O armamento disponível, apesar das diversas configurações e upgrades, não pode ser configurado à nossa maneira. Não temos possibilidade de criar as armas ao nosso gosto, já que estas encontram-se “fechadas” a qualquer tipo de personalização. Seria uma boa adição se o jogador tivesse a possibilidade de editar vários aspectos, desde as armas até aos items.

Os desafios propostos não são novos, já que não existe algo de diferente, em relação ao que já vimos em títulos do género. Temos muitos monstros para matar, nazis, e até grupos que tentam travar a nossa progressão. Em certos momentos podemos optar por uma abordagem mais silenciosa, o jogo dá-nos essa possibilidade, com a utilização de óculos de visão nocturna, armas com silenciadores e um ambiente que também convida a essa abordagem. Mas também podemos entrar a matar, atirando a tudo o que se mexe, criando o caos nas linhas inimigas.

Apesar dos bons momentos proporcionados, existem pormenores que se fossem mais bem trabalhados conferiam ao jogo uma maior qualidade. Um aspecto que deveria ter sido aprimorado está relacionado com a jogabilidade, já que encontra-se algo presa de movimentos, e em certas alturas algo estranha, subir um obstáculo é por vezes um acto inesperadamente difícil. Outro problema, este mais relacionado com a própria filosofia do jogo, é a linearidade já referida. É tudo demasiado previsível e muito pouco desafiador, somos levados por uma narração nos carregamentos de nível, e seguimos uma “bússola” que indica a direcção a seguir. Não há uma grande humanização do que se passa, não existe uma interiorização suficientemente convincente de todo aquele estado de vida.

2
Apesar da movimentação, passamos muito pouco tempo a interagir com as pessoas.

Também me parece que o tema não foi explorado ao máximo, já que ao chegar ao final do jogo, fiquei a meditar que algo não foi contado, ou que foi acabado à pressa, como se não houvesse tempo para mais. Poderiam ter contado esta história de uma forma mais pausada, com mais desafios, com a introdução de alguns elementos RPG, atribuindo ao jogo uma menor linearidade. Metro 2033 tem tudo o que um grande jogo necessita, pena mesmo não ter sido devidamente explorado, já que em nenhum momento sentimos que estamos perante um fora de série. A longevidade é fortemente afectada, bastando 4 noites de jogo para chegarmos ao fim.

Na realidade, estamos perante um óptimo jogo, com um bom argumento, excelente grafismo, momentos fantásticos a nível artístico, e um excelente ambiente. Com mais algum tempo, um orçamento mais elevado, a introdução de elementos que considero imprescindíveis nos dias de hoje, como a personalização das armas, colocariam Metro 2033 noutro patamar. É um excelente jogo, que fica perto de alcançar um posto de destaque.

8 /10

Publicidade

Sobre o Autor

Adolfo Soares

Adolfo Soares

Redator e editor EGTV

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelos vídeos da Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Mais artigos pelo Adolfo Soares