Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

James Bond: Quantum of Solace

Sê Bond e vê o Bond.

Com a estreia de Casino Royale a série Bond descolou progressivamente daquilo a que os fãs estavam habituados. O filme ganhou uma nervura especial através dos préstimos de Daniel Craig, que reconstruiu um Bond mais viril e violento, sem se perder em tantas piadas, enquanto que nos jogos baseados na série a Activision passou a ser desde Setembro de 2007 a nova detentora, em exclusivo, dos direitos de toda a saga.

James Bond: Quantum of Solace muito embora siga de perto a estrutura do novo filme que chegará ao cinema nos territórios europeus a 31 de Outubro, tem ainda ligações a Casino Royale, com níveis que acrescentam mais de quarenta e cinco minutos a determinadas cenas do filme.

Stewart Roch, produtor executivo da Activision, disse-nos que a conexão a dois filmes do Bond permitiu o desenvolvimento de duas abordagens relativas à forma como o jogador pode enfrentar os adversários. O novo Bond não será apenas um jogo de acção onde vemos a nossa personagem ultrapassar alas, túneis e espaços pejados de inimigos com arma em riste pronta a disparar. Numa tentativa de acrescentar uma abordagem diversa, em descompressão dos tiroteios, os produtores criaram novas secções acrescentadas ao filme Casino Royale que possibilitam uma actuação similar a um agente infiltrado, parte da essência cinematográfica de Bond.

Na televisão vê-se um dos níveis de Quantum of Solace

Com silenciadores nas pistolas e recorrendo aos típicos "gadgets" que marcarão presença, como um monitor portátil que recebe a emissão das câmaras de segurança no Aeroporto de Miami, o nosso herói vai superando corredores e áreas de maior vigilância. As valências de Craig, tal como as vemos no filme, estão lá todas. Aproximando-se sorrateiramente dos adversários, é possível surpreendê-los através de um aperto no pescoço, ou tiro com silenciador, neutralizando os perigos imediatos. Paredes, mesas e outros elementos que ajudam a compor o cenário podem servir de abrigo ao nosso agente. Não é impeditivo usar nestas secções de maior tensão armas mais pesadas como metralhadoras, mas nesse caso soa em poucos instantes o alarme para os inimigos desatarem a cercar o agente especial infiltrado.

Na parte respeitante a Quantum of Solace, sem conceder grandes margens para a narrativa, lá se deixou passar que o agente do MI6 vai perseguir uma personagem dentro de um túnel, tentando alcançá-la viva, enquanto procura livrar-se dos múltiplos inimigos. Bond “insere-se no ambiente e tenta ver o que se passa sob diferentes ângulos”, disse Stewart Roch. Este é “um sistema favorável, complementado pela boa inteligência artificial”, concluiu o programador da Activision, que não se escusou a comentar o uso do motor gráfico de Call of Duty 4, embora fosse apetrechado com o sistema de "cover" para facilitar a conciliação com o espírito do filme. Para Roth esta novidade porá os fãs não só a serem o Bond mas também a verem o Bond.

Sobre o Autor

Vítor Alexandre avatar

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Comentários