Bangai-O Spirits

BANGAI-OH GO !

Existe um certo grupo de jogadores que antecipa com exaltação cada lançamento da Treasure. Bangai-O Spirits é o mais recente exemplo de que eles sabem o que fazem.

No papel, Bangai-Oh trata-se de um shoot -em-up em duas dimensões. Várias armas e projécteis compõem o arsenal do robô gigante que controlamos. Claro que, na prática, esse autómato gigante parece minúsculo frente às ameaças com que se defronta e encarar este jogo como um linear shoot-em-up é pura idiotice.

Cento e sessenta. Além das dezassete etapas que correspondem ao tutorial do jogo, são cento e quarenta três níveis com uma variedade absurda. O conceito essencial é sempre o mesmo, começamos num ponto pré- determinado do mapa e temos alguns alvos a destruir. O desafio em chegar a esses alvos varia muito, existindo níveis compostos por longas salas pejadas de inimigos ou outros que são na verdade corridas contra o tempo. Por vezes o ênfase é dado à destruição de tudo o que nos rodeia outras os objectivos são na verdade inimigos com quatro ou cinco vezes o tamanho do nosso robô.

Nunca sabemos o que esperar até tentar, e a experimentação é encorajada. O arsenal disponível é muito variado, podendo níveis aparentemente impossíveis ser ultrapassados numa questão de segundos com o armamento correcto. Existe sempre um enigma associado a cada nível; simples ou obscuro cada um deles é um puzzle que tem de ser resolvido com as peças colocadas à nossa disposição.

As armas estão divididas em duas categorias, normais e EX. A primeira corresponde aos dois ataques básicos que são atribuídos aos botões B e Y. Directamente de Bangai-Oh (título da Nintendo 64, cujo remake para Dreamcast foi lançado na Europa) vêm os mísseis busca-alvo e os disparos que fazem ricochete em todas as superfícies. Juntam-se à festa toda uma panóplia de disparos e armas de curto alcance; como a espada (que pode destruir tanto inimigos como os seus tiros) e o bastão (que lança os inimigos em voo livre). Alguns dos disparos podem fundir as suas habilidades, por exemplo, se escolherem os mísseis busca-alvo e os que fazem ricochete, podem disparar um desses dois ou a sua mistura, ou seja, um míssil que além de fazer ricochete nas paredes, também persegue o inimigo.

pro
Sim, aquilo são tudo projécteis...E este ataque EX é fraquinho.

A segunda categoria (despoletada com os botões R e L) corresponde aos ataques devastadores que facilmente enchem o ecrã de projécteis e destruição. O ponto essencial a reter aqui é que quanto maior a perigosidade da situação, maior o poder destes ataques. Literalmente, ou seja, se estiverem rodeados de disparos inimigos um ataque EX vê o seu alcance e impacto multiplicado. De caminho, destrói todos os tiros que se aproximavam. Um verdadeiro espectáculo visual que exige perícia considerável, trata-se de esperar até ao ultimo décimo de segundo para libertar um ataque verdadeiramente devastador. Alguns dos disparos da categoria normal marcam presença nesta categoria numa variante muito mais letal. Existem também outros mais específicos; nomeadamente, existe um disparo que permite parar tudo o que nos rodeia durante algum tempo ou inverter a trajectória de todos os tiros (enviando-os para o seu ponto de partida).

Conteúdos relacionados

ObrigatórioHorizon: Zero Dawn review (PC) - Inquestionável

Guerrilla Games entrega a edição definitiva.

PS5 Digital Edition custará 399€, prevê analista

A versão com leitor de discos custará 499€.

State of Play - Assiste em directo às 21h00 de Portugal

A Sony quer tornar a tua noite mais quente.

Fãs da Xbox pedem boicote a Marvel's Avengers pelos conteúdos exclusivos PlayStation

"Tenham respeito próprio e recusem ser tratados como um consumidor de segunda classe."

Também no site...

Comentários (6)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários