Pokémon X & Y - Análise

Um ponto de viragem na série.

Cumpre todas as expectativas e não há grandes falhas a apontar. Pokémon não podia estrear-se na 3DS de melhor forma.

Quando joguei Pokémon pela primeira vez ainda nem sequer tinha 10 anos. Era o fenómeno entre as crianças daquela época. Na escola, durante os intervalos, os bancos estavam cheios de miúdos com os seus GameBoy com a missão de os apanharem a todos. A febre de Pokémon era fortalecida pelo desenho animado, que passava aos sábados e domingos de manhã na Sic. Não sei se ainda é igual nos dias de hoje, mas para mim pouco mudou. Já não vejo os desenhos animados, no entanto, agora na casa dos vinte anos, continuo a jogar Pokémon e ainda me dá gozo.

Mantenho o que disse no ano passado. Não é comum que uma série de videojogos consiga manter-se relevante durante tantos anos, assim como não é comum que uma série com tantos anos tenha sofrido tão poucas alterações. A GameFreak, ao longo do tempo, introduziu novos pokémons, novos tipos, novas regiões e novas mecânicas, mas quem jogou os originais e saltou os jogos Pokémon posteriores, se pegar em Pokémon X & Y, sentirá nostalgia.

É por isso que Pokémon X & Y é tão importante. Não descarta a familiaridade a que todos os fãs se habituaram, mas representa em simultâneo um ponto de viragem na série e daqui a muitos anos será relembrado como tal. É um ponto de viragem pelo salto tecnológico tornado possível pela Nintendo 3DS mas não só, as mega evoluções são um "game changer" e uma forma de manter o jogo fresco sem a necessidade de introduzir novos pokémons.

As mega evoluções

Mais sobre Pokémon Y

As mega evoluções são diferentes das evoluções normais. Em primeiro lugar, é uma evolução temporária que só pode ser ativada durante os combates (no final do combate o pokémon regride para a evolução anterior). Segundo, é obrigatório que o pokémon esteja equipado com um item especial que lhe permita mega evoluir, ou seja, deixa de ser possível o uso de itens populares para estratégias caso queiram utilizar a mega evolução. Terceiro, apenas uma mega evolução pode ser ativada por combate, isto significa que podem ter seis pokémons na equipa capazes de mega evoluir, mas em combate, a partir do momento em que ativarem uma mega evolução, as outras deixam de ser possíveis.

Nos combates competitivos, as mega evoluções acrescentam imprevisibilidade e uma nova dimensão, e são também incrivelmente poderosas, ao nível dos pokémons lendários. Ao mega evoluírem, alguns pokémons alteram o seu tipo. Um caso conhecido é o do Charizard, que quando mega evolui com o item Charizardite X fica a pertercer aos tipos Fire/Dragon, quando anteriormente era Fire/Flying.

As mega evoluções não são apenas poderosas, são espetaculares e voltam a trazer o efeito cool a Pokémon, que de geração para geração estava a perder-se. A GameFreak limitou-se a pegar nos pokémons populares, como os iniciais da primeira geração, e levou-os ao próximo nível em design, mas o resultado final é fantástico e deixou os fãs estonteados.

Trailer das Mega Evoluções de Charizard, Venusaur e Blastoise

Super Training e Pokémon Amie

Há muito que o ev training é um método conhecido e utilizado entre a comunidade hardcore de Pokémon, mas para muitos é algo desconhecido porque até agora sempre foi uma faceta escondida dos jogos de Pokémon. O ev training consiste em combater contra pokémons específicos que aumentam as estatísticas. Um exemplo fácil de perceber os resultados do ev training é compara dois pokémons a nível 100. O pokémon que passou pelo ev training apresentará estatísticas mais elevadas que o pokémon que não tenha passado pelo mesmo processo.

Com Pokémon X & Y o ev training tornou-se visível através do Super Training, que pode ser acedido a qualquer momento. O Super Training é um mini-jogo acessível através do segundo ecrã da Nintendo 3DS que permite aumentar qualquer uma das estatísticas ao nosso gosto. Como o mini-jogo é sempre o mesmo, o Super Traning é tão aborrecido como o ev training normal, mas pelo menos é mais direto, mais simples e deixa que fortaleçam estrategicamente a vossa equipa desde o primeiro minuto de jogo.

O Pokémon Amie complementa o Super Training. O Pokémon Amie é mais um conjunto de mini-jogos (não muito diferentes daqueles que encontram no Pokémon Global Link) que podem ser acedidos no segundo ecrã a qualquer momento. Através destes mini-jogos, cria-se uma relação de amizade com os pokémons. Quanto mais forte for este laço, maior será a probabilidade do pokémon esquivar-se de ataques adversários e de acertar com "critical hits".

Por mais simples que seja, o Pokémon Amie consegue criar laços reais com os pokémons. De vez em quando, não resisto a visitar um dos meus pokémons neste modo para mimá-los com doces e fazer-lhes festas através do ecrã tátil. É um tipo de interação básico mas que ajuda a pensar nos pokémons como companheiros e não apenas como ferramentas para vencer os combates.

O salto para o 3D

A passagem para as três dimensões é uma das grandes novidades introduzidas por Pokémon X & Y e uma das razões para o furor que se tem presenciado à medida que nos aproximamos do lançamento. Não posso negar que o jogo tem um aspeto fantástico e está muito superior aos anteriores em tudo: os modelos dos Pokémons em combate estão mais elaborados, as animações têm um aspeto natural e no geral houve uma maior atenção dada aos pormenores. Claro que, em comparação com outros jogos da 3DS, não é nada de especial. Mas Pokémon esteve preso ao 2D desde o seu início, e quando vemos pela primeira vez o jogo a correr a três dimensões diante dos nossos olhos, é impossível não ficar entusiasmado.

O uso do efeito 3D é um motivo para ficar desiludido, ou melhor, o seu não-uso é o real motivo. A GameFreak optou por reservar o efeito 3D da portátil apenas para os combates e para as cinemáticas, mas o efeito continua ativado em algumas partes do jogo que não estas, parecendo que simplesmente se esqueceu de desligar o efeito. Os combates são ainda mais espetaculares com o efeito 3D ligado, embora sejam evidentes as quebras no rácio de fotogramas, que poderá levar alguns a optar por não ligar o efeito. Devo acrescentar que pela primeira vez temos cenários nos combates, o que dá a estes momentos um efeito mais real.

Os benefícios da transição para as três dimensões não se verificam apenas nos combates. O mundo, neste caso a região de Kalos, tem cenários inigualáveis. Inspirando-se na cultura e região francesa, a GameFreak criou uma das regiões mais belas já vistas num jogo de Pokémon. A cidade central de Lumiose, que no seu centro tem um monumento gigantesco a imitar a torre Eiffel que serve de ginásio, é um perfeito exemplo das novas possibilidades que advém de um mundo tridimensional.

Fairy, o novo tipo de pokémons

Nas alterações da gameplay, as mega evoluções não são o único game changer. Pokémon X & Y introduz os pokémons do tipo Fairy, cujos os ataques são super eficazes contra os pokémons do tipo Dragon, Dark e Fighting. Na região de Kalos habitam vários pokémons deste tipo e é comum encontrá-los em combates contra outros treinadores. Convinha que apanhassem um pokémon super eficaz (Steel ou Poison) contra o tipo Fairy logo no início. Acreditem, será bastante útil durante a vossa aventura. Além da introdução do novo tipo Fairy, existem pokémons já conhecidos entre os fãs que ficam a pertencer a este tipo e há pokémons que não pertencem a este tipo mas podem aprender ataques Fairy.

Depois encontramos pequenas mas agradáveis novidades como a troca de roupa da personagem. Em quase todas as cidades está presente uma loja de moda para adquirir novas peças, que variam entre bonés, casacos, t-shirts, calças, calçado, e acessórios. Sendo este um jogo baseado na França, não é estranho que a moda seja relevante, e há inclusive cabeleireiros dedicados a novo pokémon chamado Furfrou (semelhante a um poodle).

Outro pequeno detalhe, a nossa personagem tem novamente um rival com o qual combate ao longo da sua jornada pela região de Kalos, mas este rival é apenas um dos nossos amigos. Em Pokémon X & Y temos viajamos com a companhia de quatro amigos. Acabamos por combater contra cada um, mas há um qual o combatemos mais vezes, que encaixa no perfil do tradicional rival sempre presente nos jogos de Pokémon.

"Nunca antes houve tantas novidades a chegar em simultâneo..."

Sei que a ansiedade e curiosidade por informações específicas é muita, como o tipo dos líderes de ginásio e a sua equipa de pokémons, o número exato de novos pokémons, o número de pokémons que é possível apanhar em cada uma versões, entre outros detalhes. Embora tenha acesso ao jogo completo, há muitas informações que não posso revelar a pedido da Nintendo, que cedeu a cópia para análise com estas condições, para que não seja revelado tudo até ao dia de lançamento. Desta forma as surpresas continuarão a ser surpresas. Sem entrar em detalhes, posso dizer que há uma grande variedade de pokémons desde o início da aventura (a GameFreak escolheu-os bem!), há novos métodos de evolução e que ainda há mega evoluções por revelar.

Pokémon X & Y não modifica a fórmula da série, mas vem sem dúvida modificar algumas bases já estabelecidas. Nunca antes houve tantas novidades a chegar em simultâneo e é precisamente este motivo pelo qual vão querer jogá-lo. É uma aventura nova criada com o intuito de aproveitar o melhor que Pokémon nos deu até hoje e de pegar nisso e evoluir para o próximo nível. Com Pokémon X & Y está garantido que a série continua a ser relevante e uma das melhores escolhas para as consolas portáteis. Para os fãs é mesmo obrigatório. Desde o lançamento da Nintendo 3DS que este é o jogo pelo qual aguardam e as expectativas são cumpridas, excluindo o pequeno detalhe do efeito 3D.

9 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação Pokémon X & Y - Análise Jorge Loureiro Um ponto de viragem na série. 2013-10-04T16:00:00+01:00 9 10

Comentários (59)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!