Pokémon HeartGold & SoulSilver • Página 2

Ouro puro.

Isto torna-se particularmente interessado pois a forma como viajam por Kanto é, em grande parte, da forma que voz apetece. Existem certas restrições, mas a liberdade aqui é definitivamente maior. A nova cidade tem uma série de novos segredos, e tudo isto faz com que consigam alcançar facilmente as 40/50 horas, sem qualquer dificuldade.

Pelo meio têm ainda as possibilidades Online, como o Global Trade Center que vos permite trocar Pokémons com pessoas de todo o mundo, ou ainda a possibilidade de combater Online e gravar os vossos combates. Todos os combates podem ainda ser vistos Online numa lista que vos mostra os melhores e mais recentes vídeos. Esta possibilidade estende-se também, como é habitual, aos vossos amigos, possibilitando que o façam através da ligação sem fios. Outra característica nova em relação ao original é a possibilidade de tirar fotografias em pontos-chave do jogo, permitindo que as gravem e mais tarde as vejam no computador. O mesmo se aplica às maquilhagens e efeitos para alterar o aspecto dos Pokémons.

3
Maratona dos Pokémons. Uma zona bastante descontraída e divertida.

Outra novidade é a Maratona de Pokémons, uma zona no jogo que vos permite vestir um fato de treino e ir para a pista treinar os vossos amigos preferidos. Existem uma série de provas dedicadas a determinados atributos, como velocidade, resistência ou saltos. Para isso devem escolher os Pokémons adequados para cada estilo. Na prática isto é uma secção com uma série de mini-jogos que vos permitem utilizar o stylus para passar algum tempo e até se divertirem. Ao participarem ganham que pontos que podem trocar por uma série de prémios.

Mas a, por assim dizer, mais sonante novidade é mesmo o PokéWalker. O dispositivo em forma de PokéBola é inicialmente um acessório que parece estranho e pouco interessante, mas as suas possibilidade no contexto do jogo tornam este periférico algo realmente valioso. Tem tanto de acessível como de familiar, não só pelo ecrã que faz lembrar o tipo de acção dos tempos do Gambe Boy, mas porque é tão simples que até dá vontade de passar mais algum tempo em redor deste mundo. Através do jogo podem passar qualquer Pokémon para o dispositivo e, a partir daí, para qualquer lado que vão este irá contar os vossos passos.

Os passos são convertidos em Watts a uma determinada escala e podem assim entrar em combates para derrotar ou capturar Pokémons ou ainda procurar Items. Além disso o Pokémon com o qual andam poderá encontrar Items raros a qualquer momento. No final da jornada, e ao passaram o Pokémon para a DS, será apresentado um resumo de tudo aquilo que fizeram. Isto não só aumenta o nível de amizade com o Pokémon como podem ainda ganhar experiência. Os Watts não utilizados servem no jogo para desbloquear novos cenários para passarem com o PokéWalker.

4
Depois de conectado ao jogo o PokéWalker simula cenários de jogo para qualquer lado que vão, contando é claro os vossos passos.

No contexto do jogo esta relação com o Pokémon tem uma faceta bastante interessante, pois pela primeira vez poderão andar com qualquer Pokémon atrás do jogador. Isto transmite uma real noção do tamanho das criaturas, algo que ainda não tinha sido alcançado na série. Por outro lado estas marcam a sua presença em campo aos descobrirem Items enquanto por elas acompanhados.

HeartGold e SoulSilver são Remakes, é verdade, mas a qualidade aqui presente é tanto capaz de impressionar aqueles que jogaram o original como os que pela primeira vez entram neste mundo. É simples, é aquilo que sempre gostaram e vos fez voltar por mais, mas ainda um pouco mais. Não é a revolução que muitos desejam, mas também não era isso que se pedia. No dia em que essa revolução chegar terão aqui o derradeiro exemplo daquilo que Pokémon era nos seus moldes originais. Tem pormenores únicos na série e que vão certamente agradar aqueles que há muito esperam por algo diferente. Se há Remakes que valem a pena este é um deles. Não porque a evolução tecnológica assim o justificasse, mas porque se esta é a única forma do jogo chegar a uma maior plateia, então corram atrás dele.

10 /10

Publicidade

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (32)

Sobre o Autor

Ricardo Madeira

Ricardo Madeira

Colaborador

É redator e dá voz à Eurogamer Portugal. É um dos mais antigos membros da equipa, e ao mesmo tempo um dos mais novos. Confusos? É simples.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Kojima quer fazer jogos mais estranhos

Death Stranding foi demasiado "normal" para ele.

Blade Runner é rico o suficiente para justificar outro filme

Denis Villeneuve quer voltar a esse universo.

Comentários (32)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários