ROG Phone 5 review - Eleva os jogos mobile para outra dimensão

E a bateria nunca mais acaba!

Se há segmento no mercado dos smartphones que continua a empurrar os limites para lá daquilo que considerávamos possível, é garantidamente o segmento gaming. Tudo começou com o Razer Phone em Novembro de 2017, o pioneiro neste nicho. Não tardou para outras marcas associadas ao gaming responderem à Razer com os seus próprios smartphones gaming e uma das mais bem sucedidas foi a Republic of Gamers da Asus. Enquanto a Razer já parece ter desistido da ideia de smartphones gaming, a Asus ROG está a proliferar, apresentando smartphones que em alguns aspectos já estão mais avançados do que os concorrentes Android como a Samsung e Huawei.

Com um intervalo inferior a um ano em relação ao lançamento do ROG Phone 3, a Asus já apresentou e lançou o ROG Phone 5. Se estás confuso e ficaste a pensar onde está o ROG Phone 4, a Asus optou por saltar esse número à frente por superstição. Com um período de tempo tão pequeno a separar o anterior do novo modelo, não há diferenças radicais no ROG Phone 5, é uma consolidação de um conceito. Ainda assim, houve tempo para incluir pequenas melhorias. O ecrã AMOLED está mais brilhante, há um pequeno aumento na resolução e está equipado com o Snapdragon 888 5G, se bem que na embalagem já não vem incluído o acessório AeroActive Cooler (tem que ser adquirido à parte e custa 59,99 €).

Será que este é o melhor smartphone gaming do momento? Continua a ler a nossa review ao ROG Phone 5 para descobrir.

É impossível voltar a jogar num smartphone convencional

Há um crescente número de pessoas que jogam exclusivamente no mobile ou então que passam muitas horas a jogar nos smartphones devido à acessibilidade da experiência - o smartphone acompanha-nos para todo o lado. O ROG Phone 5 foi desenhado a pensar neste tipo de jogadores. É certo que o mobile está muito associado a experiências casuais, mas o cenário tem vindo a alterar-se. O lançamento de jogos como PUBG Mobile, COD Mobile, League of Legends: Wild Rift e Genshin Impact mostra que as grandes companhias de videojogos estão cada vez mais interessadas no mobile e que existe um tipo de público interessado em experiências mais sérias, complexas e exigentes.

O ROG Phone 5 é deste modo dirigido à audiência hardcore de jogos mobile e tem uma enorme quantidade de funcionalidades e características que definitivamente melhoram a experiência. O melhor são os AirTriggers, dois botões ultra sónicos localizados no ombro esquerdo e direito do smartphone. Em jogos como COD Mobile e PUBG Mobile, que não permitem acessórios por considerarem isso uma vantagem, os Air Triggers são basicamente uma batota integrada no telemóvel. Os Air Triggers podem ser facilmente configurados para cada jogo, atribuindo uma área do ecrã ao botão. Podes assim usar os Air Triggers para apontar, saltar, recarregar a arma, o que seja.

Assim que iniciares um jogo, basta puxares pela barra Game Genie na esquerda para começares a personalização dos controlos. Para além dos dois Air Triggers, o ROG Phone 5 permite atribuir controlos por movimento a acções dentro do jogo. Para te baixares podes atribuir o movimento de inclinar o smartphone para a frente ou para trás, por exemplo. Se fizeres isto, não te esqueças de bloquear a orientação do smartphone para não ocorrerem acidentes enquanto jogas. Os controlos por movimento não respondem tão rápido como os Air Triggers, mas são um bom complemento para criar esquemas de controlos que permitem reações mais rápidas.

Uma das novidades do ROG Phone 5 é o áudio háptico, ou por outras palavras, a capacidade do smartphone de transformar sons dos jogos em vibrações. São poucos os jogos com suporte nativo para esta funcionalidade - PUBG Mobile, COD Mobile e Game for Peace - mas é impressionante. A vibração em comandos de videojogos é uma tecnologia antiga, mas é a primeira vez que vemos isto num smartphone. Para quem achava que os smartphones estavam a ficar aborrecidos e estagnados, o ROG Phone 5 é uma caixa de surpresas. Depois de jogar neste telemóvel, que tem tantas funcionalidades e características úteis, é difícil voltar a jogar em smartphones convencionais.

Desempenho monstruoso, com uma bateria duradoura

O ROG Phone 5 tem especificações monstruosas e isso verifica-se no seu desempenho. O modelo que testámos tem 12 GB de RAM, que nunca chegaram a ser usados na totalidade, mesmo com várias aplicações abertas no background. Não houve uma única vez em que o smartphone tenha mostrado sinais de abrandar ou de se engasgar. Corre jogos pesados como COD Mobile e Genshin Impact com grande facilidade, sem comprometer o desempenho. Com um ecrã de 144 Hz, é verdade que os jogos vão ter uma apresentação mais suave neste smartphone do que na tua televisão da sala e, surpreendentemente, há cada vez mais títulos que já têm suporte para esta taxa de actualização.

"Corre jogos pesados como COD Mobile e Genshin Impact com grande facilidade"

No entanto, para quem joga mobile - e mesmo para quem não joga mas utiliza o smartphone intensivamente - a bateria continua a ser um aspecto fundamental nos smartphones. O ROG Phone 5 tem uma bateria de 6000 mAh divida em duas partes iguais. São 3000 mAh de cada lado, uma solução que ajuda na gestão de calor e acaba por aumentar a longevidade da bateria. Mesmo com uso intensivo, o ROG Phone 5 tem facilmente bateria para mais de um dia. Podes jogar à vontade sem ter a preocupação de ficar sem bateria à hora do almoço. E se eventualmente precisares de recarregar a bateria, o carregador incluído de 65W garante que em 30 minutos tem 70% da bateria recarregada.

Armory Crate, a app central do ROG Phone 5

rog_phone_5_armory_crate

O Armory Crate não é novidade nos ROG Phone, mas continua a ser a aplicação que unifica toda a experiência gaming. É aqui que encontras todos os jogos compatíveis com o ecrã 144Hz do smartphone, com os Air Triggers e com acessórios que têm de ser comprados à parte como o Kunai GamePad. Dentro da aplicação também podes alternar entre os vários modos de desempenho do smartphone: Ultra Durável, Dinâmico, e Modo X. O primeiro dá primazia à durabilidade da bateria, enquanto o segundo é um modo para teres uma boa experiência para todo o dia. O Modo X é ideal para jogar, activando Wi-Fi de banda dupla e a funcionalidade de HyperFusion, que combina os dados da rede Wi-Fi com os dados da rede móvel para teres a melhor experiência possível.

Cada um destes modos de desempenho vem acompanhado de um gráfico circular que mostra como a experiência será transformada. O Modo X aumenta também a sensibilidade do toque e a taxa de actualização do ecrã, que pode variar entre 60, 120 e 144 Hz. No Armory Crate podes ainda consultar a temperatura da GPU e CPU, bem como a utilização da memória RAM. Fora desta aplicação, que revela toda a dimensão gaming deste smartphone, o ROG Phone 5 é bastante discreto, dentro dos possíveis. Não deixa de ser um telemóvel de grandes dimensões e muito pesado, difícil de esconder no bolso, mas o design exterior não é espalhafatoso como alguns produtos associados ao gaming.

A parte mais vistosa do smartphone é o painel de LEDs traseiros que assumem a forma do logótipo da Republic of Gamers. O painel pode ser personalizado com vários efeitos luminosos e esquemas de cores, mas também pode ser desligado completamente ou definir que se ligue em certas ocasiões, tipo quando ouves música (brilhando ao ritmo do som) ou começas a jogar.

Duas colunas frontais impressionantes

Com duas colunas frontais DTS:X, o ROG Phone 5 canta bem alto. A maioria dos smartphones sofre de distorção do som quando colocas o volume sonoro no máximo, algo que não se verifica aqui. A maioria dos utilizadores opta por recorrer a um par de auriculares para ouvir música, ver séries e filmes, e jogar, mas as colunas do ROG Phone 5 são fortes o suficientes para encher de som uma pequena sala, substituindo facilmente a necessidade de ter uma pequena coluna de som para o efeito.

Não é a melhor câmera, mas é satisfatória

Se queres a melhor câmera num smartphone Android, não há como escapar aos topos de gama da Samsung, Huawei ou da Google. Dito isto, a câmera do ROG Phone 5 desenrasca-se muito bem e é capaz de fotografias satisfatórias. A Asus admite que a câmera não foi a prioridade, mas existiu claramente um esforço para tirar proveito máximo do sensor Sony IMX686, que vem acompanhado de uma lente principal de 64 MP, uma lente ultra angular de 13 MP, e uma lente macro de 5 MP. É possível tirar fotografias com qualidade, ainda que se note sobretudo uma incapacidade para reproduzir fielmente as cores (em todas as fotografias as cores estão um pouco mortas ou exageradas), um defeito que já vem do ROG Phone 3.

"Já grava vídeos até 8K, com possibilidade de gravar 4K com 60 FPS"

Na captura de vídeo o ROG Phone 5 também não se desembaraça nada mal. Já grava vídeos até 8K, com possibilidade de gravar 4K com 60 FPS. No modo slow-motion podes ir até 120 FPS com 4K ou 240 FPS com Full HD. Tanto nas fotografias como no vídeo há suporte para HDR e para modo profissional que te deixa ter controlo manual na abertura, velocidade do obturador, temperatura das cores e outros parâmetros. Para os vídeos ficarem mais suaves, há uma opção de Hyper Steady - e que realmente cumpre o seu propósito, deixando os vídeos em movimento com maior suavidade. Se precisares de um dispositivo para tirar fotografias, o ROG Phone 5 mais do que cumpre o seu propósito. Não é um topo de gama de fotografia, mas está longe de ser o pior.

Nem tudo é perfeito

Embora se posicione como o melhor smartphone para jogar - um título merecido - há compromissos noutras áreas. O ROG Phone 5 tem um leitor de impressões digitais debaixo do gigantesco ecrã de 6.78 polegadas, mas funciona mal (ou no meu caso, não funcionou nem uma única vez). Já o primeiro passo de registar a impressão digital foi difícil de terminar e depois o telemóvel nunca desbloqueou colocando a minha impressão digital. O reconhecimento facial, por outro lado, é muito rápido. Fora isto, há pequenas coisas que podem ou não fazer falta mediante o utilizador, como protecção contra poeira e água, e carregamento da bateria sem fios. Pelo lado positivo, o ROG Phone 5 continua a ter duas portas USB Type C (uma em baixo, outra na lateral esquerda) para que possas carregar a bateria enquanto jogas.

Conclusão: Vale 799 euros?

O preço de entrada para o ROG Phone 5 é de 799 euros. Por este valor podes comprar o modelo base com 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. O modelo que testámos custa 899 euros, saltando para 12 GB de RAM e 256 GB de armazenamento, mas há modelos mais caros. Em baixo tens a tabela de todos os modelos disponíveis e os respectivos preços.

ROG Phone 5 (Phantom Black ou Storm White)

  • 8GB / 128GB - €799
  • 12GB / 256 GB - €899
  • 16GB / 256 GB - €999

ROG Phone 5 Pro (Glossy Black)

  • 16GB / 512GB - €1199

ROG Phone 5 Ultimate (Matte White, disponível em Maio)

  • 18GB / 512GB - €1299
rog_phone_5_review_2
A versão que recebemos tem 12 GB de RAM.

O preço de um produto é sempre relativo ao consumidor. Se procuras uma máquina de gaming mobile, o ROG Phone 5 é uma óptima escolha, provavelmente a melhor que podes fazer neste momento. Até para uso normal, isto é, fora dos videojogos, é uma escolha compreensível se procuras excelente desempenho, um grande ecrã e grande durabilidade de bateria. As funcionalidades gaming do ROG Phone 5 são incríveis e, no panorama geral, as falhas são poucas.

"Se procuras uma máquina de gaming mobile, o ROG Phone 5 é uma óptima escolha"

Apenas é lamentável que o AeroActive Cooler (um acessório que refrigera o smartphone com uma ventoinha e que na nova versão tem botões adicionais) não tenha sido incluído na embalagem visto que era uma característica que tinha vindo a definir o ROG Phone até agora. Olhando de uma perspectiva diferente, pelo menos traz o carregador, algo que algumas marcas já começaram a abolir, e uma capa de protecção. Ultimamente, o preço parece mais do que justo para a qualidade que o ROG Phone 5 tem.

Prós: Contras:
  • Funcionalidades gaming muito úteis
  • Desempenho sem compromissos
  • Os Air Triggers fazem uma grande diferença em jogos complexos
  • Qualidade de construção sólida
  • O seu tamanho torna-a mais ergonómico que outros smartphones para jogar
  • A bateria dura confortavelmente mais do que um dia
  • Inclui carregador e capa de protecção
  • Colunas frontais surpreendentes
  • Não aquece muito, mesmo em jogos pesados
  • Tão pesado que vais senti-lo no bolso
  • Leitor de impressões digitais funciona muito mal
  • A Asus não tem um bom historial no suporte de software
  • AeroActive Cooler 5 tem que ser adquirido à parte

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (3)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Cole Cassidy é o novo nome de McCree de Overwatch

Efeitos do processo legal que a Activision enfrenta.

Jogos Project Zero poderão receber mais remasters

Koei Tecmo ficou surpresa com as reações.

Netflix não comprará estúdios de jogos a torto e a direito

Estará atenta a oportunidades que façam sentido.

Abertas as reservas para Cotton 100% e Panorama Cotton

Strictly Limited Games e ININ Games celebram 30 anos da série.

Comentários (3)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários