Dragon Age II mais táctico que Origins

BioWare descansa fãs mais acérrimos.

Mike Laidlaw, desenhador chefe da BioWare, falou com o jornal The Guardian sobre a segunda parte da série Dragon Age, enviando aos fãs uma mensagem tranquilizadora sobre um suposto corte nas possibilidade tácticas da sequela.

Laidlaw reconheceu que, "Há sempre um risco de alienar os jogadores hardcore quando mudas algo, não seriam hardcore se não gostassem de verdade aquilo que havia. Mas quisemos garantir de que mantínhamos os elementos que fizeram de Origins um jogo fortemente baseado na táctica e no trabalho de equipa."

"Agora toda a equipa torna-se numa parte deste concerto da morte, o que faz com que o jogo seja mais táctico," explicou ele. "O facto é que agora entras em combate e mexes-te mais, em vez de ficares estupidamente quieto na tua posição."

"Houve alguma polémica e más reacções," comentou Laidlaw. "As pessoas perguntavam:'O quê, transformaram-no num jogo de acção?'. A resposta é que, sinceramente, os jogos de acção têm vindo a roubar ideias dos RPGs nos últimos cinco anos... pelo que é o momento de nós, como género, dar-mos uma vista de olhos por todos esses elementos que os jogos de acção têm vindo a fazer excepcionalmente bem e perguntarmos o que podemos aprender com eles."

Publicidade

Salta para os comentários (4)

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (4)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários