007: Quantum of Solace

As delícias diárias de um agente secreto.

Versão testada: Xbox 360

Desde que enveredou pelo mundo dos videojogos a licença Bond raramente conseguiu fazer justiça aos filmes e a todo o potencial que enverga. Salvo raras excepções, os jogos baseados em Bond não conseguiram medir-se contra os melhores do género no qual se inseriam e muitos deles ao invés de abordar por um único estilo tentavam dar-nos diferentes tipos de jogabilidade na tentativa de recriar fielmente as sequências mais emblemáticas do filme que os inspirava. Apesar do esforço em oferecer o dinamismo do agente secreto na forma de entretenimento videojogável, o certo é que muito dificilmente os jogos conseguiam verdadeiramente satisfazer os fãs.

Com uma personagem tão carismática e com uma licença com tanto potencial, é quase estranho que Bond ainda não tenha triunfado no mundo dos videojogos. Para tentar cumprir tal tarefa, temos este Quantum of Solace que nos chega pelas mãos da Treyarch ao mesmo tempo que o filme estreia nos cinemas. Para criar o Bond mais letal de sempre a Treyarch criou um novo sistema que mistura acção na primeira pessoa com acção na terceira pessoa. Um esquema que deverá agradar aos fãs pois consegue oferecer um pouco de táctica a um jogo que se quer ponderado e bem delineado mas que facilmente poderia sair-se como mais um caminhar em frente sempre a disparar freneticamente.

Tendo em conta que o jogo é da responsabilidade da Treyarch, umas das equipas de desenvolvimento presentes na série Call of Duty e que corre no motor de Call of Duty 4, não é de admirar que a jogabilidade deste Bond seja praticamente igual à do referido jogo, excepto algumas alterações que tentam sobressair o toque furtivo que um agente secreto precisa.

Quantum of Solace, ao contrário do que seria esperar, não nos vai colocar ao controlo de Bond durante o seu mais recente filme. O jogo vai levar-nos a reviver os momentos mais marcantes de Casino Royale mas numa perspectiva diferente e até alterada de forma a ir ao encontro das necessidades que um videojogo implica e o género no qual se insere. Vamos enfrentar algumas secções de Quantum of Solace mas o jogo serve quase como uma ponte entre os dois filmes. Certamente se recordam da sequência de perseguição no início de Casino Royale na qual Bond persegue o seu alvo até à embaixada em Madagascar mas que aqui está alterada sendo necessário enfrentar os amigos do fugitivo que nos tentam impedir de o capturar. Isto como um exemplo das alterações aplicadas mas que em nada retiram qualquer satisfação da experiência, pelo contrário, colocam-nos em situações diferentes que conseguem ser coerentes e bem integradas no que conhecemos.

1

O sistema de protecção e os elementos de acção na terceira pessoa são divertidos e vão de encontro às características conhecidas dos filmes

Com o novo Bond interpretado por Daniel Craig, o mundo conheceu um novo agente secreto mais implacável, mais irreverente e ainda mais letal do que nunca. Essa é a essência que a Treyarch tentou captar mas mantendo sempre uma ideia coerente de como um agente secreto se deve comportar. Isto reflecte-se nos níveis que podem ser abordados de forma furiosa e frenética abrindo caminho aos tiros ou então optar por uma forma mais pausada e furtiva eliminado os inimigos sem activar alarmes e sem dar a conhecer a nossa presença. Alguns níveis decorrem a grande ritmo e a acção reina, noutros podemos optar por uma vertente mais furtiva e podemos completar os níveis sem muitos confrontos eliminando apenas os inimigos necessários. Caso queiram, podem mesmo completar determinadas secções sem disparar um único tiro.

Comentários (12)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!