EA a verdadeira sucessora da Infinity Ward?

Riccitiello critica criadores de Black Ops.

John Ricciiello acredita que a EA, e não a Treyarch, estúdio que desenvolveu Black Ops, poderá ser a produtora que irá continuar o caminho deixado pela Infinity Ward e que irá oferecer o próximo grande FPS.

Em entrevista com o site IndustryGamers, Riccitiello afirmou que a Treyarch ainda tem um longo caminho a percorrer para se equiparar ao trabalho que a Infinity Ward fez na série Modern Warfare.

"Não sabia que ter dois tipos que provavelmente não jogam jogos, na forma do CEO da Activision e do CEO da Vivendi, vêm cá para fora dizer, 'A Treyarch é a nossa produtora principal,' como se tu pudesses engolir isso," disse ele.

"Eles não fizeram um jogo com média de 90; penso que neste momento vai nos 86. Eu não penso que as notas das análises são tudo e o fim de tudo, mas todos sabemos quando é um jogo com média de 90% quando o vemos, mas este está nos 80. Acho que não podes elevar um jogo só porque um executivo o diz."

"Penso que o cerne da questão é: 'Qual a produtora que irá apresentar o próximo grande FPS que será seguido por todos [tal como a Infinity Ward fez]?'"

"Penso que está longe de ser provado que os consumidores de jogos vêm um produto da Treyarch da mesma forma que vêm um produto vindo da Infinity Ward."

Algures na entrevista Riccitiello insistiu que, apesar de não ser de um dia para o outro, a EA está no bom caminho para atingir o objectivo de retirar o reinado da categoria dos shooters à Activision.

"A Activision irá fazer 25 milhões resultantes do lançamento do ano passado de Modern Warfare 2 e do lançamento deste ano de Black Ops, e depois acontecerá algo similar no próximo ano. Levou-lhe, quê, cinco ou seis anos para conseguirem atingir as dezenas de milhões?" perguntou ele.

"Na verdade a nossa equipa começou com este objectivo há dois anos e meio e a nossa primeira incursão foi Battlefield: Bad Company, e vocês irão ver muitas coisas sobre Battlefield 3 no próximo ano, que eu penso, pelo menos do nosso ponto de vista, que está a ser desenhado para ser aquele que irá dar o grande salto em frente; aquele que irá ajudar muito."

Riccitiello acredita que o novo Medal of Honor, que foi lançado este ano, vendeu-se bem, tal como aconteceu com Battlefield: Bad Company 2, e espera um sucesso ainda maior em 2011.

"No próximo ano iremos progredir ainda mais. Temos dois jogos third-party na forma de Crysis 2 e Bulletstorm, e depois temos na segunda metade do ano Battlefield 3 que será o nosso grande foco. Ficarei bastante chocado se não conseguirmos retirar uma boa fatia à Activision."

Salta para os comentários (24)

Sobre o Autor

Luís Alves

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Conteúdos relacionados

A nossa reação ao novo trailer de Horizon Forbidden West

Falta um mês para chegar à PlayStation 5 e PlayStation 4.

Analista afirma que será difícil tornar Call of Duty exclusivo Xbox

Escrutínio dos reguladores antitruste pode vetar compra da Activision Blizzard.

Dying Light 2 para a Switch foi adiado

Poderá chegar até 6 meses depois das outras versões.

Também no site...

Yu-Gi-Oh! Master Duel estreou-se entre o 5 mais jogados na Steam

Perto de 160 mil pessoas a jogar em simultâneo.

Evanilson do FC Porto está na Team of the Week de FIFA 22

Carimbou o passaporte com os 3 golos marcados.

Hogwarts Legacy confirmado oficialmente para 2022

Warner Bros. garante que chega este ano.

Analista afirma que será difícil tornar Call of Duty exclusivo Xbox

Escrutínio dos reguladores antitruste pode vetar compra da Activision Blizzard.

Comentários (24)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários