O Xbox Game Pass é o antídoto para o excessivo foco nos jogos como serviços vivos, diz Phil Spencer

São jogos que podes jogar numa tarde ou semana e seguir em frente.

Phil Spencer, patrão da divisão Xbox da Microsft, acredita que o Xbox Game Pass é o antídoto para uma actualidade em que o foco parece estar quase exclusivamente em jogos como um serviço vivo.

Numa conversa com a imprensa, antes do X019 arrancar, Spencer diz que o Game Pass dá uma oportunidade a muitos estúdios de continuarem a desenvolver jogos ao estilo que gostam, sem cederem à moda dos jogos como um serviço.

"Olhamos para o Game Pass como uma forma realmente vital de apresentar novos jogos a novos jogadores com um modelo de negócio que tem maior alcance para mais jogadores. Vemos os jogadores prontos para correr riscos em novos jogos e géneros pois quando já tens a subscrição, é fácil carregar em algo, descarregar e começar a jogar.

Spencer disse ainda que o número de subscritores duplicou e que isto permitirá a imensos estúdios receber receitas sem se preocuparem se alguma vez vão recuperar o investimento.

"Algo que tenho visto ao longo dos últimos anos é que vês muitos jogos e estúdios a perseguir jogos como um serviço e isso parece perpétuo, como se tivesse de durar para sempre de forma a recuperar o investimento que os grandes estúdios e editoras estão a fazer."

"O que o Game Pass tem de bom é que embrulha um jogo dentro de um serviço em si. Por isso, um jogo pode ser unicamente um jogo e é bom jogar jogos com um princípio, meio e fim. E enquanto subscrição, podemos apoiar esse tipo de jogos."

"Na verdade, muitos jogos nos quais as nossas parceiras internas e externas estão a trabalhar tiram proveito do facto de não terem de correr um serviço seu. Podem viver dentro dele."

Entre as novidades, Spencer destacou os diversos jogos Final Fantasy e Yakuza, duas séries com jogos que encaixam na perfeição na sua visão do que é o Xbox Game Pass.

Publicidade

Salta para os comentários (20)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (20)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários