Eurogamer.pt

Spider-Man: Web of Shadows

Uma teia muito negra.

Todos nós temos um lado negro e todos nós temos escolhas que afectam o mundo à nossa volta. Peter Parker também tem um lado negro e mesmo para o simpático e amigável Homem-Aranha surgem situações na quais deve tomar decisões. Mesmo quando o dia não está a correr nada bem ele é obrigado a enfrentar desafios mas a sua sorte é que nós estamos cá para ajudar.

Venom, um dos mais carismáticos vilões que o herói alguma vez enfrentou está de volta mas este é provavelmente o pior desafio que alguma vez obrigou o Homem-Aranha a resolver. Tudo começa num belo dia no qual Peter acaba por se envolver em lutas de gangs e isto será o ponto de participa para uma jornada terrível que irá levar a confrontos contra exércitos de simbiontes.

A ideia que deveria tornar Web of Shadows atractivo é a mesma que o torna em mais um jogo banal inspirado no personagem. Algo já anteriormente tentado, em Web of Shadows a tentativa de recriar a liberdade e a sensação de ser o Homem-Aranha coloca o jogador num mundo aberto mas no entanto isso mesmo faz com que o jogo se torne muito repetitivo e pouco entusiasmante. Mesmo com algumas novidades curiosas e até divertidas, o jogo não tem qualquer profundidade e a história é completamente banal.

De teia em teia percorremos a cidade e graças ao sentido de aranha descobrimos onde estão a decorrer as lutas. De uma forma aleatória, as forças do mal causam distúrbios e temos que os combater. Para prosseguir na história temos que completar as missões principais e estas são-nos dadas pelos amigos do Homem-Aranha. Também temos algumas missões opcionais que nos obrigam a completar determinado objectivo e oferecem experiência que usamos para melhorar os nossos atributos. Em Web of Shadows podemos alternar a qualquer momento entre o fato normal e o fato simbionte, apenas com o pressionar de um botão, e ao adquirir os melhoramentos os golpes ficam mais fortes e melhores.

1

Algumas personagens como a Black Cat ou o Wolverine marcam presença.....mas não sabem muito bem como

O sistema de combate tenta conferir aquele toque de dinamismo e fluidez que facilmente associamos ao personagem e que vimos nos filmes mas se ao início é divertido, rapidamente se torna repetitivo. O pressionar do mesmo botão tira o entusiasmo e só mesmo alguns movimentos como o Web Swing conseguem manter um pouco da espectacularidade que o restante rapidamente perde. Graças a este movimento podemos atirar uma teia automaticamente e vamos ao encontro do inimigo e se pressionarmos o botão no tempo correcto atacamos com sucesso. Este movimento pode ser encadeado e é bastante útil nas lutas aéreas. O Homem-Aranha pode lutar em todo o lado desde o chão, ar e nas paredes dos edifícios e aqui surge o principal problema do jogo, a câmara.

Simplesmente terrível, consegue mais facilmente dar-nos dores de cabeça com as suas repentinas mudanças de plano e dificilmente consegue satisfazer. Consegue alcançar a sua pior prestação quando a forçam a mover-se e a trocar de plano rapidamente, praticamente descontrola-se, e primeiro que consiga um plano definitivo já deu voltas e voltas. O sistema de lock on também apresenta algumas debilidades e por vezes vão-se perguntar porque raios está centrada num inimigo a quarteirões de distância quando tem um mesmo ao vosso lado.

2

O sistema de combate consegue ser agradável mas cedo se torna repetitivo

Visualmente esta teia também não tem muita força. Mesmo com uma cidade grande para explorar, os prédios parecem todos iguais e os inimigos são cópias sistemáticas de si mesmos. Alguns cenários ficam melhores quando nos aproximamos mas é frequente ver partes do cenário aparecer do nada e no seu geral estamos perante um resultado fraco. Salvam-se apenas os modelos dos personagens principais que conseguem estar acima do resto mas mesmo assim já vimos bem melhor.

Se eventualmente conseguirem encontrar satisfação ou força de vontade para pelo menos tentarem terminar o jogo, vão conseguir fazer tal num curto espaço de tempo e mesmo com a possibilidade de escolher duas opções em determinados momentos da história, a vontade de repetir o jogo para saber o resultado dessa diferente decisão não deverá ser muito.

Longe de ser brilhante, Web of Shadows é um jogo bastante mediano em praticamente todos os aspectos, o esquema altamente repetitivo aliado aos problemas de câmara e jogabilidade fazem com que seja um jogo sem brilho. Poderá eventualmente atrair os fãs do personagem que sintam uma necessidade de um novo jogo com o herói mas mesmo esses devem-se preparar para as falhas que o afectam.

5 / 10

Spider-Man: Web of Shadows Bruno Galvão Uma teia muito negra. 2008-11-10T09:15:00+00:00 5 10
Publicidade

Comentários (2)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!