A controvérsia começou a meio de outubro, quando a Overkill adicionou microtransações a PayDay 2, algo que jurou que nunca faria e que deixou a comunidade em reboliço. Através das microtransações era possível comprar brocas para abrir cofres cujo o loot eram skins com estatísticas que melhoravam as armas. Ou seja, tornou-se admissível pagar para ter vantagens.

Face a estas decisões que alienaram os fãs, os moderadores do jogo no Steam decidiram parar de fazer o seu trabalho numa tentativa de exigir respostas da Overkill. A greve resultou e agora a Overkill publicou uma carta aberta à comunidade no Steam.

a
Na mais recente atualização passou a ser possível ganhar mais dinheiro e experiência através das skins para as armas.

"As últimas semanas têm sido das mais desafiantes na história da comunidade. Os jogadores estão chateados connosco, os meios de comunicação escreveram sobre nós e os nossos moderadores voluntários entraram em greve. Para toda a confusão que causamos nas semanas anteriores, gostaria de aproveitar para dizer que estamos arrependidos. Fizemos muitas coisas bem no passado, mas nestas semanas fizemos asneiras", escreveu Almir Listo, o produtor do jogo.

A carta aberta à comunidade é longa, e nos vários parágrafos que lhe dão forma, a Overkill promete interagir com a comunidade de várias formas, mas o destaque foi para a reunião com os moderadores Ashley e Jones, cuja missão foi obter respostas para as perguntas da comunidade.

"Dois dos tópicos foram o aumento nas estatísticas e o mais recente prémio COP (Completely Overkill Pack). Estamos atualmente a avaliar no que podemos fazer para recompensar pelo prémio final do COP. A Ashley e o Jones deram-nos várias sugestões da comunidade e estamos a discuti-las internamente. O nosso objetivo principal é tentar encontrar uma forma de reduzir ou remover os elementos aleatórios do prémio final, seja qual for o prémio," disse o produtor.

"Quanto ao aumento nas estatísticas, foi sugerido que seja introduzido algo semelhante ao StatTrak em futuros cofres, uma funcionalidade usada no CS: GO. É algo sobre o qual estamos a pensar e que vamos discutir no futuro. Devo salientar que, contudo, não podemos fazer promessas, mas isto serão coisas discutidas à medida que avançamos."

Apesar de tentar estar a redimir-se perante a comunidade, em nenhuma das linhas da carta aberta foi dito que as microtransações serão removidas. O pedido de desculpas é um passo positivo, mas terá que ser acompanhado por ações para que a comunidade volte a ficar satisfeita.

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Mais artigos pelo Jorge Loureiro