Prince of Persia

No mundo mágico dos príncipes e das princesas.

Para saberem tudo sobre o novo Prince of Persia, poderão ler o nosso detalhado Guia completo, truques e dicas.

Eu joguei Prince of Persia no meu Siemens A50! Uau...tinha que dizer isto, pois tantos anos após ter jogado o clássico para telemóvel sinto-me velho ao olhar para o novo PoP. Mais uma vez este parece ser o início de uma nova série de títulos que, aparentemente, tem tudo para fazer as delícias dos fãs. Um novo visual, um novo príncipe, uma nova amiga e um enredo que se poderá tornar tão deslumbrante e atraente quanto a vontade da equipa de produção de o fazer.

Das várias abordagens que tentei adoptar com o desenrolar do jogo, só uma delas fez sentido quando o terminei - muito mais do que um conto, Pince of Persia é uma Epopeia. Tal como tantas outras aventuras que nos marcam intelectualmente desde a mais tenra idade, a nova aventura do Príncipe das mil e uma noites, é uma estória que tem tanto de mítico quanto de épico. É uma narrativa narrada pelo próprio jogador que, sem ter a intensidade e fulgor dos contos populares, ganha em expressividade e magia, transformando todo o mundo de PoP em algo que poderá ser tão profundo quanto a experiência de vida de cada um.

A aventura começa quando, vindo do céu, o nosso príncipe se depara com aquela que virá a ser a sua nova melhor amiga, Elika. De uma forma linear, a acção desenrola-se à medida que o enredo é apresentado. A escuridão e a corrupção apoderam-se do mundo e esse será o mote para que, ao logo de todo o jogo, o príncipe percorra a sua caminhada.

Desde cedo se percebe qual a estrutura e objectivo do jogo, que no fundo é só um - salvar o mundo, curando cada uma das zonas infectadas. De forma semelhante ao que aconteceu em Assassin's Creed e, por outro lado, contrastante ao passado da série, a aventura decorre num mundo aberto, no qual o jogador tem o privilégio de decidir a cronologia dos acontecimentos da estória. Este é, opinião pessoal, um dos problemas desta aventura pois, deste modo, tudo parece acontecer de uma forma supérflua, sem que haja um seguimento e uma verdadeira linhagem de acontecimentos.

1

Cenários grandiosos como este são capzes de deixar qualquer um de queixo caído.

Ora isto torna-se ingrato, pois Prince of Persia é o conto que queremos ouvir, mas contado da forma errada. O jogador sabe de ante-mão aquilo que vai acontecer ao logo de toda a aventura. Nada é realmente uma surpresa e, por isso mesmo, os dois momentos chave desta aventura acabam por ser, precisamente, o início e o fim - os únicos momentos de incerteza. Tudo o resto é uma batalha por atingir objectivos sem quaisquer tipos de surpresas ou reviravoltas, enquanto o desfecho final parece muitas vezes uma miragem.

No final de contas PoP resume-se a cumprir as caminhadas para chegar ao grande prémio que é a luta com o Boss e curar mais uma zona - e o processo repete-se vezes e vezes sem conta. Cada vez que uma zona é curada poderão apanhar as Light Seeds. Mas aqui levanta-se uma questão fulcral: o quão proveitosa poderá ser esta aventura para vocês. Sim, é verdade que o jogo é repetitivo na sua concepção e naquilo que pode ser tido em conta como o objectivo principal mas, não deixa por isso de ser um título feito de momentos capazes de surpreender qualquer um. O que prejudica esta aventura é a inexistência de objectivos sólidos que dêem alento e vontade de continuar a jogar.

Algo que poderia ajudar nesse aspecto seria a aprendizagem de novas técnicas de combate ou a aquisição de novos poderes, mas nada disso existe. O mais próximo disso serão as Power Plates, uma espécie de poderes que poderão desbloquear ao adquirir Light Seeds, mas que só servirão para dar acesso a novas áreas de jogo.

Comentários (28)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!