Funcionários da Ubisoft criticam os líderes da companhia pelas suas promessas vazias após as acusações do ano passado

Apelam à união na indústria para agir contra estes casos.

Cerca de 500 funcionários e ex-funcionários da Ubisoft assinaram uma carta aberta em solidariedade com os funcionários da Activision Blizzard que estão a relatar casos similares aos que abalaram a própria Ubisoft em 2020.

A carta também deixa duras críticas aos gestores da Ubisoft pelas suas "promessas vazias" após as queixas de assédio e descriminação sistémica dentro da companhia e apelam à união na indústria para criar regras e processos gerais para lidar com estes casos. A mensagem, partilhada por Stephen Totilo do Axios Gaming, começa por dizer que as vozes na Activision Blizzard estão a ser ouvidas e consoante a indústria é novamente abalada por estas acusações, os funcionários da Ubisoft partilham o seu apoio e solidariedade.

"É percetível, a partir da frequência destes relatos, que existe uma cultura geral e altamente enraizada de comportamentos abusivos na indústria. Já não devia ser surpresa para ninguém, funcionários, executivos, jornalistas ou fãs que estes hediondos atos ainda decorrem. É hora de parar de ficarmos chocados. Temos de exigir verdadeiras medidas para os impedir. Os responsáveis devem ser culpabilizados pelas suas ações."

A carta aberta descreve ainda o atribulado Verão vivido na Ubisoft em 2020 e apesar das palavras do CEO Yves Guillemot sobre mudanças séries, os funcionários relatam que pouco mudou. Os ambientes tóxicos propícios a assédios ainda permanecem.

"Passou mais de um ano desde as primeiras revelações de descriminação e assédio sistémicos dentro da Ubisoft. Na altura, fingiram-se surpreendidos ao ouvir que estes atos aconteciam dentro da vossa própria companhia e demos o benefício da dúvida. No entanto, não vimos mais nada do que um ano de palavras simpáticas, promessas vazias e a incapacidade, ou falta de vontade, de remover os responsáveis já identificados. Não mais confiamos no vosso empenho em corrigir estes problemas no seu núcleo. Precisamos fazer mais."

Enquanto os funcionários dizem que nada de verdadeiramente significativo foi feito e apenas tomadas algumas medidas para remediar, os gestores da Ubisoft decidiram defender-se e reafirmam que ao longo do último ano tomaram diversas medidas para resolver os problemas. No entanto, os funcionários não estão convencidos.

Salta para os comentários (0)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (0)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários