Quantic Dream perde caso no tribunal contra ex-funcionário

Que se despediu após um escândalo com uma montagem no Photoshop.

A Quantic Dream, estúdio Francês responsável por exclusivos PlayStation como Heavy Rain e Detroit: Become Human, perdeu um caso em tribunal contra um ex-funcionário.

A vítima deixou o seu emprego após imagens ofensivas manipuladas no photoshop circularem pelo estúdio - imagens que foram reveladas após uma investigação sobre a cultura tóxica dentro do estúdio, levada a cabo por jornalistas no Le Monde, Canard PC e Mediapart, em Janeiro de 2018.

David Cage e Guillaume de Fondaumière, responsáveis pelo estúdio, foram acusados de comportamento inapropriado, de sobrecarregar os funcionários e algumas queixas acusam-nos de piadas racistas e sexistas. A reportagem do Canard PC[NSFW] inclui exemplos disto, em montagens das faces dos funcionários coladas através do Photoshop no corpo de soldados nazis ou estrelas pornográficas - que foram aparentemente colocadas pelo estúdio.

David Cage reagiu na altura e disse estar chocado com as acusações e partilhou um comunicado no Twitter do estúdio onde dizia que as acusações dos seus funcionários eram uma campanha difamatória.

Mais tarde, como descoberto pelo Kotaku em Abril, a Quantic Dream começou a processar estes jornais, três das maiores publicações Francesas, por apresentarem estas reportagens.

A decisão do tribunal, partilhada online numa série de tweets por Nicolas Turcev, jornalista do Gamekult, centra-se na rara lei prise d'acte.

Esta é uma notificação de cessação de trabalho apresentada por um funcionário que se considera uma vítima. Ao optar por este passo, um funcionário abdica dos seus direitos e salário, mas pode na mesma recorrer e aclamar um despedimento injusto.

O processo é usado para expor falhas no local de trabalho e deixa o caso nas mãos do tribunal de trabalho independente, que depois decide se o funcionário foi despedido ou despediu-se, e se deve receber os seus direitos e compensação.

A experiência do funcionário da Quantic Dream fez com que o tribunal decidisse em seu favor, a sua decisão de se despedir será tratada como um despedimento injusto e receberá os seus direitos. A Quantic Dream tem o direito de recorrer.

Vários ex-funcionários da Quantic Dream apresentaram os seus casos em tribunal, mas esta é a primeira vez que a decisão foi favorável ao funcionário.

O processo da Quantic Dream contra as três publicações Francesas ainda decorre.

Publicidade

Salta para os comentários (31)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (31)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários