Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Mirror's Edge

Um salto em qualidade.

Como devem ter reparado, referi que existe uma diferença no que toca ao controlo da nossa personagem em relação à versão para consolas. Este é um aspecto que verifiquei assim que peguei no jogo, o rato e teclado funcionam na perfeição, concedendo um nível de controlo e sensibilidade muito superiores ao gamepad das consolas. Tudo se torna bem mais intuitivo, desde os saltos, o slow-motion, a precisão com que aterramos num determinado local e até, como é óbvio, o manuseamento das armas. É claro que podem sempre, caso tenham, utilizar o comando da Xbox 360 ligando-o ao PC, mas rapidamente voltarão ao rato e teclado.

Um aspecto estranho que verifiquei é o facto de não se poder configurar os botões do gamepad, e que somente o comando da Xbox 360 funciona correctamente. Testámos o jogo com o RumblePad 2 da Logitech e verificámos que a posição de alguns botões estava trocada.

Já que estou numa de jogabilidade, não podia deixar de referir um dos pontos que mais frustração me causou. Apesar da já referida melhoria em termos de controlo que o rato e teclado permitem, é irritante o número de vezes que tive que iniciar certos níveis, um simples salto pode tornar-se num autêntico pesadelo (será que jogo assim tão mal?). Felizmente esses momentos de angústia são raros, mas vão atormentar por algum tempo as minhas belas noites de sono.

Um salto para o abismo!

Mirror's Edge é uma experiência alucinante e divertida, mas peca pela pouca longevidade, conseguimos acabar o jogo em meia dúzia de horas no modo história, o que é muito pouco para um jogo que pouco mais tem para oferecer. É certo que o modo Time Trial ajuda um pouco, mas ao fim de algum tempo acaba por saturar. Felizmente que novos conteúdos estão a caminho, acrescentando algo mais a um jogo com imenso potencial.

Esta foi sem dúvida uma experiência que me tocou bastante quando saiu para as consolas, e passados estes meses voltei a sentir-me livre como um passarinho, pena o vôo ser de tão curta duração. Mirror's Edge tem bastante potencial e tenho mesmo muita pena que não tenha sido mais aproveitado. Esta versão para PC vale pelas melhorias implementadas a nível gráfico e pelo melhor controlo proporcionado pelo rato e teclado, sendo a melhor das três versões.

8 / 10

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Marcado com

Sobre o Autor

Adolfo Soares avatar

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Comentários

More Análises

Artigos mais recentes