Processo legal contra a Bethesda devido a Fallout 4 ameaça adiar aquisição da Microsoft

Se a aquisição livrar a ZeniMax de responsabilidades.

A forma como a Bethesda promoveu o Season Pass de Fallout 4 foi alvo de um processo legal e agora, esse grupo de advogados quer saber se ao ser comprada pela Microsoft, isso libertará a ZeniMax Media das responsabilidades.

O X-Law Group apresentou um processo contra a Bethesda em Julho de 2019 pela forma como vendeu o Season Pass de DLC, alegando que a companhia mentiu aos consumidores e pede compensações que podem exceder os 1 mil milhões de euros. Quando foi anunciado que a Microsoft iria comprar a ZeniMax e consequentemente a Bethesda, os advogados submeteram os papeis para obter mais informações e bloquear o negócio, se a compra significar que os materiais passam para uma nova entidade legal que consequentemente se poderá proteger de quaisquer responsabilidades relacionadas com outra companhia.

A Microsoft vai adquirir a ZeniMax através de uma nova subsidiária, chamada Vault, que passará a ser a nova dona de todas as propriedades intelectuais da Bethesda, uma nova companhia que não efetuou qualquer acordo com os consumidores sobre Fallout 4 e estes advogados procuram proteger o seu processo contra a Bethesda.

O processo alega que quando a Bethesda anunciou o Season Pass de Fallout 4 em 2015 afirmou que os compradores teriam acesso a todo o conteúdo extra desenvolvido para o seu jogo, mas em 2017 anunciou o Creation Club, "uma coleção de novos conteúdos para Fallout 4 e Skyrim" que não estaria disponível entre os conteúdos do Season Pass e teria de ser comprado em separado.

O X-Law Group alega que a Bethesda enganou os seus consumidores e que quem comprou o Season Pass não devia ter de pagar pelo Creation Club, que consideram DLC para Fallout 4, um estatuto que contraria o que foi afirmado em 2015.

Os advogados acusam a Bethesda de cometer "erros legais amadores" ao não introduzir acordos de licenciamento em Fallout 4 com os detalhes específicos do que o Season Pass dá acesso e querem processar a companhia por quebra de contrato, enriquecimento injusto, fraude, representação negligente e até quebra de contrato.

Segundo alegam, os compradores do Season Pass de Fallout 4 merecem receber, pelo menos, 250 euros pela forma como foram tratados pela Bethesda e incluem ainda diversas despesas do processo e indemnizações. No entanto, temem que a Bethesda possa usar a aquisição por parte da Microsoft como uma forma de escapar ao processo, algo que a acusam de ter feito anteriormente, quando adquiriu a Human Head e transferiu os seus bens e propriedades para outra companhia e evitar responsabilidades legais com a Ragnarok Game, que tinha um contrato com a Human Head antes da aquisição.

Uma das possibilidades será tornar o Creation Club gratuito para todos os jogadores e tentar resolver a situação fora dos tribunais pois certamente nenhuma companhia deseja ir para tribunal.

Salta para os comentários (26)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Epic já perdeu mais de 380 milhões de euros com a sua Epic Games Store

Investimento a longo prazo significa fundos perdidos.

Rumor: PlayStation prepara resposta ao Xbox Game Pass

Quer reagir à popularidade do serviço da Microsoft.

PS5 já vendeu mais do que a Vita, Wii U e Dreamcast no Reino Unido

A consola mais vendida pelo 2º mês consecutivo.

Também no site...

Comentários (26)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários