Videojogos associados aos protestos no Chile por senador

Diz que os incêndios foram organizados num jogo.

O Chile está neste momento debaixo de uma vaga de fortes protestos que resultaram após o anúncio do aumento do preço dos bilhetes de metro na sua capital e os recentes incêndios em Santiago foram associados aos videojogos.

Os protestos já resultaram em vítimas mortais e desde Sábado que foi instalado o recolher obrigatório, mas nem mesmo a presença do exército nas ruas conseguiu impedir que os cidadãos manifestem o seu desagrado pelas desigualdades.

Durante as manifestações, foram incendiados edifícios, camionetas e carruagens do comboio, como forma de protesto contra o aumento nos preços e os videojogos foram associados aos protestos no Chile.

Manuel José Ossandón, senador no Chile, não tem qualquer dúvida e diz mesmo ter sido informado que os jovens se organizaram através de videojogos para combinar os incêndios deste passado fim de semana no país.

Ossandón diz que um conhecido seu, especialista em comunicação e redes sociais, o avisou que "vão queimar o metro, estão a comunicar através dos videojogos e vão queimar as estações do metro."

Ossandón não esclareceu qual o videojogo usado pelos protestantes para combinar estes protestos e esta não é a primeira vez que vemos os videojogos associados a actos de violência.

Em Agosto deste ano, após vários ataques com armas de fogo, o presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, também associou os videojogos aos actos de violência.

Publicidade

Salta para os comentários (25)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (25)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários