"Os jogos da Telltale e Quantic Dream são muito passivos"

Criador de A Way Out quer mais controlo.

Depois do aclamado Brothers: A Tale of Two Sons, Josef Fares está agora a trabalhar em A Way Out, um promissor título focado na narrativa e cooperativo, com a ajuda da Electronic Arts.

O foco na narrativa e o tom cinematográfico das suas experiências poderá levar alguns a comparar os seus jogos com os de estúdios como a Telltale Games ou Quantic Dream, mas Fares não concorda e diz que são bem diferentes.

Segundo diz Fares, "Esses jogos são muito passivos para mim. Eu gostaria de ter mais controlo. Poderias dizer que controlas a história, mas enquanto estás a fazer isso e a afectá-la, de certa forma não estás, entendes?"

"A Way Out não é sobre isso. Penso que a comparação é aceitável da perspectiva cinemática, mas não na forma como escolhes a tua história. Esta é uma história totalmente pré-preparada."

Fares diz ainda que não é importante que os seus jogos emocionem o jogador, não quer uma experiência como as da Quantic Dream, apenas procura criar um jogo divertido.

"Não é importante para mim. Apenas quero que as pessoas sintam o jogo. Se choram ou riem ou ficam chateadas, isso não importa," disse Fares sobre as possíveis comparações com as experiências de David Cage.

A Way Out será lançado na Xbox One, PC e PlayStation 4 a 23 de Março.

Salta para os comentários (26)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (26)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários