A magia de Nex Machina testada no PC

O Digital Foundry verifica o motor Resogun evoluído a 4K.

Uma colaboração entre o Eugene Jarvis, génio das arcades, e a Housemarque, Nex Machina pega na tecnologia estreada no brilhante Resogun e melhora-a significativamente para entregar uma experiência cheia de acção e destruição. Afastando-se da abordagem a 30fps do jogo anterior, Alienation. Nex Machina aposta nos 60Hz, levando a tecnologia de Resogun a outro nível. Tem um aspecto fantástico, algo que podemos dizer depois passar algum tempo com a beta no PC.

É um código inicial e é impossível tirar conclusões sobre a performance e qualidade gráfica finais - mas não resistimos pegar na nossa GTX 1080 Ti e correr isto a 4K nativa. No entanto, não te esqueças que isto é código inicial: as opções no menu estão limitadas a v-sync e escolha de resolução, numa pequena caixa antes do jogo arrancar. Corremos a beta na sua maioria a 60fps, apenas sofremos com alguns soluços derivados da performance CPU não optimizada - num i5, Nex Machina favorece um core sobre vários, algo que deverá ser corrigido no lançamento.

O código actual providencia uma experiência muito promissora que demonstra as melhorias do motor e funcionalidades gameplay. O shooting arcade é soberbo, com um trabalho de efeitos e atenção ao detalhe que tem um aspecto espectacular - especialmente a 4K.

Nex Machina usa uma versão melhorada da tecnologia voxel de Resogun, mas o sistema foi melhorado para providenciar mais variedade e detalhe nos ambientes que podem ser destruídos e efeitos. Enquanto Resogun usava voxels, Nex Machina combina esta tecnologia com geometria 3D mais tradicional para destacar melhor os detalhes que os voxels não seriam capazes de reproduzir por si só com tanta facilidade. Isto permite superfícies mais orgânicas comparado com os locais angulares e industriais de Resogun, permitindo ambientes mais orgânicos, mas baseados na mesma numa estática altamente estilizada.

Nex Machina a 4K, 60fps num vídeo gameplay.

Nex Machina foca-se em rebentar com tudo e existem sempre inimigos ou objectos para arrebentar, resultando em partículas coloridas e destruição por físicas impressionantes. É uma carnificina completa, uma experiência que decorre como um Robotron turbinado combinado com um shooter bullet-hell. É uma experiência na qual a Housemarque se especializa, e a implementação é a sua melhor.

Uma grande parte do cenário pode ser destruída, os tiroteios intensos fazem tombar as estruturas à tua volta que se dividem em destroços. Os objectos principais são completamente destruídos enquanto o resto do cenário sofre danos nas superfícies de uma forma que faz sentido, conferindo maior imersão aos tiroteios desenfreados. A tecnologia baseada em voxels é fundamental para entregar este espectáculo em todo o jogo, e funciona bem.

A Housemarque usa uma técnica de renderização volumétrica chamada Signed Distance Fields, que mistura elementos voxel e geometria juntos de uma forma que torna suave complexas transições entre misturas 3D e voxels. Consoante as estruturas mudam de elementos geométricos mais detalhados para partículas voxel, tudo se parece muito natural quando o caos decorre. A mesma técnica é usada para permitir que os inimigos se dividam em peças, preenchendo o ecrã com partículas quadradas.

O impressionante é que cada partícula voxel apresenta as suas próprias físicas e pode interagir com o ambiente e outras partículas de forma realista, gerando uma sensação de autenticidade quando os objectos explodem. Todas as partículas criam as suas próprias sombras e reagem às fontes de luz em todo o ambiente, permitindo que estes elementos se encaixem com o resto da cena. Outro toque muito fixe é a forma como as explosões enviam ondas de choque voxel pelo ecrã, a força abana com o cenário, distorcendo e mudando a geometria. Isto ocorre em tempo real, com a geometria na superfície, iluminação, materiais e sombras afectadas pelo efeito. Tal como Alienation, o uso de renderização por físicas assegura que todas as superfícies reagem de forma realista debaixo de diferentes condições de iluminação.

O nível de detalhe aqui é muito impressionante, tendo em conta as centenas de partículas no ecrã e como estas interagem com os ambientes complexos. Nex Machina pode ser um simples shooter arcade mas a natureza complexa do sistema de destruição oferece um nível de qualidade que injecta a acção com uma sensação de realismo. Apesar de jogos AAA mais ambiciosos poderem apresentar visuais de maior envergadura, a natureza simples de Nex Machina permite aos programadores incorporar efeitos avançados que seriam impossíveis em jogos mais complexos, e os resultados são espantosos.

Nex Machina tem um aspecto bom em termos de efeitos e design visual, apesar da qualidade de imagem 4K parecer mais suave do que esperado, a apresentação fica muito suave com perceptível blurring. Pode ser parte da estética desejada, ou um aspecto a melhorar, mas será interessante ver como fica no jogo final. A Housemarque confirma renderização a nativa 4K, dizendo que o ligeiro blur se deve à solução anti-aliasing temporal que usa.

Falando de comparações, estamos ansiosos por ver o jogo na PS4. A melhoria na resolução na Pro sobre a PS4 normal é algo que podemos esperar, e tendo em conta o quanto a Housemarque trabalhou para colocar 4K em Resogun, esperamos que se esforce de igual forma em Nex Machina.

Do que vimos, os elementos visuais no PC estão muito aproximados do que vimos na PS4 durante a PlayStation Experience, temos os mesmos bens e efeitos na beta. A Housemarque tem estado ocupada, refinando a experiência deste então. Existem algumas pequenas mudanças, tais como o ângulo da câmara em alguns locais. Como ainda está em desenvolvimento, não surpreende e é interessante ver como subtis ajustes ajudam a melhorar o decorrer do jogo.

Nex Machina parece pronto para se tornar num dos shooters mais viciantes da Housemarque, misturando ideias de jogos como Robotron, Resogun, e The Chaos Engine numa experiência visualmente apelativa e muito divertida. Assinala o regresso ao gameplay 60fps que ajudou a elevar Super Stardust HD e Resogun a genuínos clássicos PlayStation. Não existe uma data de lançamento para Nex Machina mas estamos ansiosos.

Publicidade

Conteúdos relacionados

Revelados os jogos PS Plus de Março

Confirma-se Shadow of the Colossus e Sonic Forces.

Naughty Dog diz que Uncharted poderá voltar

A Sony dá-lhes liberdade para isso.

Project GG recebe primeiro teaser

Gigantescamente surreal.

Switch regista uma das piores semanas no Japão devido a falhas de stock

Persona 5 Strikers vendeu mais do dobro na PS4 do que na Switch.

Também no site...

The World of Cyberpunk 2077 é o livro que explica o mundo do jogo

Resultado de uma parceria da Dark Horse e CD Projekt.

Cyberpunk 2077 trata consolas como plataformas de primeira classe

A CD Projekt RED assegura grande qualidade para a Xbox One e PS4.

Control - lista das Weapon Forms, como desbloquear e fazer upgrade a Special Weapon Forms

O nosso guia para actualizar e desbloquear novas Weapon Forms para a Service Weapon em Control.

Comentários (2)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários