Razer Phone 2 - Análise - O smartphone para gaming

Melhor do que o primeiro, mas estará preparado para a concorrência?

Há menos de um ano a Razer lançou o seu primeiro smartphone, distinguindo-se dos restantes por ser um smartphone desenhado a pensar no gaming mobile. De facto, a Razer parece ter descoberto um segmento do mercado desleixado pelas outras grandes marcas telemóveis, tanto é que neste curto período de tempo já houve outras marcas como a ROG a investir num smartphone dos mesmos moldes.

O primeiro Razer Phone esteve longe da perfeição, mas como o primeira tentativa de penetrar num mercado tão competitivo e com tanta oferta actualmente, foi um esforço digno de ser reconhecido. Com o Razer Phone 2 a marca procura corrigir algumas das falhas mais aparentes apontadas ao primeiro modelo, implementando também outras pequenas melhorias. Diga-se, de passagem, que não é uma melhoria drástica, mas num período inferior a um ano, não estou seguro se seria possível mais do que isto.

Ecrã

Vamos começar pela característica que mais distingue o Razer Phone 2 dos restantes smartphones do mercado: o seu ecrã de 120Hz. O único smartphone que tem tem uma taxa de actualização igual é mesmo o primeiro Razer Phone. Esta característica não é novidade dentro da marca, mas a Razer continua a ser a única marca de smartphones a oferecer um ecrã com esta característica. Será que faz diferença? Faz, principalmente se jogas bastante no smartphone. Jogos competitivos como Arena of Valor e PUBG Mobile continuam a ser aqueles que mais beneficiam de um ecrã com esta taxa de actualização.

No entanto, a Razer não se limitou a pegar no mesmo ecrã do primeiro Razer Phone e a aproveitá-lo para o segundo modelo. Existe uma novidade importante: com 580 nits, o ecrã do Razer Phone 2 é consideravelmente mais brilhante do que o primeiro (que tinha 380 nits). Ter um ecrã com mais brilho ajuda a que consigas visualizar melhor os conteúdos da tela em ambientes com muita luz. O Razer Phone 2 continua a ter um ecrã LCD, contrariamente a outros smartphones topo de gama que usam ecrãs OLED, pelo que continua a ter desvantagem nestas situações. O ecrã também não consegue ter a mesma vivacidade de cores e contraste.

Razer_Phone_2_analise

A resolução do ecrã também foi aumentada para 1440 por 2560 pixeis, mas seja como for , embora o ecrã do Razer Phone 2 tenha melhorias, ainda não permite ter o melhor dos dois mundos. A taxa de actualização de 120Hz é incrível para jogos mobile, mas para tudo o resto, os ecrãs OLED dos outros smartphones (apesar de terem apenas 60Hz) são preferíveis. O Razer Phone 2 é um smartphone desenhado para jogos, mas acima de tudo, continua a ser um smartphone e um dispositivo destes será inevitavelmente usado em todo o tipo de tarefas.

Desempenho

O primeiro Razer Phone era excelente dispositivo de desempenho, mas de qualquer forma, a Razer actualizou o chipset para um Qualcomm Snapdragon 845 (o modelo anterior usava o 835). É um chipset mais avançado e com melhor desempenho que permite que o Razer Phone 2 esteja mais preparado para o futuro. Seja nas aplicações ou videojogos pesados, o Razer Phone 2 desliza facilmente entre tarefas. A ajudar a isto estão os 8 GB de RAM, mais uma característica que já estava presente no primeiro modelo mas que continua a ser invulgar na maioria dos smartphones. Por exemplo, o Galaxy Note 9 da Samsung, tem 8 GB de RAM, mas apenas na configuração de 512 GB. Na configuração de 128 GB, a RAM foi reduzida para 6 GB.

"Seja nas aplicações ou videojogos pesados, o Razer Phone 2 desliza facilmente entre tarefas"

8 GB de memória RAM num smartphone não é actualmente um exagero. Com a aplicações e jogos cada vez mais pesados, faz sentido que um smartphone tenha a maior memória possível para que consiga aguentar com múltiplas tarefas no plano de fundo e possibilite ao utilizador uma troca rápida e fluída entre elas. Neste questão, não há nada realmente a apontar de errado, pelo contrário. Graças à combinação entre o Qualcomm Snapdragon 845 (o mais recente da sua linha) e à quantidade mais do que suficiente de memória RAM, não há nada que o Razer Phone 2 não aguente. Como um smartphone de gaming, é capaz de correr qualquer videojogo sem problemas.

O Razer Phone 2 também está equipado com um sistema de arrefecimento a vapor para ajudar a reduzir as temperaturas enquanto estás a realizar uma tarefa intensiva como jogar. Na nossa experiência, a jogar uma partida de PUBG Mobile, o Razer Phone 2 aquece, como seria de esperar, mas não fica desconfortavelmente quente e o sistema ajuda a dispersar o calor pela área traseira. Enquanto outros smartphones ficam com uma área evidentemente mais quente do que as outras, o Razer Phone 2 consegue distribuir o calor por uma área maior.

Câmera

A câmera do modelo anterior foi uma desilusão. Embora fosse possível obter fotografias satisfatórias, ficavam áquem do que seria de esperar para um smartphone topo de gama. Com isso em mente, a Razer escolheu para o seu novo smartphone duas novas câmeras. A primeira, que podemos designar como a principal, tem 12 MP e f/1.8. A segunda lente, também com 12 MP, tem f/2.6 e um zoom óptico de duas vezes. O problema do primeiro Razer Phone era a resposta lenta da câmera, tanto na focagem como no acto de tirar a fotografia. Todas as fotografias não pareciam estar completamente focadas, gerando uma sensação de estranheza quando estávamos a olhar para os resultados.

"a câmera do Razer Phone continua atrás daquilo que encontramos noutros smartphones topo de gama"

A boa notícia é que o Razer Phone 2 resolve os problemas que se tornaram evidentes com a câmera do primeiro. Tirar uma fotografia é uma experiência muito melhor. A câmera responde muito melhor e tem muita mais facilidade em focar aquilo que queremos. O software também foi expandido e tem agora um modo de retrato e de beleza, coisas que não existiam anteriormente. A má notícia é que, apesar das melhorias, a câmera do Razer Phone continua atrás daquilo que encontramos noutros smartphones topo de gama. Em baixo podes ver algumas comparações que fizemos com a câmera do Samsung Galaxy S9. Mais uma vez, a câmera do Razer Phone 2 não é má, mas é insuficiente perante a concorrência.

Tal como pudeste observar nas comparações na galeria acima, a câmera do Razer Phone 2 não consegue competir com a do Galaxay S9 no que toca a vivacidade das cores e nos contrastes. Há dois exemplos em que o Galaxy S9 parece sofrer de sobre-exposição (na fotografia da folha e na selfie), mas nos restantes exemplos, o Razer Phone 2 apresenta piores resultados. Na fotografia da casa existe uma diferença gritante na tonalidade do branco e na igreja o Galaxy S9 consegue um contraste maior. A câmera do Razer Phone 2 é decente, simplesmente não está ao mesmo nível do que a concorrência. Para muitos, incluindo nós, a câmera num smartphone é realmente importante.

Bateria

O Razer Phone 2 mantém a mesma bateria de 4000 mAh, portanto, tem uma grande longevidade. A bateria do Razer Phone 2 é capaz de durar todo o dia, até mesmo para utilizadores intensivos. São poucos os smartphones que se podem gabar de tal actualmente. Como um smartphone para gaming, ter uma bateria de grande capacidade é importante e neste quesito o Razer Phone 2 cumpre em pleno. A única novidade na bateria é que, graças ao painel traseiro que agora é feito de vidro, tem suporte para carregamento sem fios. O carregador incluído na embalagem é um carregador normal, ou seja, para usufruíres desta funcionalidade, precisas de comprar outro carregador, seja oficial ou não.

Design e Dimensões

O Razer Phone 2 mantém um design praticamente idêntico ao do primeiro. Olhando de frente para os dois, é difícil reparar em alguma diferença. Existe uma pequena diferença nas dimensões e no peso. O Razer Phone 2 engordou umas gramas e alargou uns milímetros, mas é realmente difícil reparar na diferença se não tiveres o original ao lado.

É na traseira que encontramos as maiores diferenças: além de haver agora um painel de vidro, que torna o Razer Phone 2 menos industrial e mais elegante, existe o logótipo da Razer que pode ser personalizado com efeitos Chroma. Se não gostas disto, podes simplesmente desactivar o efeito de luzes, mas pessoalmente agrada-me que haja personalização. Tirando o ROG Phone, mais nenhum smartphone tem isto.

Razer_Phone_2_analise_2

Em comparação ao meu smartphone diário, um Samsung Galaxy S9, o Razer Phone 2 é realmente grande. Este efeito é enfatizado pelo design em bloco. O Razer Phone 2 é como se fosse um pequeno tijolo, com arestas bem definidas. Isto permitiu que o sensor de impressão digital fosse colocado na lateral, o que é incrivelmente intuitivo para desbloquear o smartphone com o polegar, mas por outro lado, não é confortável de se segurar por muito tempo. Até mesmo no bolso o Razer Phone 2 se faz sentir, seja pelo peso, seja pelo design em bloco.

Som

As dimensões do Razer Phone 2 podiam ser menores, não fossem as duas colunas enormes na frente. O Razer Phone 2 ostenta duas colunas, uma em cima e outra em baixo. Desta vez o smartphone vem com um certificado IP67, o que significa que é resistente tanto ao pó como a água. Apesar desta resistência, que abrange ambas as colunas, a qualidade do som não foi perdida. Ao colocar a mesma música a ser reproduzida em simultâneo, o som do Galaxy S9 parece que vem do fundo do túnel, enquanto o Razer Phone 2 apresenta uma nitidez muito maior. Portanto, se usas o smartphone para ouvir música, o Razer Phone 2 é o melhor que podes encontrar neste momento. As colunas têm o certificado THX e, tal como o primeiro, têm suporte para Dolby Atmos.

"o som do Galaxy S9 parece que vem do fundo do túnel, enquanto o Razer Phone 2 apresenta uma nitidez muito maior"

O que pode não agradar a diversos utilizadores é a ausência de porta 3.5 mm para auriculares. O Razer Phone 2 só tem, mais uma vez como o primeiro, porta USB Type-C. Os auriculares bluetooth são cada vez mais comuns, mas ainda existem muitos utilizadores que usam auriculares 3.5 mm devido à sua enorme versatilidade. A solução aqui é usar um adaptador. Não é elegante e prático ter que andar com um adaptador atrás de nós, mas é realmente do Razer Phone 2. Os iPhone e alguns modelos Android também já não têm a porta 3.5 mm, portanto, isto já começa a tornar-se mais comum do que alguns anteviam.

Software e funcionalidades

De base, o Razer Phone 2 vem com o Android 8.1 instalado, mas há uma promessa de actualização para Android 9.0 no futuro. A interface está muito próxima daquilo a que é chamado "stock Android". Por outras palavras, uma versão praticamente imaculada comparativamente ao sistema operativo que a Google criou. Existem algumas aplicações proprietárias da Razer instaladas, como o Cortex, que permite escolher as definições de desempenho para cada jogo, o Chroma Kit, que é a aplicação que personaliza as cores do logótipo na parte de trás do smartphone, e uma loja de temas onde podes modificar visualmente a interface. Também existe uma aplicação da Dolby Atmos em que podes personalizar os vários equalizadores (dinâmico, filme e música). Excluindo isto, é uma versão pura do Android, o que para alguns é uma vantagem.

Razer_Phone_2_analise_3

Preço e considerações finais

Como um smartphone de gaming, o Razer Phone 2 consegue superar o seu antecessor. As melhorias não são grandes, mas tornam-no num smartphone mais refinado do que o primeiro. A câmera consegue resultados mais satisfatórios, o ecrã aumentou de resolução e tem mais brilho, o que permite melhores ângulos de visão, e a Razer ainda conseguiu meter no meio disto personalização Chroma no logótipo traseiro e resistência contra água e poeira (uma mais valia olhando para aquelas duas grandes colunas à frente). Tem ainda um chipset mais poderoso e um desempenho do melhor que podes encontrar. No entanto, tudo isto veio juntamente com um aumento no preço para 889.99 euros (este é o preço marcado na Razer Store europeia quando procedemos à encomenda).

"tudo isto veio juntamente com um aumento no preço para 889.99 euros"

É um preço que coloca o Razer Phone 2 a competir directamente com as grandes marcas de smartphones Android como a Samsung e a Huawei. O Razer Phone 2 até oferece algumas características que os smartphones destas marcas não têm, mas no geral, não consegue estar ao mesmo nível. Para videojogos, o Razer Phone 2 é melhor do que todos os outros, mas para tudo o resto, há outros smartphones na mesma categoria de preço que são superiores. A não ser que uses o smartphone exclusivamente para jogar (duvido que alguém o faça hoje em dia), escolher um Razer Phone 2 é improvável.

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (7)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (7)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários