã do Home, todos os teus jogos anteriores e aplicações estarão intactas.

De um ponto de vista de processamento bruto, o hardware é capaz de providenciar gráficos que fiquem entre a PS2 e PS3 (embora muito mais próximo da última), enquanto é capaz de fazer múltiplas tarefas sem esforço em aplicações sociais."

Missão cumprida... depois de um bocado, mas as conclusões que tiramos desta hilaridade dão que pensar: A Sony não quer que sejamos capazes de descarregar conteúdos como demos de outros territórios (que é o que acontece com a PS3), e ainda mais irritante é que "sugere fortemente" que jogadores que vivem na mesma casa, com as suas contas PSN individuais e Troféus, devem comprar as suas próprias Vitas em vez de partilhar.

PlayStation Vita: O Veredicto do Digital Foundry

Com todas as suas características e métodos de controlo, a PlayStation Vita é um pacote completo. Em retrospetiva, adições como o ecrã multi-touch e um segundo analógico podem ser muito bem aquilo que a PSP precisava para se destacar na multidão, e é um prazer ver estas ideias finalmente realizadas todas juntas numa única portátil. De uma perspetiva de processamento "cru", o hardware é capaz de oferecer um padrão gráfico que fica algures entre a PS2 e PS3 (embora muito mais próximo da última), enquanto é capaz de fazer múltiplas tarefas sem esforço em aplicações sociais.

Independentemente dos atuais "nãos" em redor do interesse comercial massivo da Vita terem qualquer mérito ou não, ainda pode orgulhar-se de ser a portátil de sonho de um jogador entusiasta. Ao combinar um esquema de botões familiar às consolas com um ecrã tátil de grandes capacidades, oferece algo que simplesmente não existe em mais nenhum lugar no mercado, e mesmo nos títulos de lançamento temos uma gama impressionante de jogos com qualidade decente, bem como aquele grande suporte first-party que estava em falta no lançamento da 3DS.

Mas regressemos à questão original? Vale o dinheiro? Se vão comprar a Vita como um dispositivo flexível de multimédia com o benefício da funcionalidade de navegar na Internet, então estarão tão bem servidos com os muitos tablets e smartphones disponíveis atualmente. Ainda falta algo às aplicações de media e navegador de Internet na sua forma atual, mas estão constantemente a mudar através de atualizações de firmware, por isso esperamos que a Sony os melhore com o passar do tempo como fez com a PSP. Contudo, se é uma máquina de videojogos pura que estão à procura, e se subscreverem à visão da Sony de levar com vocês a experiência das consolas caseiras, a PlayStation Vita é precisamente o que procuram.

Lê também