O remaster de Saints Row The Third é excepcional

Não, não estamos a brincar.

É preciso elogiar quem merece e contra todas as expectativas, o novo remaster de Saints Row The Third não é apenas bom, é mesmo muito especial. Após a conversão para a Switch que deixou a desejar, os jogadores com uma Xbox One, PS4 ou PC recebem o tratamento de luxo. Existe arte cuidadosamente actualizada e mais rica, um novo modelo de iluminação, passagem para renderização por físicas, upscaling/anti-aliasing temporal e uma incrível melhoria na performance. Se jogares na Xbox One X, muito do jogo corre a 60 fotogramas por segundo. Com a excepção de um remake ao estilo do que faz a Bluepoint, não consegues muito melhor do que isto.

Vamos primeiro ao básico. Todas as novas funcionalidades entregues pela Sperasoft nesta nova versão estão presentes em todas as consolas, a única diferença perceptível é a resolução. A Xbox One e PlayStation operam a 1080p nativa, enquanto a PS4 Pro e a Xbox One X correm a 1440p. O jogo corre a 30fps com um ritmo correcto, apoiado por uma boa implementação de motion blur que dá a sensação de uma performance geral muito boa. Todas as versões estão fixas, mas a Xbox One S pode registar quedas ocasionais.

No entanto, o menu de opções deixa-te remover o bloqueio no rácio de fotogramas, o que permite ao jogo correr o mais rápido que conseguir. Nas consolas originais, não é algo que recomendamos pois torna a experiência muito inconsistente. O mesmo para PS4 Pro, que fica a rondar os meios 40s. No entanto, a Xbox One X consegue agarrar bem os 60fps e ficar lá durante muito tempo, com apenas alguns fotogramas perdidos. Puxar bem pelo jogo, especialmente de noite, pode causar quedas abaixo de 50fps, mas no geral, é uma forma muito boa de o jogar (e nem é difícil imaginar 60fps fixos na Xbox Series X via retro-compatibilidade).

Está muito acima da versão original na PlayStation 3 e Xbox 360, onde a performance não impressionava. A consola da Microsoft operava com screen-tearing praticamente constante. Os 30fps por si só já são uma grande melhoria e mesmo quando a Xbox One regista quedas, continua uma melhoria do dia para a noite sobre o original. Um remaster de Saints Row The Third já consegue um bom argumento ao corrigir o rácio de fotogramas do original, torna-o num melhor jogo. Mas isso é apenas o início.

Tudo o que precisas saber sobre Saints Row The Third remaster em todas as consolas

Existe aqui um nível de cuidado e atenção acima de quaisquer expectativas. Para começar, a interface e menus correm em resolução nativa (4K na PS4 Pro e Xbox One X), o que causa uma boa primeira impressão. Ao entrar no jogo, fiquei imediatamente impressionado com o aspecto limpo, a Sperasoft usa anti-aliasing e upscaling temporal para obter uma apresentação muito estável e consistente, com pouco serrilhado. A TAA pode causar algum blur e dão-te acesso a um filtro de nitidez que podes personalizar. Os elementos pós-processamento como grainha (que podes desactivar) operam na resolução nativa e assim sendo, 1440p tem muito melhor aspecto do que podias imaginar.

Depois tens as melhorias no conteúdo. O jogo em si não mudou muito, é o mesmo Saints Row The Third e esse é o objectivo. Volta ao original e verás que envelheceu muito mal (a versão switch acaba por realçar isto), mas o remaster na PS4 e Xbox One tem mais sucesso porque a arte foi remodelada. Para começar, é geometricamente mais denso, com arte de maior qualidade. Os cenários foram melhorados e as personagens principais e secundárias possuem muito mais detalhe.

As cenas são mais densas, usam mais adereços. Um sistema chamado LSTV (variações de texturas de grande escala) foi usado para eliminar o efeito 'janela' ao olhar para as paisagens. Além disso, existem mais carros e pessoas nas ruais, outra forma através da qual a densidade geral foi melhorada. Os veículos foram refeitos, as armas melhoras, os efeitos de partículas estão melhorados e a iluminação também.

Na verdade, no geral, o sistema de iluminação remasterizado tem um aspecto muito superior, reforçado com a implementação HDR impressionante. O novo sistema de iluminação global transforma radicalmente o jogo, simulando o reflexo da luz enquanto a oclusão ambiental beneficia com uma mistura de efeitos AO pré-computados como campo de profundidade, blur, aberração cromática e grainha. Também vais notar numa grande melhoria nos reflexos.

É na mesma Saints Row The Third, mas com uma total remodelação que assegura um bom aspecto nos ecrãs modernos e ao mesmo tempo, importa muitas das técnicas actuais de renderização que ajudam a manter a sensação do original enquanto o actualizam. Junta a isto os impressionantes modos de performance e tens o pacote completo, um soberbo exemplo de um bom jogo de anterior geração que transita lindamente para o hardware actual.

Com tanto foco nas profundas melhorias feitas pela Sperasoft, convém relembrar que Saints Row The Third é um jogo incrivelmente divertido e apesar de gostarmos da sequela, este jogo em particular é o nosso favorito em toda a série. É um jogo que merece o cuidado e carinho que recebeu e talvez este tipo de esforço tecnológico e monetária sejam indicadores dos esforços para dar novo vigor à série. Esperamos que seja o caso, mas no entretanto, recomendamos com entusiasmo este remaster.

Salta para os comentários (39)

Sobre o Autor

John Linneman

John Linneman

Staff Writer, Digital Foundry

An American living in Germany, John has been gaming and collecting games since the late 80s. His keen eye for and obsession with high frame-rates have earned him the nickname "The Human FRAPS" in some circles. He’s also responsible for the creation of DF Retro.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (39)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários