Eurogamer.pt

Razer ManO'War 7.1 - Análise

Não tem ligação sem fios, mas ganha na versatilidade.

O novo modelo continua a ser extremamente confortável.

O Razer ManO'War 7.1 é o modelo mais recente nesta linha de headsets. O modelo original foi lançado há meses (podem ler aqui a análise) e destava-se pela sua capacidade wireless, conforto e qualidade sonora. Agora, a Razer decidiu apostar num modelo diferente, que perde a capacidade de ligação sem fios mas, por outro lado, custa menos e mantém o mesmo design vencedor e materiais de construção. Será que é uma alternativa a ter em conta para aqueles que estão à procura de um headset dentro deste preço?

A primeira vantagem deste novo modelo é a maior liberdade no tipo de ligação. O Razer ManO'War 7.1 tem uma ligação analógica de 3.5 mm, o que significa que é compatível logo à partida com a grande maioria dos dispositivos. Podem ligá-lo ao PC, PlayStation 4, Xbox One, PlayStation Vita, Nintendo 3DS e ao vosso smartphone. O cabo é longo o suficiente para uma utilização normal, mas se por alguma razão precisarem que o cabo seja maior, vão encontrar um extensor da caixa. De realçar que tanto o cabo do headset como o extensor vêm com um revistimento em fibra entrelaçada para maior durabilidade.

Dentro da caixa encontramos também um adaptador USB de sinal analógico para digital. Neste pequeno adaptador está um motor de virtual surround sound 7.1 com o propósito de oferecer uma maior imersão e sentido de posicionamento. O motor processa o áudio com uma latência baixa e simula áudio a 360 graus. Não é surround sound verdadeiro, mas os resultados são mais do que satisfatórios (e podemos acrescentar que é extremamente raro encontrar surround sound real num headset para videojogos; os Astro A40 e A50 têm surround sound da Dolby, mas custam consideravelmente mais).

A qualidade sonora mantém os padrões a que a Razer nos habitou nos seus headsets e não fica atrás da versão Wireless dos ManO'War. O som é nítido, potente, evolvedor e salienta os baixos. Não é de estranhar, já que se olharmos para as especificações dos Razer ManO'War 7.1, vemos que tem as mesmas drivers de 50 mm. A diferença está no microfone, que pode ser retraído e também rodado. O microfone capta com claridade a nossa voz e cumpre o seu propósito, que é comunicar com outras pessoas online, mas é mais sensível do que os microfones em headsets anteriores da Razer. De qualquer forma, a sensibilidade pode ser reduzida nas definições, pelo que não é mais do que um pequeno incómodo.

Se a qualidade sonora é um dos pontos positivos do Razer ManO'War 7.1, o conforto é outro. É um headset extremamente confortável e que facilmente pode ser usado durante horas a fio. As almofadas laterais são largas o suficiente para evitar desconforto nas extremidades das orelhas (a isolação sonora é razoável) e a almofada no suporte superior completamente o pacote de conforto. O modelo em questão também é mais leve, o que seria de esperar. Os Razer ManO'War Wireless pesavam 375 gramas, este modelo com fio pesa 332 gramas. Não é uma diferença abismal, mas é uma pequena vantagem, principalmente naquelas longas sessões de jogatina.

"É um headset extremamente confortável e que facilmente pode ser usado durante horas a fio"

O único ponto negativo, o qual já tínhamos salientado na análise ao primeiro modelo, é o material usado nas dobradiças das almofadas. Não tivemos qualquer problema no uso que demos ao headset e continua como novo, no entanto, o tipo de plástico usado nas dobradiças transmite uma sensação de fragilidade. Era preferível que tivesse sido usado o mesmo material metálico dos ajustadores de tamanho. A real preocupação aqui está no transporte do headset, visto que num uso normal é praticamente impossível partir esta peça. Como as almofadas rodam 90 graus, pode acontecer que dentro de uma mochila ou mala, ocorra alguma força que leve as dobradiças ao limite.

O controlo do volume do áudio pode ser feito manualmente num pequeno controlador inserido no fio de ligação. É também neste controlador que podem desactivar o microfone. Esta é mais uma diferença em comparação ao ManO'War sem fios (neste modelo os controlos de áudio estavam no auricular esquerdo). Não há muito mais a dizer sobre o Razer ManO'War 7.1. O novo modelo tem todas as qualidades do anterior, a grande diferença está no tipo de ligação e no preço. Se um headset sem fios não é uma obrigatoriedade para vocês, o Razer ManO'War 7.1 cumpre com mérito todas as vossas necessidades enquanto jogadores (mas também é excelente para ouvir música ou para assistir a filmes).

Relativamente ao Razer Kraken, outro modelo de heaset que já testámos anteriormente e com um preço semelhante, consideramos o Razer ManO'War 7.1 como uma melhor opção. É um pouco mais caro, mas consegue ser mais confortável e a sua versatilidade, graças à ligação analógica e adaptador USB de sinal analógico para digital, dá-lhe mais valor.

Publicidade

Comentários (8)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!