O criador de Minecraft Markus "Notch" Persson respondeu às críticas que acusavam o estúdio Mojang de ser "literalmente pior do que a EA", devido às recentes alterações dos termos de utilização de Minecraft.

Esta confusão começou quando o funcionário da Mojang, Erik Broes, escreveu no Twitter dizendo que "não podes fazer dinheiro com Minecraft sem a nossa permissão. Se estiveres num servidor, a tua experiência deve ser a mesma que qualquer jogador."

Alguns utilizadores levaram estas palavras demasiado longe, e julgaram que o os servidores que cobravam para acesso estavam proibidos. Tecnicamente verdade, mas a intenção da Mojang era atacar as cobranças sobre funcionalidades que afectavam o gameplay.

Notch esclareceu depois que, "podes cobrar por hospedar servidores, mas não por funcionalidades de gameplay."

Ainda assim, a confusão continuou, acabando por forçar a Mojang a actualizar os seus "EULA", para formalizar a intenção original.

Um FAQ com os detalhes sobre as mudanças, explicando como os utilizadores podem monetizar o jogo de diversas formas (previamente a única forma de ganhar dinheiro oficialmente com o jogo passava por publicar vídeos e ganhar com a publicidade).

Os novos termos permitem que os jogadores cobrem por acesso aos servidores, aceitem doações, inclui também publicidade in-game, patrocínios e venda de itens que não alterem o gameplay.

Itens cosméticos como fatos, chapéus e animais são permitidos, escreveu a Mojang. "Espadas ou poções de invisibilidade não são." Queremos que todos os jogadores tenham acesso às mesmas funcionalidades, independentemente de estarem dispostos a pagar ou não.

Publicidade

Sobre o Autor

Aníbal Gonçalves

Aníbal Gonçalves

Redator

MMOs e RPG são com o Aníbal. Aliás existe um rumor na redação que a sua primeira casa é o World of Warcraft. Mas às vezes também o vemos a fazer uns exercícios. Não é mau de todo.

Mais artigos pelo Aníbal Gonçalves