O que estamos a jogar - 30 de Maio de 2021

The Last Returnal of Evil.

30 de Maio de 2021

Olá, bem-vindo a esta nossa rúbrica semanal, na qual falamos de alguns dos jogos que temos jogado nas últimas semanas ou que ainda estamos a jogar nestes dias de confinamento. Estes são os jogos que nos entusiasmam e que mesmo com tempo limitado, não conseguimos resistir a jogar.

Nós por aqui temos sempre muito que fazer, sempre atarefados com novos jogos, novidades da indústria, e claro, há que manter a nossa comunidade informada e a par de que se passa. Tentámos chegar a todo o lado, e isso retira-nos aquele tempo especial para relaxarmos e jogar o que mais amamos. Há sempre aquele jogo especial que não conseguimos largar, e agora irão ficar a saber o que temos andado a jogar às "escondidas".

Resident Evil 4

2

Com o Bruno Galvão a jogar VILIage, esta semana regressei à PlayStation 4, o que me levou a inserir o disco de Resident Evil 4, um dos meus jogos favoritos de sempre. Comprei esta edição há não muito tempo, a baixo preço, por poder voltar a jogar num ecrã compatível com a consola, mas sobretudo por voltar a um território misterioso e aterrador. Resident Evil 4 foi um jogo notável à época. Com mais liberdade de movimentos e acção que os primeiros, embora ligado por uma mesma atmosfera zombi, de aldeões dispersos por florestas cinzentas e masmorras pejadas de criaturas mutantes. O bestiário é formidável e a jogabilidade acompanha à altura os momentos de tensão. Os mais recentes jogos da série acrescentam e melhoram a experiência a vários níveis, o que Resident Evil 4 também conseguiu face aos predecessores, ao ponto de se tornar revolucionário. Mas é assim a evolução nesta indústria. Podemos apenas imaginar o futuro, mas sabemos que será fascinante.

Vítor

Returnal

Esta foi uma daquelas semanas malucas em que o tempo para jogar foi praticamente inexistente. (acho que já aconteceu a toda a gente). O pouco tempo que tive para relaxar um pouco foi Sexta-Feira ao final do dia, quando liguei a PlayStation 5 e deparei-me com uma partida de Returnal a meio (tinha deixado a consola em modo repouso e já me tinha esquecido). É sempre interessante voltar a um jogo depois de escrever a review e confirmar todos aqueles sentimentos que transformamos em palavras. Frenético, explosivo, viciante... mas achava que por esta altura a Housemarque já teria adicionado a possibilidade de gravar o progresso de uma tentativa para fechar a aplicação em segurança, em vez de ter que deixar sempre a consola em modo repouso (é um dos pedidos mais frequentes). É funcionalidade básica, até porque depois tive que sair e voltei a ter que deixar a consola em modo repouso para não perder progresso. Não faz sentido.

Jorge

The Last of Us: Part 2

Obviamente que esta semana teria de voltar a The Last of Us: Part 2, depois da atualização que recebeu para a PlayStation 5. Como tenho referido vezes sem conta nos últimos tempos, a passagem de 30fps para 60fps transforma por completo a experiência. Esta nova geração de consolas tem permitido correr jogos da anterior geração com o dobro dos fotogramas por segundo, e isso dá acesso a uma versão melhorada e cada vez mais a perceção por parte dos jogadores que é mais importante a fluidez do que melhorias visuais. Revisitar a obra prima da Naughty Dog com esta atualização é arrebatadora, com a latência dos controlos muito reduzida e toda a fluidez e clareza da movimentação da câmara. Deveria ser proibido produzir jogos a 30fps.

Adolfo

Resident Evil: VILlage

1

Após terminar RE7, fiquei pronto para o regresso de Ethan Winters e estou precisamente no castelo de Dimitrescu a tentar escapar ao terror que as suas filhas trazem para o infeliz protagonista. Até aqui, Ethan já viveu momentos traumático o suficiente para deixar qualquer um em perpétua agonia, mas a sua missão é demasiado importante para que ceda perante a loucura que enfrentou. VILage mostra mesmo que "Capcom is Back", a gloriosa e poderosa casa de criação que nos anos 90 e 2000 eletrizou o mundo recuperou a sua pujança e apesar de ainda estar numa fase inicial de VILlage, já cheira a jogo especial. Do que já vi, o pensamento "sinto que estou a jogar o que poderá ser um dos melhores jogos que já joguei" cruzou a minha mente.

Bruno

Salta para os comentários (27)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (27)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários